MERCADO DE MÁQUINAS USADAS GANHA FORÇA NA CRISE

//MERCADO DE MÁQUINAS USADAS GANHA FORÇA NA CRISE
O Valor Econômico destaca que a crise dos últimos anos acabou gerando oportunidade na área de máquinas agrícolas. “A forte queda das vendas de novos tratores e colheitadeiras revigorou os usados e conferiu aos negócios nesse mercado uma certa profissionalização, em detrimento de sua sua histórica informalidade”, diz o jornal. “Com a crise, as torneiras de crédito se fecharam. Financiamentos que eram de até 100% do valor das máquinas passaram a girar em torno de 70%”, lembra Marcelo Kozar, sócio da Via Máquinas, que presta serviços para concessionárias, entre os quais gerenciamento de estoques e vendas de equipamentos usados. Para a Via Máquinas, diz Kozar, o faturamento com as vendas de grandes máquinas agrícolas usadas saltou de cerca de R$ 5 milhões, em 2014, para R$ 16 milhões no ano passado. Em 2017, mesmo com a retomada das vendas de colheitadeiras e tratores novos no país, a expectativa é de crescimento de 31%. “Uma parcela considerável de produtores, para não ter de dar garantias adicionais, ainda está comprando equipamentos usados”, afirmou ele à reportagem.
Agronegócio da Basf cresce 4% no primeiro trimestre

A divisão de soluções agrícolas da gigante alemã Basf teve um faturamento de 1,9 bilhão de euros no primeiro trimestre deste ano, 4% superior ao do mesmo período de 2016. Segundo a companhia, o resultado é consequência de um aumento nas vendas e de efeitos cambiais positivos, mas com preços estáveis para seus produtos. “O lucro antes de juros e taxas (Ebit, na sigla em inglês) da divisão caiu 52 milhões de euros na comparação anual, para 533 milhões de euros. “Este é resultado de margens mais baixas devido a um mix de produtos diferentes”, diz o texto de divulgação dos resultados. A empresa também justifica a queda do Ebit pelo aumento de custos fixos com a contratação de novos funcionários. No total, o faturamento da Basf cresceu 19, para 16,9 bilhões de euros”, afirma o Valor Econômico.

Produção de cana deve chegar a 694 milhões de toneladas
A produção de cana no Brasil deve chegar a 694 milhões de toneladas em 2017, um aumento de 4% em relação a safra anterior, ressalta reportagem do G1. “A produção de cana gera um dos maiores faturamentos do campo: R$ 52 bilhões em 2016. Além disso, nas lavouras e usinas mais de um milhão de pessoas estão empregadas por causa da produção de cana. Da cana é feito o açúçar, um dos principais produtos nacionais. O Brasil é o maior produtor e exportador de açúcar no mundo e em 2017 deve chegar a 39 milhões de toneladas produzidas, um crescimento de 18%. O álcool usado como combustível também é produzido a partir da cana. Em 2017, a produção de álcool deve diminuir cerca de 8%, ficando em 27 bilhões de litros. Parte do motivo da queda é o preço do açúcar no mercado internacional que está bom e motiva as usinas a produzirem mais”, diz o texto.
NA IMPRENSA
Ministério da Agricultura – Operações de apoio a produtores de milho ocorrerão na próxima semana

Ministério da Agricultura – Criação coletiva de matrizes suínas cresce no Brasil

Valor Econômico – Preço do açúcar recua mesmo diante de previsão de menor oferta no Centro-Sul

Valor Econômico – TCU apura privilégio do BNDES à JBS em aquisição 

Valor Econômico – Mercado de máquinas usadas ganha força na crise 

Valor Econômico – Faturamento da divisão de agronegócio da Basf cresce 4% no 1º tri 

Valor Econômico – Receita da CNH cresce no primeiro trimestre e vai a US$ 5,68 bi

Valor Econômico – IGC eleva estimativa para produção mundial de grãos em 2017/18 

Valor Econômico – Vendas agrícolas da Dow caem para US$ 1,6 bilhão no 1º trimestre 

G1 – Produção de cana no Brasil aumenta em 2017

Fiesp – Secretário da Agricultura fala na Fiesp sobre simplificação do licenciamento ambiental

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.