QUESTIONADA PELA CIÊNCIA, TERAPIA COM OZÔNIO GANHA ESPAÇO EM CONSULTÓRIOS

//QUESTIONADA PELA CIÊNCIA, TERAPIA COM OZÔNIO GANHA ESPAÇO EM CONSULTÓRIOS

G1 destacou que um tratamento questionado pela ciência está ganhando espaço em consultórios pelo Brasil. Adeptos da ozonioterapia acreditam que a técnica pode curar doenças graves, como o câncer e a Aids, mas não há pesquisa que comprove esses resultados. De acordo com a reportagem do G1, o Conselho Federal de Medicina (CFM) vai publicar nesta semana, resolução que permite o uso da ozonioterapia somente em experimentos científicos. Nenhum médico poderá oferecer como tratamento, nem cobrar por isso, pois não há comprovação de cura de doenças. Segundo o conselheiro do CFM, Leonardo Luz, “nós analisamos 26 mil artigos, onde a estimativa de benefício foi ínfima e houveram estimativas de riscos graves”. Ao contrário do CFM, as autarquias que regulamentam as profissões de enfermeiros e cirurgiões dentistas, Conselho Federal de Enfermagem e Conselho Federal de Odontologia, permitem o uso da ozonioterapia em alguns casos. “Nós usamos o ozônio em alguns pacientes que fazem tratamento oncológico para minimizar os efeitos colaterais e acelerar a cicatrização de alguma cirurgia, mas nunca usamos na intenção de cura do câncer”, afirma Ana Laura Soares, cirurgiã-dentista do Hospital Oswaldo Cruz.

 

Cirurgia bariátrica cresce 47% em cinco anos no Brasil

 

O número de cirurgias bariátricas realizadas no Brasil no último ano chegou aos 105,6 mil, crescimento de 47% em relação ao ano de 2012, quando foram feitos 72 mil procedimentos. Os dados são da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM). Segundo a Folha de S.Paulo, o aumento foi principalmente no setor privado, mas no SUS, que faz 9,8% do total de operações, também houve crescimento: 16,8% em relação ao último ano e 224% em relação a 2008, segundo o Ministério da Saúde. Tendo em vista todo esse cenário, segundo o presidente da SBCBM, o cirurgião Caetano Marchesini, o crescimento poderia ter sido ainda maior se não fosse pela crise econômica. Há, no entanto, um problema no cálculo da SBCBM de pessoas que precisariam da cirurgia bariátrica, segundo o professor de endocrinologia da Unicamp Bruno Geloneze. “Para indicar a cirurgia é necessário, além de estar em uma faixa de peso ou de ter determinadas doenças, haver uma falência do tratamento clínico por dois anos. Talvez menos de 1% desses 5 milhões seja de fato apto. O grande problema é que a cirurgia cresceu no índice de massa corporal mais baixa, faixa na qual o tratamento clínico tem mais chance de funcionar.”

 

7% dos pacientes vão adquirir infecção hospitalar durante internação, aponta relatório

 

Em países de renda alta, 7% dos pacientes internados vão adquirir alguma infecção durante a internação hospitalar. Esse índice sobe para 10% em países de renda baixa. O dado é de relatório do Bando Mundial, Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado na noite de quinta-feira (5). É o que informa o G1. “Isso acontece apesar das infecções hospitalares serem facilmente evitadas com uma melhor higiene, melhores práticas de controle de infecções e uso apropriado de produtos antimicrobianos”, diz o documento. O relatório das entidades faz uma análise da assistência à saúde em todo o mundo e aponta para o custo global da má-assistência. “De modo geral, diz o documento, erros de medicação, tratamento desnecessário ou inadequado, práticas clinicas inseguras e falta de treinamento de profissionais de saúde é uma realidade em todos os países do mundo”, informa a notícia.

 

Planos de saúde não são obrigados a custear fertilização in vitro

 

Os planos de saúde não têm obrigação de custear tratamento de inseminação artificial por meio da técnica de fertilização in vitro. De acordo com o jornal O Globo, essa foi a decisão da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), reafirmando o entendimento dado pelo colegiado em julgado em novembro do ano passado. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) havia decidido a favor de um casal que recorreu à Justiça para que a Unimed de Barretos custeasse o tratamento de fertilização assistida. Pelo entendimento do tribunal paulista, o plano de saúde seria obrigado a oferecer atendimento nos casos de planejamento familiar, o que incluiria a inseminação artificial. A relatora do recurso no STJ, ministra Nancy Andrighi, afirmou, no entanto, que a Lei 9.656/98 (Lei dos Planos de Saúde) excluiu do plano-referência a inseminação artificial dentro do contexto de atenção ao planejamento familiar De acordo com a ministra, “é preciso ter claro que a técnica de fertilização in vitro consiste num procedimento artificial expressamente excluído do plano-referência em assistência à saúde, nos exatos termos do artigo 10, inciso III, da Lei dos Planos de Saúde”.

 

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Saúde investe R$ 131,8 milhões para fortalecer assistência na Bahia 

 

ANS – Regras para o período eleitoral 2018

 

Anvisa – Anvisa vai zerar fila para registro de genéricos

 

Anvisa – Critérios microbiológicos de segurança e higiene para alimentos

 

Anvisa – Três medicamentos suspensos por problemas de qualidade

 

ALESP – Guaraci vai investir em ambulância

 

Câmara dos Deputados – Seguridade aprova criação de plano de longo prazo para saúde pública

 

Estado de S.Paulo – Teste de vacina contra HIV tem bons resultados

 

Estado de S.Paulo – Mulher diagnosticada com câncer terminal vende relíquias de família, mas descobre que vai viver

 

Estado de S.Paulo – Estudo relaciona vírus ao Alzheimer

 

Estado de S.Paulo – Na Califórnia, alimentação se torna tratamento para doenças crônicas

 

Estado de S.Paulo – Leitora cobra reembolso de plano de saúde

 

Estado de S.Paulo – Secretaria de Saúde confirma dois casos de sarampo no RJ

 

Estado de S.Paulo – Planos de saúde: é hora de ter bom senso

 

Folha de S.Paulo – Pai cria app para filha com paralisia se comunicar: ‘Ali mora uma pessoa’

 

Folha de S.Paulo – Patrocínio da indústria farmacêutica faz Fifa parecer anjo, diz médico

 

Folha de S.Paulo – Cirurgia bariátrica cresce 47% em cinco anos no Brasil

 

G1 – Questionada pela ciência, terapia com ozônio ganha espaço em consultórios

 

G1 – Sarampo: 13 casos da doença são investigados pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio

 

G1 – Postos abrem no sábado e no feriado para vacinar contra gripe e febre amarela em SP

 

G1 – Campanha de vacinação contra sarampo e pólio inicia na segunda-feira, 9, em Porto Velho

 

G1 – Brasileiro cria aplicativo para se comunicar com filha que tem paralisia cerebral

 

G1 – Alunos da UFPR adaptam livros sobre o folclore nacional para crianças cegas e surdas de Curitiba

 

G1 – Mãe de bebê de 7 meses morto no AM por sarampo faz alerta: ‘se tivesse tomado vacina, estaria vivo’

 

G1 – Brasil tem 62 mortes por dengue em 2018

 

G1 – 7% dos pacientes vão adquirir infecção hospitalar durante internação, aponta relatório

 

G1 – Brasil tem 62 mortes por dengue em 2018

 

G1 – Vacina contra o HIV é testada em 5 países e protege mais de 67% dos macacos

 

G1 – Teste para detectar predisposição ao Alzheimer provoca polêmica

 

G1 – USP alerta para alterações hormonais e outras doenças por uso excessivo de plásticos e cosméticos

 

G1 – ‘Aposentadas’ por antibióticos, larvas de mosca voltam a ser usadas para tratar feridas crônicas

 

G1 – Dieta mediterrânea reduz o risco de doenças cardíacas

 

O Globo – Vacina contra o HPV cura câncer de pele em paciente

 

O Globo – Regime vacinal experimental contra HIV tem resultados promissores em macacos e humanos

 

O Globo – Queda na cobertura vacinal acende alerta para volta de ‘doenças do passado’

 

O Globo – ‘É como mergulhar na idade das trevas’, diz virologista sobre volta do sarampo

 

O Globo – ‘Eu tive pólio. A vacina deve ser valorizada todos os dias’, diz carioca de 78 anos que ficou com paralisia

 

O Globo – Planos de saúde não são obrigados a custear fertilização in vitro

 

O Globo – Secretaria de Saúde confirma dois casos de sarampo no Rio

 

O Globo – Hospital São Lucas instalará núcleo de especialidades no Shopping da Gávea

 

O Globo – PM aumenta gastos com medicamentos de tarja preta

 

O Globo – Hospital de Bonsucesso enfrenta crise, e pacientes sofrem sem leitos

 

Zero Hora – Protozoário encontrado em caixa d’água não elucida o surto de toxoplasmose, diz secretário de Saúde do RS

 

Zero Hora – Cobertura vacinal contra a poliomielite diminui em Caxias do Sul

 

Zero Hora – Teste genético on-line descobre uma mutação perigosa, mas pode haver um erro

 

Zero Hora – Decisão da Justiça muda, mais uma vez, gestor do Hospital Restinga e Extremo-Sul

 

Zero Hora – O que são os antioxidantes

 

Valor Econômico – Surto de ebola no Congo foi contido em grande parte, diz OMS

 

Correio Braziliense – Cientistas dão passo promissor em direção a vacina contra o HIV

 

Correio Braziliense – Teste de vacina contra HIV tem bons resultados em humanos e macacos

 

Correio Braziliense – Doenças erradicadas criam falsa sensação de que vacina é desnecessária

 

Correio Braziliense – MPF cobra 312 cidades sobre risco de retorno da poliomielite

 

Correio – 50 cidades baianas recebem reforço de R$ 131,8 milhões na saúde

 

O Nortão – Pacientes com doença rara em Cuiabá estão sem remédio para tratamento após suspensão da Anvisa

 

O Nortão – Médicos especialistas discutem inovações para o tratamento do câncer de próstata

 

Nações Unidas – São Paulo renova compromisso com metas da ONU sobre HIV e AIDS

 

Dourados Agora – Ministério da Saúde anuncia medidas para eliminar hepatite C até 2030

 

______________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.