SAFRA RECORDE ESTÁ INDO PARA O RALO, AFIRMA O MINISTRO BLAIRO MAGGI

//SAFRA RECORDE ESTÁ INDO PARA O RALO, AFIRMA O MINISTRO BLAIRO MAGGI
O jornal O Estado de S.Paulo destaca, nesta sexta-feira (3), que bastou chover um pouco mais do que o esperado e parte da supersafra brasileira de soja corre o risco de não conseguir chegar aos portos. Conforme a publicação, ela está encalhada nos 100 km não asfaltados da BR-163, a rodovia que é hoje a principal ligação entre uma grande zona produtora do grão, no Mato Grosso, e os portos do Norte do País. “Dinheiro que estava na mesa, de uma grande colheita, está indo para o ralo, nos buracos das estradas”, afirmou à reportagem o ministro da Agricultura, Blairo Maggi. “Ele informou que 11 navios que estavam no Porto de Belém esperando carga de soja já foram desviados para portos do Sul do País. Os produtores tiveram prejuízo de US$ 6 milhões só com a ‘demurrage’, a taxa paga pela permanência das embarcações. A carga desviada, por sua vez, poderá sobrecarregar portos como Santos (SP) e Paranaguá (PR). No total, o setor estima que o prejuízo nessa safra será de R$ 350 milhões, segundo informou o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), Carlo Lovatelli”, diz a publicação.

China suspende produção de agroquímicos

A China vai fechar todas as unidades produtoras de agroquímicos que usam matérias-primas que podem colaborar com a emissão de poluentes durante o período do inverno, informou um órgão estatal nesta sexta-feira (3), à medida que o país intensifica sua guerra contra a poluição. Conforme publicado pelo site Notícias Agrícolas, a proibição aplica-se a 28 das cidades mais poluídas da China. “Fertilizantes e produtores de pesticidas são autorizados a funcionar em sua capacidade normal durante a estação de plantio de primavera. As regiões chinesas estão autorizadas a vender fertilizantes a partir de reservas comerciais para evitar aumentos acentuados de preços, disse o órgão”, ressalta o texto.

Índice de preços da FAO

O índice de preços de alimentos da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) ficou em 175,5 pontos em fevereiro, 0,5% acima do indicador revisado de janeiro e 17,2% mais que no mesmo mês de 2016. O jornal Valor Econômico destaca que o índice, que representa uma cesta de produtos comercializados em todo o mundo, atingiu o maior valor desde fevereiro de 2015. À exceção dos óleos vegetais, todos os alimentos tiveram alta no mês passado, segundo a FAO, com destaque para os cereais, que subiram 2,5% e chegaram ao maior valor desde junho de 2016. “As cotações do trigo aumentaram 3% devido à maior intensidade no comércio mundial e problemas logísticos nos EUA. O milho e o arroz mantiveram os preços em alta em função de uma demanda forte”, afirma a FAO.

NA IMPRENSA
Mapa – Fila de caminhões no Pará deve ser zerada até esta sexta-feira

Embrapa – A soja se expande em Rondônia e produtores têm acesso a tecnologias para melhorar a produção

Ibama – Ibama e MMA lançam Sinaflor nesta terça-feira

Succesful Farming – Exportações de soja em grão cresceram 107,2% em fevereiro

Jornal do Ar – Aviação doméstica brasileira perde 7 milhões de passageiros em um ano

Notícias Agrícolas – China fechará temporariamente fábricas de agroquímicos para combater poluição

Campo Grande News – Carga com 400 kg de agrotóxico contrabandeado é apreendida em caminhonete

Panrotas – Pequenos aeroportos sofrem com queda em conexões

Panrotas – Passaredo anuncia troca de Galeão por Santos Dumont

Panrotas – Conheça a nova aeronave da Gol para a seleção brasileira

Panrotas – A380 Emirates terá bar com cortina à prova de som

Folha de S.Paulo – Civilizações pré-colombianas moldaram vegetação da Amazônia

Folha de S.Paulo – Dono da Avianca rebate ataques de sócio minoritário

O Estado de S.Paulo – Safra recorde está indo ‘para o ralo’, diz Maggi

O Estado de S.Paulo – Brasil revê rotina de voos às Malvinas

O Estado de S.Paulo – Anac pode rever cobrança de bagagem se preço das passagens aéreas não cair

Valor Econômico – TAP lucra € 34 milhões após 2 anos de perdas

Valor Econômico – Em Rio Verde, Goiás, é a soja que pede passagem

Valor Econômico – Índice de preços da FAO é o maior em 2 anos

Valor Econômico – Mais um trecho da BR-163 é liberado para caminhões

Brasil 247 – Por que a cerveja brasileira é tão ruim? Milho transgênico

Sul 21 – Estudo identifica agrotóxicos mais frequentes em alimentos consumidos no Brasil

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.