MINISTÉRIO LANÇA APLICATIVO PARA AMPLIAR O ACESSO DA POPULAÇÃO ÀS INFORMAÇÕES DE SAÚDE

//MINISTÉRIO LANÇA APLICATIVO PARA AMPLIAR O ACESSO DA POPULAÇÃO ÀS INFORMAÇÕES DE SAÚDE

O Ministério da saúde divulgou, em seu portal, o lançamento do aplicativo e-SAÚDE, novo canal de comunicação entre o Ministério da Saúde e o cidadão, apresentado pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, na última quinta-feira (1º). A nova ferramenta foi apresentada durante o evento Dados Abertos sobre a Saúde no Brasil, do Google, em São Paulo. “O aplicativo foi criado pelo Departamento de Informática do SUS (Datasus) e oferece, de forma on-line, informações em saúde de uso pessoal e restrito a cada cidadão brasileiro, como o acesso aos dados do cartão nacional de saúde, lista de medicamentos retirados nas unidades de saúde, acompanhamento do cartão de vacinação, lista de exames realizados, além de outras informações. O evento teve como objetivo debater os benefícios da política de dados abertos na saúde, promover o uso dos dados disponibilizados pelo governo pela sociedade civil e empresas, além de fomentar a troca de conhecimentos sobre as políticas públicas de dados abertos”, afirma a publicação.

Cientistas descobrem ligação entre proteína do cérebro, zika e microcefalia

Um novo estudo liderado por cientistas britânicos revela que o vírus da zika sequestra uma proteína humana chamada Musashi-1 (MSI1) para permitir que ele se replique nas células-tronco neurais, matando-as. De acordo com o artigo, publicado na última quinta-feira (1º), na revista Science, quase todas as proteínas MSI1 nos embriões humanos em desenvolvimento são produzidas nas células-tronco neurais, que têm o papel de formar o cérebro do bebê. Isso poderia explicar por que as células do cérebro em desenvolvimento são tão vulneráveis à zika. Para confirmar a importância da MSI1 no crescimento normal do cérebro, os cientistas demonstraram que a proteína apresenta mutações em indivíduos com um tipo raro de microcefalia hereditária – a microcefalia primária recessiva autossômica -, que não tem relação com o vírus da zika. O jornal O Estado de S.Paulo destaca que os resultados do estudo, de acordo com os autores, sugerem que as céulas-tronco neurais precisam da MSI1 para gerarem a quantidade suficiente de neurônios para um cérebro de tamanho normal. Mas a presença da proteína também aumenta a vulnerabilidade dessas células à infecção pela zika, levando à morte da população celular e resultando em microcefalia.

SUS terá novo medicamento para esclerose múltipla

Pessoas diagnosticadas com esclerose múltipla terão nova opção de tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS), o medicamento teriflunomida, adquirido pelo Ministério da Saúde, segundo matéria publicada pelo jornal O Globo. A novidade vai atender a pelo menos 12 mil pacientes, que já são atendidos na rede pública. “A previsão é de que o remédio esteja disponível em até cinco meses, de acordo com o órgão. Atualmente, o SUS oferece seis medicamentos para o tratamento da doença: betainterferona (1a injetável e1b injetável); glatiramer (20 mg injetável); fingolimode (0,5mg); natalizumabe (300 mg); azatioprina (50 mg) e o metilprednisolona (500mg). Os dois primeiros – comumente escolhidos para início de tratamento – também são considerados de baixo risco, assim como o novo, teriflunomida”, diz parte da matéria.

Volta a valer lei que permite apenas um reajuste por ano no preço de remédios

Está cancelada a autorização para aumentar preços de remédios em qualquer época do ano. A nova regra estava prevista na Medida Provisória (MP) 754/2016, que perdeu a eficácia. Conforme publicação do site do Senado Federal, o ato declaratório do Congresso Nacional da perda de validade foi publicado no Diário Oficial da União na última quarta-feira (31). A MP foi editada em 19 de dezembro de 2016 pelo presidente Michel Temer. “Ainda faltava a aprovação na Comissão Mista da MP e depois nos Plenários da Câmara dos Deputados e do Senado. Com o cancelamento, voltou a valer a legislação anterior à edição da MP, que estabelece o reajuste dos preços dos remédios somente uma vez por ano. A decisão sobre aumentar ou reduzir o valor e definir o percentual de reajuste ainda cabe ao Conselho de Ministros da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos”, ressalta a nota. “De acordo com o artigo 62 da Constituição Federal, quando uma medida provisória tem o prazo de eficácia vencido, ela pode ser reeditada, mas não na mesma sessão legislativa. Portanto, uma MP com esse mesmo conteúdo só poderia ser reeditada a partir do início de fevereiro de 2018, na próxima sessão legislativa do Congresso Nacional”, enfatiza a publicação do Senado.

 

SAÚDE NA IMPRENSA

 

Ministério da Saúde – Ministério lança aplicativo para ampliar o acesso da população às informações de saúde

Ministério da Saúde – Ministro da Saúde se reúne com prefeitos e anuncia recursos para Paranavaí, Maringá e região

Anvisa – Qual a situação do Spinraza (nusinersen) na Anvisa?

ANS – Portal Operadoras: operadoras poderão cadastrar mais de um usuário

Inca – Mato Grosso do Sul atualiza legislação que repassa 1% do ICMS do tabaco a projetos sociais

Fiocruz – Estudo da Fiocruz alerta para os danos causados pelo tabaco

Fiocruz – Fiocruz promove seminário sobre arquivos das ciências e da saúde (7/6)

Senado Federal – Representantes da área da saúde querem mais fiscalização sobre cursos a distância

Senado Federal – Senadores celebram distribuição de novo remédio para esclerose múltipla

Senado Federal – Humberto Costa denuncia compra de medicamentos por altos preços

Senado Federal – Volta a valer lei que permite apenas um reajuste por ano no preço de remédios

O Estado de S.Paulo – Taxa de cesárea na rede privada de SP chega a 82,6%

O Estado de S.Paulo – Cientistas descobrem ligação entre proteína do cérebro, zika e microcefalia

O Estado de S.Paulo – Livro conta histórias de tratamentos de sucesso não aprovados pela medicina

Folha de S.Paulo – Mercado Aberto – Juízes e advogados disputam retroatividade de terceirização

Folha de S.Paulo – Agência Lupa: E o programa ‘Crack, é possível vencer’ lançado em 2011?

Folha de S.Paulo – Bebê com microcefalia desenganado por médico tem avanço surpreendente

Correio Braziliense – Amamentação pode reduzir risco de câncer uterino, diz pesquisa

Correio Braziliense – Dia Mundial do Leite: descubra mitos e verdades sobre o alimento

Correio Braziliense – Atrasar horário das refeições altera o ‘relógio’ do corpo, mostra estudo

Correio Braziliense – Cientistas descobrem como o cérebro reconhece rostos em fotos

G1 – Terceiro caso suspeito de febre amarela em Piracicaba tem resultado negativo

G1 – Estudo da USP usa quimioterapia mais intensa aliada a transplante de células-tronco para controlar diabetes

G1 – Uberlândia tem evento sobre judicialização da saúde

O Globo – SUS terá novo medicamento para esclerose múltipla

RD Planalto – STJ suspende processos judiciais por tratamentos não ofertados pelo SUS

Portal Sinal Verde – Comitê Estadual de Saúde tem nova composição

Gazeta do Povo – Fosfoetanolamina, o “caso que envergonhou a ciência brasileira”

Gazeta Online – Medicamentos manipulados podem esconder substâncias perigosas

Abrasco – Mário Scheffer debate a proposta dos planos populares em encontro promovido por revista

AMUCC – Morosidade na incorporação de medicamentos aprofunda desigualdade no Brasil e aumenta problema da judicialização

Jornal Jurid – Da teoria à efetividade: uma análise sobre a questão do fornecimento de medicamentos de alto custo à luz do Supremo Tribunal Federal

Sindseg SP – Impacto da Incorporação Tecnológica na Saúde Suplementar em debate

Segs – Jornadas médicas debaterão alergias e doenças respiratórias

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.