MINISTRO DA SAÚDE CONFIRMA QUE CUBA VOLTARÁ A ENVIAR MÉDICOS PARA O BRASIL

//MINISTRO DA SAÚDE CONFIRMA QUE CUBA VOLTARÁ A ENVIAR MÉDICOS PARA O BRASIL
Cuba voltará a oferecer ao Brasil profissionais para o programa Mais Médicos. A negociação já foi concluída e nesta terça-feira (23), em Genebra, reunião entre o ministro da Saúde, Ricardo Barros, e o governo cubano deve confirmar que o projeto continua. Ambos estão na Suíça para reuniões na Organização Mundial da Saúde (OMS). O encontro está marcado para ocorrer também com a cúpula da Organização Pan-Americana de Saúde, que chancelaria o novo entendimento. Ao jornal O Estado de S.Paulo, Barros explicou que o programa com os cubanos será retomado. Mas insiste que tem o plano de substituir gradativamente os médicos estrangeiros por brasileiros. “Renovamos o programa Mais Médicos. Anunciamos que daremos prioridade para brasileiros, teremos 11,4 mil vagas”, disse. “Já informamos que iremos substituir 4 mil cubanos em três anos por brasileiros. Estamos buscando avançar e suprir o mercado de médicos com médicos brasileiros. Enquanto existam postos onde os brasileiros não queiram ir, vamos continuar o convênio com cubanos”, completou o ministro ao Estadão.

OMS gasta mais em viagens do que no combate à Aids

Diretora-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Margaret Chan viajou para a Guiné no início deste mês para se juntar ao presidente do país na celebração da primeira vacina contra o ebola no mundo. Depois de tecer uma série de elogios a quem trabalha em prol da saúde na África Ocidental pelo triunfo sobre o vírus letal, Margaret passou a noite na suíte presidencial no hotel Palm Camayenne, à beira do mar. Segundo o jornal O Globo, de acordo com documentos internos obtidos pela Associated Press (AP), a OMS gastou cerca de US$ 200 milhões (mais de R$ 650 milhões) ao longo de 2016 em despesas de viagem. Isso é mais do que o montante que oferece para combater alguns dos maiores problemas da saúde pública, incluindo Aids, tuberculose e malária, combinados. “Em declarações à AP, a agência de saúde da ONU afirmou que ‘a natureza do trabalho da OMS exige muitas vezes que a equipe viaje’ e que os custos foram reduzidos em 14% no ano passado em comparação com o ano anterior — embora 2015 tenha sido totalmente excepcional, por conta do surto de ebola iniciado em 2014 na África Ocidental”, diz a matéria.

“Quanto o seu médico recebe da indústria?”

Com o título “Quanto o seu médico recebe da indústria?”, a colunista de Saúde da Revista Época, Cristiane Segatto, questiona as implicações das relações entre a indústria e os médicos para a vida dos pacientes. Na publicação no site da Época, a jornalista destaca legislação vigente desde 2014 nos Estados Unidos, conhecida como Sunshine Act, que exige dos fabricantes a divulgação sobre quanto pagaram para quem e por quê. Ela ressalta também que, na semana passada, a adoção de uma lei para tornar públicos os pagamentos feitos aos médicos foi defendida pela Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para a Saúde (Abimed), durante debate realizado na Feira Hospitalar, em São Paulo. “O relacionamento ético entre os médicos e a indústria é importante para o desenvolvimento científico e para a criação de novos produtos. A divulgação dos pagamentos não ameaça as atividades legítimas e salutares. Ela dá segurança às empresas e profissionais que fazem a coisa certa e traz à tona os desvios de conduta”, opina Cristiane Segatto, em trecho da coluna.

Preocupações de especialistas com remédio importado da China

Psicose, tricomoníase (parasita) e a ausência total de estudos. Conforme destaca reportagem do G1, os três elementos estão presentes na bula da Leuginase, medicamento chinês importado pelo Ministério da Saúde para o tratamento da Leucemia Linfóide Aguda (LLA), e que está no centro de uma polêmica com hospitais especializados no combate a doença. A crítica dos especialistas é que a troca do remédio feita pela União prejudica o tratamento das crianças, faixa etária mais atingida pelo problema, porque ele não tem comprovação de eficácia. O G1 ressalta que, no dia 12 de maio, a Justiça Federal determinou que o Ministério da Saúde faça a importação da Asparaginase europeia para qualquer hospital do Brasil que realize o tratamento da doença pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e faça a solicitação judicial. “A ação foi protocolada pelo Centro Boldrini, em Campinas (SP), que se recusa a usar o novo produto comprado pela União. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação do medicamento pelo Ministério da Saúde, mas informou que a responsabilidade da qualidade do produto é do importador”, afirma a publicação.

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Ministro participa da Assembleia Mundial da Saúde

Ministério da Saúde – Campanha de vacinação contra a gripe termina nesta sexta-feira (26)

Ministério da Saúde – Brasil é primeiro país a criar metas para a Década da Nutrição

Anvisa – Haldol tem lotes suspensos por erro no rótulo

Anvisa – Colírio Neo Brasil, Gastrol TC e Bisuisan são suspensos

Anvisa – Solução Clear Plus para micoses é proibido pela Anvisa

Câmara dos Deputados – Seguridade aprova 30 horas semanais para fonoaudiólogos

Câmara dos Deputados – Comissão discute políticas públicas voltadas a portadores de doença celíaca

Câmara dos Deputados – CCJ admite PEC que estende licença-gestante no caso de parto prematuro

Senado Federal – CAS pode votar quantitativo mínimo de enfermeiros nos serviços de saúde

Senado Federal – Proibição do uso de animais em testes de cosméticos é tema de debate na CMA

O Estado de S.Paulo – Rio confirma sexta morte de paciente com febre amarela no Estado

O Estado de S.Paulo – Cuba voltará a enviar médicos para o Brasil, diz ministro

O Estado de S.Paulo – Brasil apoia candidatura polêmica para diretor da OMS

Folha de S.Paulo – Modalidade que une exercício físico a choque elétrico ganha espaço no Brasil

Folha de S.Paulo – Cláudia Collucci – Não dá para pensar em acabar com o crack sem atacar pobreza e violência

Folha de S.Paulo – Suzana Herculano Houzel – Desfazendo ‘nós’: como a massagem contra dor muscular funciona

Correio Braziliense – Estudo mostra que cigarros light são mais perigosos que os normais

O Globo – Uma taça de vinho por dia já aumenta os riscos de desenvolver câncer de mama

O Globo – OMS gasta mais em viagens do que no combate à Aids, revela agência

O Globo – ‘Há muito estigma na depressão’, diz psiquiatra referência mundial no tema

G1 – Psicose, parasita e falta de teste: entenda o que preocupa especialistas em leucemia na bula do remédio importado da China

Época – Cristiane Segatto – Quanto o seu médico recebe da indústria?

Jornal da USP – Pessoas com sensibilidade nos dentes podem testar tratamento na USP

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.