PRESIDENTE MICHEL TEMER REAGE, MAS CORRE RISCO DE PERDER A BASE ALIADA

//PRESIDENTE MICHEL TEMER REAGE, MAS CORRE RISCO DE PERDER A BASE ALIADA
O portal brasileiro do El País destaca que o presidente Michel Temer corre o risco de perder a base aliada, que já chegou a quase 80% do Legislativo. O presidente fez pronunciamento, na quinta-feira (18), para afastar a possibilidade de renúncia, mas partidos como o PTN, o PPS e o PSB encaminham a saída do governo. Outros deputados e senadores de partidos aliados, como o PSDB e o DEM, também ameaçam deixar a base. “A última vez em que partidos aliados deixaram rapidamente uma base de apoio, o Brasil se deparou com a Câmara concordando com a abertura do impedimento de Dilma Rousseff, há pouco mais de um ano, e é isso que o Planalto tenta evitar”, destaca El País. Até a tarde desta sexta-feira (19), já tinham sido apresentados 12 pedidos de impeachment contra Michel Temer. No áudio, revelado na quinta-feira à noite, o empresário Joesley Batista, da JBS, conta ao presidente sua estratégia para conter o ex-deputado Eduardo Cunha e ainda revela ter agido para interferir na Operação Lava Jato por meio da cooptação de um procurador e dois juízes. Novas informações sobre a delação, reveladas nesta quinta-feira (19), revelam que a JBS pagou nos últimos anos R$ 400 milhões em propina a políticos e servidores públicos. “A lista, segundo Joesley, inclui senadores, deputados e presidentes da República”, destaca o jornal O Estado de S.Paulo.

Um ministro da Saúde a cada 14 meses

Ricardo Noblat, em seu blog, publica nota, nesta sexta-feira (19), afirmando que o cargo de ministro da Saúde estará vago em breve. Ele não se refere à crise provocada pela delação da JBS, mas a informações que teria recebido sobre Ricardo Barros. A publicação, no entanto, não traz detalhes sobre a situação do ministro, focando em críticas à atuação de Ricardo Barros. “Esse emprego, muito disputado, é uma indicação direta do presidente da república. Seu ocupante tem a responsabilidade de cuidar do maior orçamento entre todos os outros ministérios. Em média, a cada 14 meses troca-se de ministro nessa pasta. Por que será que é tão alta a rotatividade no cargo?”, questiona Noblat.

Brasil fica em 89º lugar em pesquisa sobre qualidade e acesso à saúde

Doenças como sarampo, epilepsia e apendicite já têm métodos de prevenção e tratamento amplamente conhecidos mas, ainda assim, levam a milhares de mortes a cada ano no mundo. O jornal O Globo destaca um levantamento publicado na tarde de quinta-feira (18) no periódico médico internacional “The Lancet”, em que pesquisadores fizeram pela primeira vez um diagnóstico desta mortalidade “evitável” em todo o mundo. Em um índice que vai de 0 a 100 — em que 100 representa os melhores resultados — e se baseia no tratamento de 32 causas de morte evitáveis, o Brasil teve, em 2015, pontuação 64,9. É um avanço em relação à métrica de 1990, de 50,1 pontos, mas o país fica atrás de vizinhos da América Latina como Chile, Uruguai e Argentina e apenas uma colocação à frente da Venezuela. O Brasil tem bons índices em doenças que podem ser prevenidas com vacinação, como a difteria (na qual o país tem o melhor índice, de 100) e o sarampo (99). Os pontos mais frágeis, porém, são os distúrbios neonatais (41), infecções respiratórias no trato inferior (43) e doenças biliares e da vesícula (44).

Einstein realiza fórum para discutir acesso a medicamentos

O Hospital Israelita Albert Einstein realiza, com o apoio da Folha, a primeira edição do Fórum Einstein Pelo Acesso a Medicamentos na quarta-feira (24). “A primeira mesa do fórum tratará do acesso e da qualidade de medicamentos, com discussão sobre drogas clássicas e baratas que foram retiradas do mercado e remédios caros e inacessíveis. Na mesa seguinte, profissionais falam sobre o papel da indústria e de agências reguladoras. Ao final, haverá um debate sobre judicialização. O fórum reunirá instituições de saúde, governo, organizações da indústria farmacêutica, associações de pacientes e também ONGs. A mediação dos debates será da repórter especial do jornal Cláudia Collucci. O coordenador de hematologia e transplante de medula do Einstein, Nelson Hamerschlak, encerrará o evento”, destaca a reportagem da Folha de S.Paulo.

SAÚDE NA IMPRENSA
Câmara dos Deputados – Procurador cita avanços da medicina para cuidar de prematuros

Senado Federal – Perícia médica e benefícios previdenciários serão tema de debate na próxima segunda

O Estado de S.Paulo – OMS promete não subestimar novo surto de Ebola na República Democrática do Congo

O Estado de S.Paulo – Ceará relata queimaduras em bebês vítimas de chikungunya

Folha de S.Paulo – Comadre de papel reciclado começa a ser testada em hospitais do país

Folha de S.Paulo – Einstein realiza fórum para discutir acesso a medicamentos

O Globo – Blog do Noblat – Procura-se um novo ministro da saúde

O Globo – Brasil fica em 89º lugar em pesquisa sobre qualidade e acesso à saúde

O Globo – Estudo mostra que é possível se infectar com zika, dengue e chicungunha ao mesmo tempo

Repórter News – PF prende acusados de fraudar licitações

Max Press – AbbVie Anuncia Resultados Positivos de Pesquisa Clínica de Fase 2 com Novo Tratamento Oral (Upadacitinibe) em Estudo para Doença de Crohn

T1 Notícias – Palmas chega aos 28 anos com 100% de cobertura na Atenção Básica e 86% de cobertura em Saúde Bucal

SBPPC – Estimulação cerebral profunda pode ser alternativa contra ansiedade

Notícia da Manhã – Sinval será vice-presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Farmácia Popular

Jornal Jurid – Medicamento de altos custos e a concreção do Direito à Saúde: os “medicamentos órfãos”, reserva do possível e obstáculos para efetivação dos Direitos Fundamentais

Expresso MT – A uma semana do fim da campanha, 41,7% se vacinaram contra a gripe em MT

Alô – Senado debate avanços no tratamento, tecnologia e suporte ao paciente com câncer

AM 730 – Campanha lança alerta sobre síndrome alcoólica fetal

Lab Net Work – Fundação Cristiano Varella inova com Laboratório de Biologia Molecular

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.