TERRAS SOBEM MAIS NA ‘VELHA FRONTEIRA’ AGRÍCOLA DO BRASIL

//TERRAS SOBEM MAIS NA ‘VELHA FRONTEIRA’ AGRÍCOLA DO BRASIL
Nas regiões Sul e Sudeste, terras chegaram a ter altas de até 25% em 2017, muito acima do visto no Centro-Oeste, Norte e Nordeste do país. Na última fronteira agrícola do país, o Matopiba (confluência entre Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), houve queda no números de negócios efetivados. A região foi marcada por quebras de safras de 2014/15 e 2015/16 em decorrência de problemas climáticos. O Valor Econômico ressalta que o movimento de queda da Selic – hoje, em 7% ao ano, colaborou para que o apetite por terras começasse a reaparecer, já que juros baixos significam financiamento mais barato, e os investimentos tendem a migrar do mercado financeiro para o físico. “A valorização das terras tem ocorrido em áreas destinadas a culturas variadas no Sudeste e no Sul. Houve alta tanto nas áreas em que falta cana-de-açúcar perto de usinas em boa situação financeira, como nas voltadas a café, laranja e até mesmo soja”, afirma o Valor.

Sem choque de alimentos, inflação de 2017 ficaria no centro da meta, diz BC

Reportagem da Folha de S.Paulo enfatiza que em carta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, justificou que a inflação oficial de 2017 ficou abaixo do piso da meta principalmente por conta da forte queda no preço dos alimentos. No texto divulgado, Goldfajn afirma que o choque dos alimentos representou 83,9% do desvio do IPCA verificado em 2017, que foi de 2,95%, em relação ao piso da meta para o ano, de 3%. O objetivo para 2017 era de 4,5%, com tolerância de 1,5 ponto percentual para cima e para baixo. O texto lembrou que a queda de preços do grupo foi de 4,85% em 2017, a maior deflação da série histórica do IPCA, iniciada em 1989. Se esse grupo for excluído dos dados, a inflação chegaria a 4,54%. “O presidente do BC explicou que a autoridade monetária não reagiu a essa redução com elevação de juros porque não cabe ao banco inflacionar os preços sobre os quais têm mais controle para controlar choque no preço de alimentos”, frisa a reportagem.

Ibama autua 2 mil empresas do setor madeireiro por fraudes no pagamento da Taxa de Fiscalização e Controle Ambiental

Operação realizada pelo Ibama para combater fraudes no pagamento da Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental por empreendimentos madeireiros na Amazônia resultou até o momento na aplicação de 2.255 autos de infração por declarações falsas em sistemas oficiais de controle. As multas totalizam cerca de R$ 7 milhões. Conforme o portal do Ibama, as empresas autuadas movimentavam volumes de produtos florestais superiores aos declarados no sistema do Cadastro Técnico Federal. Para comprovar as irregularidades, agentes ambientais cruzaram dados de movimentação de madeira nos sistemas de controle florestal e do CTF nos últimos cinco anos. Das 3.516 empresas investigadas, 2.110 foram autuadas. Todas as empresas em situação irregular foram notificadas pelo Ibama e devem alterar o porte econômico informado no Cadastro Técnico Federal. As fraudes identificadas foram comunicadas ao MPF, à Receita Federal e às secretarias estaduais de Fazenda e de Meio Ambiente para a adoção das medidas administrativas e judiciais previstas em lei.

Após 2 fases da Deriva, MPF pede restrição em serviços de aviação agrícola

Após as duas fases da Operação Deriva, que investigou as atividades de empresas aeroagrícolas em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná, Ministério Público Federal recomendou ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que deixe de conceder novas autorizações para prestação de serviços de aviação agrícola por empresas que não estejam licenciadas no órgão ambiental estadual. De acordo com o site Correio do Ar, a sugestão pede ainda, a revisão de concessões já expedidas. “Documento com as recomendações foi assinado pelos procuradores da República que integram o Grupo de Trabalho 4CCR-MPF (Agrotóxicos e Transgênicos da Câmara de Meio Ambiente do MPF) e remetido para as 27 superintendências do Mapa pelo Brasil”, diz a publicação.

NA IMPRENSA
Mapa – Maiores feiras internacionais terão a presença do Pavilhão Brasil em 2018

Embrapa – Aplicativo de maquete virtual de ILPF já está disponível para IOS

Ibama – Ibama autua 2 mil empresas do setor madeireiro por fraudes no pagamento da Taxa de Fiscalização e Controle Ambiental (TCFA)

ALESP – Projeto pode estimular a produção de alimentos orgânicos no Estado

Senado Federal – Temer sanciona com vetos programa de renegociação de dívidas rurais

Senado Federal – Dia Nacional do Zootecnista será comemorado em 13 de maio

Folha de S.Paulo – Sem choque de alimentos, inflação de 2017 ficaria no centro da meta, diz BC

Correio do Ar – Após 2 fases da Deriva, MPF pede restrição em serviços de aviação agrícola

Portal do Correio – Deputado paraibano defende revisão no limite de agrotóxicos no país

Portal do Agronegócio – Cafeicultor investe em irrigação eficiente e espera aumentar produtividade em 40%

Valor Econômico – Cade já aprovou aquisição das ações da Ciapar pela Amaggi

Valor Econômico – Aporte em startups do campo dobra nos EUA

Valor Econômico – Cultivo de soja em área desmatada da Amazônia cresceu 27%

Valor Econômico – Terras sobem mais na ‘velha fronteira’ agrícola do Brasil

Valor Econômico – Índice de preços dos alimentos da FAO sobe 8,2% em 2017

Valor Econômico – Conab eleva estimativa para grãos a 227,95 milhões de t em 2017/18

Valor Econômico – Receita da divisão agrícola da CHS recua 32,2% no 1º trimestre

Zero Hora – Movimento avalia ocupação de cooperativa em Ijuí

Zero Hora – Emater estima redução de 20% nas safras de frutas na Serra na colheita 2017/2018

Zero Hora – Planalto barra desconto a multas na negociação do Funrural

Zero Hora – Foi dada largada na colheita de uva e de ameixa em Porto Alegre

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.