SAÚDE É O PROBLEMA MAIS CITADO PELOS ELEITORES NOS ESTADOS DO PAÍS, APONTAM PESQUISAS IBOPE

//SAÚDE É O PROBLEMA MAIS CITADO PELOS ELEITORES NOS ESTADOS DO PAÍS, APONTAM PESQUISAS IBOPE

A saúde aparece como o problema mais citado pelos eleitores de estados e do Distrito Federal, segundo pesquisas realizadas pelo Ibope neste mês de agosto. De acordo com o G1, mesmo se considerada a margem de erro, de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, a saúde fica com o 1º lugar em número de menções em todos os locais pesquisados. Numericamente, ao menos 70% dos eleitores declaram a saúde como uma das três áreas que a população dos estados enfrentam maiores problemas, exceto em Alagoas, onde ela é citada por 42% dos entrevistados. “O maior índice é verificado no Rio Grande do Norte (89%), seguido de Rondônia (84%) e Amazonas (83%)”, afirma a notícia. As outras duas áreas mais apontadas foram educação e segurança pública, sempre com uma diferença maior que a margem de erro para as demais, exceto em dois estados.

 

Editorial destaca a necessidade de reformas para preservar o SUS

 

Editorial do jornal Folha de S.Paulo exalta o SUS como um pequeno milagre, pois “o Brasil, afinal, está entre os poucos países de renda média a oferecer cobertura universal no setor”. O SUS inclui ainda um bom programa de imunização, fornecendo todas as vacinas internacionalmente recomendadas, e o maior modelo público de transplantes de órgãos do mundo. Por outro lado, a publicação destaca que não faltam razões para pessimismo, porém. A saúde costuma figurar como principal queixa dos eleitores quanto aos serviços do Estado. Os esforços precisam se concentrar, assim, no combate às ineficiências do SUS. A medida proporcionaria melhor atendimento a cada cidadão, bem como permitiria padronizar os dados a respeito de incidência de doenças. Apesar de haver atualmente um esforço estatístico razoável, a qualidade das informações ainda é muito desigual. “Por fim, dado que o Brasil na prática conta com um sistema misto de saúde, há que buscar um balanceamento mais adequado de despesas públicas e privadas”, enfatiza o editorial.

 

Com dificuldades de acessar SUS, Sanofi descarta aportes em fábricas

 

A dificuldade de fornecer produtos de alta tecnologia para o SUS é um dos fatores que mais atrasam a inovação da indústria farmacêutica no Brasil, segundo Pius Hornstein, à frente da fabricante Sanofi no país. Conforme a coluna Mercado Aberto, do jornal Folha de S.Paulo, a empresa tem uma série de novos itens previstos para o mercado brasileiro, como por exemplo, começa a vender ainda neste mês um medicamento para diabetes tipo 2 e, em 2019, planeja lançar um imunoterápico para câncer de pele. Ainda assim, não tem conseguido comercializar fármacos de alta complexidade para o governo. A exceção é um tratamento para esclerose múltipla. “O país está bem atrasado em relação à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico no que se refere a novos tratamentos”, diz Hornstein. “Muitas empresas não querem lançar aqui porque demora seis ou sete anos para ser incluído na lista do SUS. A longo prazo, isso não é bom porque resulta em menos inovação. Os pacientes merecem o mesmo acesso que há no México ou na Turquia”, afirma.

 

Desenvolvimento de biossimilares deve ampliar acesso a terapias avançadas

 

O jornal O Globo destacou que diabéticos tinham que usar insulina derivada de animais para sobreviver, pacientes de algumas doenças autoimunes se resignar com uma progressiva e irrefreável deterioração de sua situação e vítimas de certos tipos de câncer com uma morte dolorosa no curto prazo. Avanços na biotecnologia e engenharia genética, no entanto, abriram caminho para o desenvolvimento de diversas terapias inéditas para algumas dessas condições que revolucionaram seu tratamento. São os medicamentos biológicos, que nos últimos anos melhoraram a qualidade de vida e deram esperança de cura, ou ao menos de maior sobrevida, a milhões de pessoas em todo mundo. Número que deve aumentar muito nos próximos anos à medida que as patentes destes medicamentos vão “caducando” e chegam ao mercado os chamados biossimilares. Espécie de “genéricos” dos medicamentos biológicos, os biossimilares têm o potencial de revolucionar o mercado dessas drogas e por isso são alvo de pesados investimentos de gigantes da indústria farmacêutica. “Usados do controle do diabetes ao tratamento do câncer, os biológicos estão entre as drogas mais caras do planeta, com um mercado que passou de US$ 200 bilhões, ou 25% da receita total do setor farmacêutico, em 2016, e a perspectiva de dobrar de tamanho e chegar à casa dos US$ 400 bilhões em 2025”, salienta o jornal.

 

SAÚDE NA IMPRENSA

Ministério da Saúde – Última semana: pais e responsáveis precisam levar as crianças para vacinar

 

Ministério da Saúde – INCA é referência para projeto de cooperação com El Salvador

 

Ministério da Saúde – Prazo do Edital para submissão de trabalhos sobre resposta a emergências por desastres é prorrogado

 

Ministério da Saúde – Repasses para hospitais do Rio de Janeiro somam R$ 1,1 bilhão

 

Ministério da Saúde – Medicamentos biológicos são tema de enquete pública

 

Ministério da Saúde – SESAI incentiva indígenas para a amamentação materna

 

SUS Conecta – Senado: CNS defende que assédio moral seja crime no Brasil

 

Anvisa – Primeiro Exercício Simulado Internacional entre Autoridades Regulatórias

 

Anvisa – Gaze e campo cirúrgico são suspensos

 

Anvisa – Proibidos dois medicamentos clandestinos

 

Anvisa – Valsartana das empresas Zhejiang e Hetero Labs tem importação suspensa

 

Anvisa – Anvisa aprova projetos para o Proadi/SUS

 

Anvisa – Aberta Enquete Pública sobre medicamentos biológicos

 

Câmara dos Deputados – Audiência debaterá situação dos planos de saúde das estatais federais

 

Senado Federal – Deficientes internados em casa poderão receber o Benefício de Prestação Continuada

 

Senado Federal – Venda de remédio sem prescrição médica será discutida na CAS

 

Senado Federal – Projeto obriga fabricantes a avisar sobre riscos do celular à saúde

 

O Estado de S.Paulo – Sorocabana deve dar lugar a hospital privado

 

O Estado de S.Paulo – Companhias contratam profissionais com autismo

 

O Estado de S.Paulo – Obesidade infantil: a culpa é de quem?

 

O Estado de S.Paulo – FCB traz ao País agência do setor de saúde

 

O Estado de S.Paulo – “Emprego apoiado busca o desenvolvimento profissional da pessoa com deficiência”

 

Folha de S.Paulo – Não existe nível seguro de consumo de álcool, mostra pesquisa

 

Folha de S.Paulo – Óleo de coco não é veneno, como diz pesquisadora dos EUA, nem panaceia

 

Folha de S.Paulo – Supervisionar a higiene bucal das crianças é fundamental para evitar cáries, aftas e doenças

 

Folha de S.Paulo – Hospital diz que 73% dos pacientes com câncer na bexiga já fumaram

 

Folha de S.Paulo – Remédio digital à base de luz é testado contra a dor por startup e HC da USP

 

Folha de S.Paulo – Mortes de macacos no litoral alertam para a volta da febre amarela

 

Folha de S.Paulo – Em reta final, campanha ainda precisa vacinar 30% das crianças de SP

 

Folha de S.Paulo – Vacina sem revolta

 

Folha de S.Paulo – Pior sem ele

 

Folha de S.Paulo – Com dificuldades de acessar SUS, Sanofi descarta aportes em fábricas

G1 – Mais de 4 milhões de crianças ainda precisam ser vacinadas pela campanha contra o sarampo e a poliomielite

 

G1 – Por que autoridades britânicas recomendam mel (e não antibióticos) contra a tosse

 

G1 – Número de jovens beneficiários de planos de saúde cai 1,5 milhão desde 2014

 

G1 – O brasileiro com problemas cardíacos que desenvolveu um gel para imprimir corações artificiais

 

G1 – Saúde é o problema mais citado pelos eleitores nos estados do país, apontam pesquisas Ibope

 

G1 – Profissionais da saúde deixam Brasília para atender venezuelanos em Roraima

 

O Globo – Bula da vacina da dengue contraindicará dose para quem nunca teve a doença

 

O Globo – Desenvolvimento de biossimilares deve ampliar acesso a terapias avançadas

 

Valor Econômico – Planos de saúde tentam amenizar derrota no STF

 

Zero Hora – Gisele Loeblein – Ação na Expointer rende R$ 10,4 mil que serão doados ao Instituto do Câncer Infantil

 

Zero Hora – Reumatismo: mais de cem doenças que podem afetar toda a mobilidade do corpo

 

Zero Hora – Aspirina pode salvar vidas em caso de infarto

 

Zero Hora – Anvisa altera indicações para uso de vacina contra a dengue

 

Zero Hora – O que é e como combater a contratura muscular

 

Zero Hora – Toxoplasmose em Santa Maria: aumenta para 703 o número de casos confirmados

 

Zero Hora – A uma semana para o fim da campanha contra o sarampo e a polio, falta vacinar 35% das crianças em Caxias

 

Zero Hora – Hospital confirma morte de bebê venezuelano com sarampo em Belém

 

Correio Braziliense – Líderes da ONU realizam cúpula para tratar o problema da tuberculose

 

Correio Braziliense – Próximo presidente terá na saúde a maior preocupação dos brasileiros

 

Correio Braziliense – Americanos criam retina capaz de levar imagens dos olhos ao cérebro

 

A Tribuna – Ainda desconhecida, esclerose múltipla causa fraqueza muscular e dificuldade nos movimentos

 

Jornal de Brasília – Profissionais de saúde se reúnem em Brasília para falar sobre o combate ao câncer

 

ASMETRO – Justiça revisa decisões de ações contra plano de saúde

 

Gazeta Norte Mineira – McDia Feliz teve renda para hospital infantil do câncer

 

Panorama Farmacêutico – Grupo Polar apresenta novo herói para combater a poliomielite e o sarampo

 

Panorama Farmacêutico – Lei de Proteção de Dados será desafio para empresas e órgãos do governo

 

R7 – Morre o senador republicano John McCain, vítima de tumor no cérebro

 

______________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.