TABACO MATA 7 MILHÕES DE PESSOAS E CAUSA PREJUÍZO DE US$ 1,4 TRILHÃO

//TABACO MATA 7 MILHÕES DE PESSOAS E CAUSA PREJUÍZO DE US$ 1,4 TRILHÃO

O consumo de tabaco mata anualmente mais de 7 milhões de pessoas e causa perdas de US$ 1,4 trilhão a famílias e governos com gastos dos sistemas de saúde e perda de produtividade, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) na terça-feira (30), ao registrar o Dia Mundial sem tabaco, celebrado nesta quarta-feira (31). Conforme reportagem do jornal Valor Econômico, no Brasil, uma pesquisa acadêmica de 2015 calculou que o custo total para o sistema de saúde atribuível ao tabagismo passava de R$ 23,3 bilhões por ano. A OMS diz que no Brasil, segundo maior produtor de folha de tabaco do mundo, a agricultura de tabaco é agora um dos principais usuários da terra, causando perdas de vegetação, ao lado de soja e trigo. “O tabagismo ameaça todos nós”, afirmou a diretora-geral da OMS. “Tabagismo exacerba a pobreza, reduz a produtividade da economia e contribui para escolhas de alimentos piores, além de poluir o ambiente”. “Em algumas cidades da Suíça, os governos atacam agora inclusive o consumidor que joga resto de cigarro na rua. A multa pode ser salgada”, completa a reportagem.

Ministério da Saúde libera recursos para estados que possuem fila única

Os estados brasileiros que já possuem fila única para realização de cirurgias eletivas já têm recurso garantido. O Ministério da Saúde liberou na segunda-feira (29) R$ 250 milhões para que os gestores possam organizar a realização de mais cirurgias, uma vez que esses procedimentos já são realizados na rotina de cada hospital, é o que destaca a divulgação do Ministério da Saúde em seu portal. A medida visa garantir que os gestores consigam realizar mutirões, diminuindo o tempo de espera dos pacientes que aguardam na fila. Para fazer jus ao recurso, estados e municípios deverão, obrigatoriamente, estar com a fila única atualizada e cadastrada junto ao Governo Federal, o que dará mais transparência e agilidade ao atendimento dos pacientes, que muitas vezes ficam sujeitos à lista de espera de um único hospital e deixam de concorrer às vagas disponíveis em outras unidades de saúde da região. “Para organizar melhor todo esse processo, a fila única também estará vinculada ao CPF de cada paciente e o valor somente será pago ao gestor local após o procedimento ter sido efetivamente realizado”, destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Centro Boldrini espalha outdoors após governo trocar remédio para leucemia

“A vida da criança não tem preço. Medicamento, só com eficácia comprovada”, diz um outdoor que faz parte de uma campanha do Centro Boldrini, referência na América Latina no combate ao câncer infantil. A iniciativa visa chamar a atenção do Ministério da Saúde e da população sobre a importância do uso de medicamentos com eficácia comprovada. De acordo com informações do site G1, a medida foi tomada após o governo federal substituir a importação da asparaginase alemã, que era usada pelo hospital de Campinas (SP) para combater a Leucemia Linfóide Aguda (LLA), pelo remédio chinês Leuginase, que tem a qualidade questionada por especialistas. No entanto, o Centro Boldrini afirmou ao G1 na semana passada, que enviou um ofício ao diretor do Ministério da Saúde pedindo esclarecimentos sobre a nota técnica divulgada pela instituição que descartava risco no uso do medicamento chinês Leuginase contra leucemia. “No documento, o centro cobra estudos que comprovem a eficácia do produto e afirma que a nota técnica divulgada pelo Ministério da Saúde não atende aos requisitos básicos das pesquisas científicas realizadas neste caso”, ressalta a publicação.

Workshop estimula operadoras a desenvolverem ações de promoção de saúdeA Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) noticiou sobre seu 10º Workshop de Promoção da Saúde e Prevenção de Riscos de Doenças (Promoprev), realizado no dia 24 de maio. O encontro, realizado em Brasília, contou com a participação de representantes de operadoras da região Centro-Oeste e de prestadores de serviços e outros segmentos.  Na abertura do evento, a gerente-geral de Regulação Assistencial da ANS, Raquel Lisbôa, falou sobre a trajetória da Agência no trabalho de indução à promoção de saúde e prevenção de doenças. Em seguida, a gerente de Monitoramento Assistencial, Katia Audi, apresentou os dados gerais e os desafios enfrentados pelo setor frente às transições demográfica, epidemiológica e nutricional da população brasileira e falou sobre as dificuldades das operadoras em relação à gestão de suas informações e a importância de utilizá-las como insumo estratégico para a gestão do cuidado. Também foram apresentadas experiências em Gestão do Cuidado em Saúde Mental, Estratégia de Saúde da Família na Saúde do idoso, Método Canguru no Brasil e Interface da Saúde Ocupacional e Assistencial. “Após as exposições e debates sobre os temas, foram realizadas discussões em grupo, em que foram destacados os pontos de dificuldade e estratégias para obter escala em programas de Promoprev”, diz parte da notícia da Agência.

 

SAÚDE NA IMPRENSA 

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde libera recursos para estados que possuem fila única

Ministério da Saúde – Saúde indígena vai receber R$ 1,6 bilhão de reais até o final de 2017

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde e INCA divulgam gastos com despesas médicas relacionadas ao tabagismo

Anvisa – Anvisa realiza Conferências Livres para a 1ª CNVS

Anvisa – Anvisa comemora o Dia Mundial sem Tabaco 2017

ANS – Workshop estimula operadoras a desenvolverem ações de promoção de saúde

Inca – Dia Mundial sem Tabaco: ISAGS promove evento para discutir os custos do uso do tabaco para o desenvolvimento dos países sul-americanos

Inca – O peso econômico e global do consumo de tabaco é enorme afirma o Instituto Nacional de Saúde dos EUA

Fiocruz – Sistema mapeia padrão público de financiamento no Diário Oficial da União

Fiocruz – Brasil lança campanha de incentivo à doação de leite materno

Fiocruz – IOC faz 117 anos e convida para atividades (30 e 31/5)

Fiocruz – Fiocruz reúne especialistas para combater a hanseníase

Fiocruz – Zika: Fiocruz irá desenvolver cursos on-line sobre atendimento

Câmara dos Deputados – Projeto prevê empréstimos subsidiados para santas casas e filantrópicas

Câmara dos Deputados – Criada comissão especial para analisar programa de auxílio financeiro a santas casas

Câmara dos Deputados – Profissionais de naturologia defendem regulamentação da atividade

Folha de S.Paulo – Congresso derruba veto de Temer a ISS e plano de saúde pode encarecer

Folha de S.Paulo – Gabriel Alves – Cadê a Cura? – Médicos querem ampliar o uso de emagrecedores e resgatar drogas ‘banidas’ pela Anvisa

Folha de S.Paulo – Instagram é a pior rede social para saúde mental de jovens, diz pesquisa

O Estado de S.Paulo – Anthony Wong, Dráuzio e Wagner Gattaz são escolhidos para ‘comitê de notáveis’ contra drogas

O Estado de S.Paulo – Gêmeos podem dar pistas dos males causados pelo vírus zika

O Estado de S.Paulo – Dráuzio Varella diz que não faz parte do ‘comitê de notáveis’ contra drogas

Valor Econômico – Tabaco mata 7 milhões de pessoas e causa prejuízo de US$ 1,4 trilhão 

G1 – Doenças do coração também atingem crianças e jovens

G1 – Cientistas ‘turbinam’ antibiótico para combater resistência bacteriana

G1 – Centro Boldrini espalha outdoors após governo trocar remédio para leucemia; ‘Vida da criança não tem preço’

G1 – Zika sai dos holofotes, mas as sequelas ficam

G1 – Carne vermelha está ligada a maior risco de morte por várias causas, diz estudo

G1 – Pagar tratamento para largar cigarro pode ser mais barato que continuar fumando, diz médica

Correio Braziliense – OMS alerta que mortes por cigarro aumentaram para 7 milhões por ano

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.