QUANDO O REMÉDIO CHEGA TARDE DEMAIS

//QUANDO O REMÉDIO CHEGA TARDE DEMAIS

Estado de S.Paulo destacou que atraso na entrega de medicamentos pelo governo federal leva à morte de pacientes com doenças raras. Wellinton Gross enfrentou a operação, marcada às pressas por causa de uma complicação no duodeno, mais um reflexo da falta de tratamento adequado. Gross morreu em outubro, dias depois da cirurgia e após meses lutando para receber de forma constante o medicamento Eculizumab, usado para controlar uma doença rara conhecida como Hemoglobinúria Paroxística Noturna, que afeta as células-tronco. Associações de familiares e de pacientes com doenças raras estimam que cerca de 500 pessoas enfrentam atualmente problemas de atraso no fornecimento de remédios como o vivido por Gross. “Agora, familiares de pacientes que morreram depois de esperar meses pelas drogas, mesmo com direito assegurado por liminares, preparam-se para processar a União”, destaca a notícia.

 

Outro lado da crise da saúde

 

Levantamento feito pela Federação Brasileira de Hospitais mostra que a situação da saúde no País é pior do que se imaginava. Conforme o Estado de S.Paulo, é lastimável o que se passa na rede pública que vem perdendo um grande número de leitos hospitalares nos últimos anos. Entre as várias causas que explicam uma perda tão grande está o fato de, no Brasil, mais da metade dos hospitais privados ter até 50 leitos. Outra causa apontada pela Federação para a difícil situação enfrentada por uma parte importante da rede hospitalar privada, trata-se da remuneração paga pelo SUS aos hospitais privados e filantrópicos para atender pacientes da rede pública. Essas instituições, distribuídas por todo o País são um elemento essencial da rede pública de saúde. Foi para evitar seu colapso que se criou para ela um programa de financiamento em condições favoráveis, que vai empregar R$ 10 bilhões em cinco anos. “É uma medida de emergência, porque a solução definitiva só virá com a correção da tabela do SUS, que as obriga a se endividarem em bancos, a juros escorchantes, e que também colaborou para a perda de 31,4 mil leitos dos hospitais privados”, informa a nota.

 

Câncer de fígado vai além do álcool e diagnóstico tardio dificulta cenário

 

O terceiro câncer com maior índice de mortalidade no mundo faz-se necessário que a população o conheça melhor. De acordo com o Correio Braziliense, apesar dessa doença no fígado ser mais comum em países da África e do Sudeste Asiático, os casos nacionais trazem uma grande preocupação por serem diagnosticados tardiamente, quando existem poucas opções de tratamento. Um dos fatores de risco para essa doença é a esteatose, a gordura no fígado muito comum em pacientes alcoólatras e entre quem tem obesidade, diabetes, hepatites virais ou triglicérides elevados. O médico hepatologista Rogério Alves alerta para a importância dos exercícios físicos e dá dica sobre o consumo ideal do álcool. “Para evitar a gordura alcoólica é necessário seguir o recomendado pela OMS: dez doses semanais para as mulheres e quinze doses semanais para os homens, obedecendo sempre duas doses por dia no caso das mulheres ou três no caso dos homens. É necessário também ficar, ao menos, dois dias na semana sem ingestão de álcool”, alerta. Rogério também informa que as cirroses podem levar ao câncer e que nem sempre elas têm a ver com o álcool.

 

Câncer colorretal tem 90% de chance de cura se descoberto no início, diz médico

 

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima cerca de 600 mil novos casos de câncer no Brasil este ano. Os tipos de câncer mais frequentes são os de próstata, em homens, e de mama, em mulheres. Menos divulgado, o câncer colorretal vem em seguida. Segundo o portal do Sistema Brasileiro de Notícias, no Dia Mundial do Combate ao Câncer, a mensagem do chefe-substituto da Seção de Cirurgia Abdomino-Pélvica do Inca, Rodrigo Araújo, é que o câncer colorretal é uma doença facilmente curável quando descoberta no início. Segundo o Inca, a maioria desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso. Uma das formas de prevenir o aparecimento do câncer é a detecção e a remoção desses pólipos antes de eles se tornarem malignos. A recomendação para os descendentes diretos de pessoas que tiveram câncer de intestino é que comecem a fazer a colonoscopia dez anos mais jovem do que a idade que o parente teve o diagnóstico. “A principal recomendação do cirurgião oncológico do Inca como forma de prevenção à doença é a adoção de hábitos saudáveis, com uma dieta rica em fibras, composta de frutas, verduras e legumes, além da prática de atividade física regular”, afirma a publicação.

 

SAÚDE NA IMPRENSA

Ministério da Saúde – Ministério autoriza repasse de incentivo financeiro para o PRO EPS-SUS

 

Ministério da Saúde – SGTES e médicos se reúnem para acertar novo cronograma de atividades no acolhimento

 

Ministério da Saúde – NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde desenvolve ações para buscar respostas contra resistência aos antimicrobianos

 

Ministério da Saúde – Santa Catarina terá R$ 120 milhões para investir em saúde pública

 

ANS – Dia Mundial da Saúde: atenção primária e promoção da saúde em foco

 

INCA – Saúde universal é o tema do Dia Mundial da Saúde 2018

 

Fiocruz – Fiocruz recruta voluntários para pesquisa de vacina contra a dengue

 

Fiocruz – Canal Saúde divulga programação da semana

 

Anvisa – Chamamento Público identificará imóveis para sede da Anvisa

 

Anvisa – Autorização para uso de canabidiol vai chegar por e-mail

 

Anvisa – Inseminação artificial caseira: riscos e cuidados

 

Anvisa – Suspenso trâmite de registro de determinados medicamentos clones

 

ALESP – Associação de artistas deficientes organiza exposição de quadros

 

Senado Federal – Desaparecimento de crianças: Conselho de Medicina faz alerta na Comissão de Direitos Humanos

 

Estado de S.Paulo – Saúde para Todos

 

Estado de S.Paulo – Outro lado da crise da saúde

 

Estado de S.Paulo – Leitora se queixa de cancelamento indevido de plano de saúde

 

Estado de S.Paulo – Vacinação contra gripe começa na rede privada

 

Estado de S.Paulo – Quando o remédio chega tarde demais

 

Folha de S.Paulo – Cota leva 1.500 pessoas com deficiência às universidades federais

 

Folha de S.Paulo – Fundo privado para ciência empaca no Congresso e gera dúvidas no setor

 

Folha de S.Paulo – Especialista revela como é possível envelhecer com saúde

 

Folha de S.Paulo – Julio Abramczyk – A importância da vacinação contra o sarampo

 

Folha de S.Paulo – São Paulo está obesa e tem bronquite crônica, diz médico da USP

 

Folha de S.Paulo – Cadê a Cura? – Doença que afeta mais de um milhão de brasileiros, urticária crônica espontânea ainda é desconhecida

 

G1 – Paulista tem caminhada de conscientização sobre o autismo

 

G1 – Menina que vivia com corações artificiais passa por transplante no Incor de SP

 

G1 – Bem Estar fala sobre febre amarela e malária

 

G1 – Cartilha para médicos e enfermeiros tem roteiro contra dúvidas sobre quando indicar a vacina da febre amarela

 

G1 – Hospital de Barretos estuda método mais preciso contra o câncer de colo de útero

 

G1 – Médica explica o que ocorre ao corpo no fim da vida: ‘Morrer não é tão ruim quanto se pensa’

 

G1 – Folhas verdes reduzem o risco de perda de memória em até 10%

 

O Globo – ‘Dietas com alto teor de sal levam à obesidade’, diz nutricionista

 

Zero Hora – Hospital Geral de Caxias do Sul pode fechar 22% dos leitos em junho

 

Zero Hora – Confirmada morte por meningite bacteriana no interior do Estado

 

Zero Hora – David Coimbra reflete sobre a vida e a proximidade da morte em “Hoje Eu Venci o Câncer”

 

Zero Hora – “Me sinto muito mais leve”, diz jornalista David Coimbra sobre luta contra o câncer

 

Zero Hora – Câncer de rim não figura entre os mais comuns na população

 

Zero Hora – Como se vive com câncer

 

Zero Hora – Familiares do paciente com câncer devem estar disponíveis e presentes

 

Zero Hora – Sete focos de mosquito da dengue foram localizados em Caxias do Sul em 2018

 

Zero Hora – Como é feito o transplante de coração

 

Zero Hora – Criança que vivia com dois corações artificiais realiza transplante em São Paulo

 

Zero Hora – Estudo mostra que música pode potencializar tratamento contra hipertensão

 

Correio Braziliense – Estudo mostra que música pode potencializar tratamento contra hipertensão

 

Correio Braziliense – Saúde da Família se torna único modelo de atenção primária do DF

 

Correio Braziliense – Câncer de fígado vai além do álcool e diagnóstico tardio dificulta cenário

 

Correio Braziliense – Anvisa e outras entidades lutam pelo direito do consumidor saber o que come

 

Correio Braziliense – Caminhada alerta para conscientização do autismo, no Rio

 

Correio Braziliense – Doença de Chagas deixa cinco mortos no oeste da Venezuela

 

Sistema Brasileiro de Notícias – Câncer colorretal tem 90% de chance de cura se descoberto no início, diz médico

 

Panorama Farmacêutico – Pacientes com doenças raras estão sem diagnóstico e tratamento

 

____________________________________________________________________________

 

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.