MINISTÉRIO DA SAÚDE ACUSA ANVISA DE RETER MEDICAMENTOS PARA DOENÇAS RARAS

//MINISTÉRIO DA SAÚDE ACUSA ANVISA DE RETER MEDICAMENTOS PARA DOENÇAS RARAS

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (26) uma nota em que acusa a Anvisa de demora na liberação de lotes de um medicamento que seria usado para atender demandas judiciais pacientes com doenças raras. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a disputa ocorre em torno da importação do medicamento Soliris, indicado para pessoas com hemoglobinúria paroxística noturna, doença rara que afeta o sistema sanguíneo. O medicamento é considerado um dos mais caros do mundo, o custo médio de tratamento de cada paciente chega a R$ 875 mil por ano. Segundo a pasta, lotes com 6.078 frascos do Soliris comprados para atender demandas judiciais de 172 pacientes já estão no Brasil, mas não puderam ser entregues até o momento. O motivo seria a falta de autorização da agência, informa. “Ainda de acordo com o ministério, a Anvisa interditou nesta terça (25) um dos lotes do Soliris que havia sido adquirido da fabricante Alexion, única fabricante detentora de registro do medicamento. O motivo da interdição não foi divulgado”, afirma o jornal.

 

Anvisa reduzirá em 19% o estoque de atos normativos



Até o final de 2018, a Anvisa deve eliminar 200 atos normativos obsoletos. Este número corresponde a uma redução de 19,2% do total de 1.043 normas existentes atualmente. Conforme o portal da Anvisa, o objetivo dessa medida, chamada de guilhotina regulatória, é tornar mais limpa e clara a legislação sanitária brasileira. Antes de publicar a decisão no Diário Oficial da União, a Anvisa fará uma consulta pública colocando à disposição do setor regulado e da sociedade em geral a proposta de retirada dos atos normativos do estoque regulatório. A guilhotina faz parte da estratégia de gestão desse estoque, que promove medidas periódicas para o acompanhamento sistemático do acervo normativo existente. Para a Anvisa, os benefícios dessa ação vão além da redução dos atos em si, pois, apesar de não produzirem efeitos práticos, as normas obsoletas poluem o estoque regulatório, o que pode gerar confusão para pessoas e empresas que utilizam a legislação da Agência. “A revogação promovida pela guilhotina regulatória, portanto, simplifica o acesso e garante mais clareza ao estoque, que passa a representar o conjunto de atos realmente vigentes”, informa o portal.

 

Novos médicos passam em exame, mas erram diagnóstico de diabete



O jornal O Estado de S. Paulo destacou que alunos do 6º ano e recém-formados em Medicina conseguiram, pelo segundo ano consecutivo, superar os 60% em aprovação no exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). Embora o índice tenha se mantido, os novos médicos ainda erraram questões básicas da profissão, como aferição da pressão arterial e atendimento inicial a vítimas de acidente de trânsito. De acordo com o levantamento, 86% dos recém-formados erraram a abordagem inicial para atender vítimas de acidentes de trânsito. Os resultados mostraram ainda que 69% não acertaram as diretrizes para aferir pressão arterial e 68% não sabiam como proceder diante de um paciente com enfarte no miocárdio. Em relação à diabete, doença que atinge 7,6% da população das capitais brasileiras, conforme dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), o teste apontou que 65% dos participantes erraram o quadro laboratorial de diabete descompensada. “Entre os fatores para o mau desempenho, Lavínio Nilton Camarim, presidente do Cremesp, destaca o excesso de faculdades de Medicina existentes no País”, enfatiza a matéria.

 

Procuradoria Especial da Mulher promove ações para o Outubro Rosa



Outubro é conhecido mundialmente como o mês de conscientização e prevenção do câncer de mama. A campanha Outubro Rosa é celebrada do dia 1 ao 31, marcando um período de diversas campanhas, palestras e ações afirmativas. Diversas instituições públicas e privadas iluminam suas fachadas com a cor rosa, buscando assim promover a campanha. É o que informa a Agência Senado. O Senado é uma das instituições que promovem a iniciativa através da iluminação cor de rosa em todo o Congresso Nacional e das ações promovidas pela Procuradoria Especial da Mulher. A campanha promovida pelo Senado terá início no dia 2 de outubro, às 18h, em uma cerimônia de abertura no Salão Negro que contará com apresentações da dançarina especializada em estilos afros Joceline Gomes e do corpo de baile infantil da Escola de Ballet Etude Seasons. “Um dos temas que será debatido durante o Outubro Rosa é a conscientização sobre a endometriose, uma doença que é caracterizada pelo crescimento do tecido endometrial fora do útero. Essa patologia atinge milhões de mulheres em todo o mundo”, destaca a notícia.

 

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Mulheres Kawaiwete organizam debate sobre saúde mental 

 

Ministério da Saúde – Mais de 600 entidades filantrópicas recebem certificado de assistência

 

Ministério da Saúde – MS destina R$ 13,5 milhões para qualificar atendimento à mulher

 

Ministério da Saúde – SAS e SVS lançam guia de integração para otimizar ações no território

 

Ministério da Saúde – SESAI inaugura Unidade Básica de Saúde Indígena na Aldeia Katõ (PA)

 

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde busca regularizar distribuição do Soliris

 

Ministério da Saúde – Brasil fecha parceria internacional para ter acesso a vacinas

 

ANS – Prazo para opinar sobre acreditação de operadoras termina dia 05/10

 

Fiocruz – Conselho Deliberativo da Fiocruz divulga nota sobre o Sofosbuvir

 

Fiocruz – Levantamento avalia desafios para metas da ONU em Saúde

 

Fiocruz – Instituições usam TI para monitorar doenças nas fronteiras

 

Anvisa – Anvisa reduzirá em 19% o estoque de atos normativos

 

Senado Federal – Procuradoria Especial da Mulher promove ações para o Outubro Rosa

 

O Estado de S. Paulo – Adoção de cores em rótulos para indicar risco ganha força

 

O Estado de S. Paulo – Novos médicos passam em exame, mas erram diagnóstico de diabete

 

O Estado de S. Paulo – Planos de saúde não tratam transtornos mentais, dependência química e alcoolismo como deveriam

 

O Estado de S. Paulo – Genéricos hepáticos

 

O Estado de S. Paulo – Confira as propostas dos presidenciáveis discutidas no debate do SBT

 

O Estado de S. Paulo – Autoescola para surdos em Libras

 

Folha de S. Paulo – Cientistas de SP testam células-tronco para tratar incontinência urinária

 

Folha de S. Paulo – Julio Abramczyk – A consulta ocular do idoso é importante

 

Folha de S. Paulo – Tecnologia impulsiona e expande aplicação da genética médica

 

Folha de S. Paulo – Enfermeiros investem em gestão e abrem consultórios

 

Folha de S. Paulo – Ministério da Saúde acusa Anvisa de reter medicamentos para doenças raras

 

G1 – Poluição do ar chega aos bebês durante a gravidez, indica estudo

 

G1 – Saiba o que é o transtorno do pânico, doença que Gisele Bündchen enfrentou

 

G1 – Ficar sentado provoca reação em cadeia que eleva risco de doenças

 

G1 – Após dois AVCs, idosa busca recursos para lançar livro com mais de 200 páginas escrito à mão

 

Zero Hora – Santa Casa inaugura na sexta-feira centro internacional de arritmias em Porto Alegre

 

Correio Braziliense – Cuba e EUA criam primeira empresa mista contra câncer

 

Correio Braziliense – Com combinação de anticorpos naturais, injeção anti-HIV dura até sete meses

 

Correio Braziliense – MPF investiga condição de funcionamento do Hospital de Urgências de Goiânia

 

Catve – Ministro defende cooperação internacional no combate à tuberculose

 

Gazeta Online – Farmacêutica do Sul do ES consegue na justiça remédio para tratar AME

 

Panorama Farmacêutico – Programa Tech Health estimula aceleração de startups na área da saúde

 

______________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.