TRATAMENTO DE DOENÇAS RARAS SERÁ TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NO SENADO

//TRATAMENTO DE DOENÇAS RARAS SERÁ TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NO SENADO
A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal promoverá na quinta-feira (10) audiência pública interativa sobre o direito de pacientes com doenças raras ao tratamento por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Conforme anunciou o portal do Senado Federal, a reunião começa às 9h, na sala 3 da ala Alexandre Costa. A iniciativa é dos senadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Ronaldo Caiado (DEM-GO) e das senadoras Maria do Carmo Alves (DEM-SE) e Marta Suplicy (PMDB-SP), que preside a CAS. “Há, no Brasil, 13 milhões de pessoas com algum tipo de doença rara. A grande maioria (80%) é de origem genética. Existem de seis a oito mil tipos de doenças raras, em que 30% dos pacientes morrem antes dos cinco anos de idade; 75% delas afetam crianças. O diagnóstico, na maioria dos casos, é difícil e demorado, pois há pouco conhecimento sobre o assunto, além da falta de centros especializados. As doenças raras se caracterizam por serem crônicas, graves e degenerativas, apresentam uma grande variação de sintomas, dificultando o conhecimento dos médicos e da sociedade em relação ao tema”, ressalta a publicação.

Participantes terão destaque em debate

O portal do Senado Federal destaca ainda que para o debate que ocorrerá na próxima quinta-feira (10) pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS), foram convidados o analista técnico de Políticas Sociais da Coordenação Geral de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Eduardo David Gomes de Sousa; o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Jarbas Barbosa da Silva Júnior; o desembargador do Tribunal Federal da 1ª Região, Antonio Souza Prudente; o defensor público-geral federal, Carlos Eduardo Barbosa Paz; a presidente da Sociedade Brasileira de Genética Médica (SBGM), Carolina Fischinger Moura de Souza; a presidente da Associação dos Familiares, Amigos e Portadores de Doenças Graves (Afag), Maria Cecília Jorge Branco Martiniano de Oliveira. Foram convidados ainda o presidente da Casa Hunter (Associação Brasileira dos Portadores da Doença de Hunter e outras Doenças Raras), Antoine Daher; a fundadora e presidente da Associação Carioca de Distrofia Muscular (Acadim), Maria Clara Migowski Pinto Barbosa; a presidente do Instituto Vidas Raras, Regina Próspero; a diretora de Inovação e Responsabilidade Social da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) e advogada especialista em Saúde Pública, Direito Privado e Bioética, Maria José Delgado Fagundes; e o presidente da Sociedade Brasileira de Genética Médica, Salmo Raskin.

Acordo entre Tecpar e Axis aumentará para medicamento para câncer

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, participou na segunda-feira (07), em Curitiba, da assinatura do acordo de transferência de tecnologia do medicamento biológico Trastuzumabe – utilizado no tratamento de câncer. Publicação do Ministério da Saúde afirma que a parceria, realizada entre o Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar) e a empresa brasileira Axis Biotec, irá atender a 40% da demanda do SUS, o que representa mais de 100 mil doses por ano distribuídas aos pacientes. O acordo é uma das etapas da reorganização das Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP), divulgada no início do ano pelo Ministério da Saúde. “Isso que está acontecendo com a Tecpar, acontece com BioManguinhos e com Butantan e todos eles recebem investimentos significativos ou possibilidade de investimentos significativos com as parcerias que foram definidas e nós vamos continuar avançando com essa política de atrair conhecimento para o Brasil, aprender a fazer e aprendendo a fazer podemos desenvolver  moléculas pelos nossos cientistas, patenteá-las e participar desse grande mercado mundial, que é o mercado da saúde”, ressaltou o ministro da Saúde, Ricardo Barros. “O objetivo da especialização dos laboratórios, por meio da Nova Política de Plataformas Inteligentes de Tecnologia em Saúde, é oferecer competitividade, escala de comercialização dos produtos e capacitação dos pesquisadores. Com a política na área farmacêutica, o Governo Federal possibilita a transferência de tecnologia entre laboratórios públicos e privados, para, com o poder de compra, estimular a produção no Brasil de medicamentos estratégicos distribuídos no Sistema Único de Saúde (SUS). Com isso, a pasta planeja uma economia total de R$ 5,3 bilhões/ano ao final de todas as parcerias vigentes”, destaca parte da publicação.

SUS inclui medicamento de alto custo para pacientes em metástase do câncer de mama

Em circulação há mais de 15 anos, o medicamento trastuzumabe é usado para o tratamento de um tipo específico de câncer de mama e pode dobrar a sobrevida de pessoas em metástase — quando a doença já atinge outras áreas do corpo. O Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do Ministério da Saúde, passou a abranger este público e irá fornecer a droga num prazo de 180 dias. De acordo com o site do G1, a decisão foi publicada pelo Diário Oficial da União na última quinta-feira (3). Em 2012, o governo havia liberado o uso para pacientes com o câncer, mas excluía os metastáticos. Hoje, mais de 3 mil pessoas com câncer de mama inicial e localmente avançado fazem o uso do trastuzumabe pelo SUS. Organizações como a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) e a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) reivindicavam a ampliação para acesso do medicamento a todos os tipos de pacientes. No mercado, a droga custa cerca de R$ 10 mil a dose. Ela é usada no tratamento do câncer de mama do subtipo HER2+, o mais agressivo e que atinge um quinto das mulheres com tumor no seio. A célula cancerígena expressa o gene que leva o mesmo nome da doença, e o remédio bloqueia a ação desse gene, o que evita a proliferação. De acordo com a Femama, a droga “mudou a forma como o câncer é tratado no mundo”. “O trastuzumabe consta na lista básica para combater o câncer, criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para guiar governos nas escolhas de oferta em suas políticas de saúde”, diz o texto.

SAÚDE NA IMPRENSA

Ministério da Saúde – Acordo entre Tecpar e Axis aumentará em 40% oferta de medicamento para câncer no SUS

Anvisa – Aprovado tratamento para pacientes com hemofilia A

Anvisa – Reunião pública debate cereais infantis

Anvisa – Anvisa lança conteúdos sobre serviços de saúde

Anvisa – Abertas as inscrições para a 7ª Semana do Conhecimento da Anvisa

ANS – IV Semana de Orientação aos Consumidores

Inca – CCJ aprova protocolo para eliminar comércio ilícito de produtos do tabaco

Inca – Arrecadação do cigarro é inferior a custos do tabagismo para o país

Inca – O futuro do tabaco está nas mãos do STF

Inca – Regulação para quê?

Fiocruz – Publicação reúne experiências internacionais de atenção primária em saúde

Fiocruz – Conferência Nacional de Vigilância em Saúde é tema do Sala de Convidados (8/8)

Tecpar – TECPAR VAI FORNECER REMÉDIO PARA TRATAMENTO DO CÂNCER AO SUS

Câmara dos Deputados – Comissão debate reajustes em planos de saúde coletivos por adesão

Câmara dos Deputados – Seis comissões da Câmara promovem o seminário ‘Saúde como Direito Humano’

Câmara dos Deputados – Seguridade Social promove debate sobre reembolso de planos de saúde ao SUS

Câmara dos Deputados – Seguridade discute revisão de protocolo nacional de hipertensão pulmonar

Senado Federal – Direito ao tratamento de doenças raras será tema de audiência pública na CAS

Senado Federal – Internação de prematuro não poderá ser descontada da licença maternidade

Senado Federal – Ana Amélia receberá prêmio concedido pelo Instituto do Câncer

Senado Federal – Reguffe critica falta de medicamentos na rede pública do Distrito Federal

Senado Federal – Comissão debaterá regulamentação do trabalho de agentes de saúde

O Estado de S.Paulo – Buscopan Composto gotas é recolhido do mercado e deixa de ser produzido

Correio Braziliense – Novo estudo genético reescreve história dos Neandertais

O Globo – Proteína ‘engana’ coração a pensar que pessoa fez exercícios físicos

G1 – SUS inclui medicamento de alto custo para pacientes em metástase do câncer de mama

G1 – Criatura não identificada ataca pés de adolescente na Austrália

Folha de S.Paulo – Opinião – Saúde pública no caminho certo

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.