MAPA PREPARA PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA EVITAR ENTRADA DE NOVO FUNGO QUE ATACA PLANTAÇÕES DE BANANA

//MAPA PREPARA PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA EVITAR ENTRADA DE NOVO FUNGO QUE ATACA PLANTAÇÕES DE BANANA

Um dos maiores produtores mundiais de banana, o Brasil trabalha para manter a sanidade das áreas de plantio da cultura. Até o final de agosto, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e a Embrapa Mandioca e Fruticultura devem anunciar o Plano Nacional de Contingência para o Mal do Panamá – doença considerada hoje como a principal ameaça aos bananais em todo o mundo. Em 2016, as exportações brasileiras da fruta somaram US$ 21,04 milhões, o equivalente a 64,4 mil toneladas. O portal do Mapa destaca que, de acordo com o Departamento de Sanidade Vegetal (DSV), o plano prevê a adoção de medidas para evitar a introdução da raça 4 tropical do fungo causador do Mal do Panamá no Brasil. Essa nova raça está provocando grandes perdas no sul da Ásia, Oriente Médio e Moçambique. Por meio do plano de contingência, o Mapa e a Embrapa vão dar informações aos produtores e ao público em geral sobre quais precauções devem tomar para prevenir a entrada da doença no território nacional. Brasileiros que pretendam viajar ao sul da Ásia, Oriente Médio e Moçambique, locais de maior ocorrência do fungo, também precisam evitar trazer objetos feitos com palha de bananeira, por exemplo. “Também é importante que as pessoas limpem o que fica de terra nos sapatos e lavem as roupas antes de embarcar de volta ao Brasil”, completa.

Produtores de cana-de-açúcar pressionam por alta na tarifa de importação de álcool

Os produtores de cana-de-açúcar pressionam o governo para que eleve as barreiras contra o combustível que vem do exterior. Conforme o jornal Folha de S.Paulo, nesta terça-feira (25), a Camex (Câmara de Comércio Exterior), conselho que reúne sete ministros, decide se aumenta a tarifa de importação de zero para 17%. O Ministério da Agricultura será o advogado do setor produtivo na Camex. O principal argumento é que as importações quadruplicaram neste ano, até junho, ante o mesmo período de 2016, o que levou o Brasil, pioneiro global no uso do etanol como combustível, a ser pela primeira vez na história importador líquido. Ou seja, importa mais do que vende no exterior. A Unica (entidade que reúne produtores de cana-de-açúcar), que foi favorável à abertura em 2010, antevendo que mercados competidores também baixariam a guarda, hoje torce pelo aumento. “A previsão é que a situação se repita nos próximos anos, daí o pedido para o governo trave a entrada do concorrente. A área econômica do governo, porém, teme que a barreira resulte num inconveniente aumento de preços, num momento em que o consumidor brasileiro já se ressente do aumento de tributos. As usinas brasileiras reduziram em quase 9% a produção de etanol na última safra e a previsão é de nova queda na safra que colherão até março de 2018. A opção pelo açúcar tem sido mais vantajosa com preços externos melhores para o alimento”, enfatiza a reportagem.

Estuda para retirar a saponina das vacinas contra aftosa

Em meio à pressão dos exportadores de carne bovina para alterar a formulação da vacina contra o vírus da febre aftosa, a indústria veterinária propôs ao Ministério da Agricultura a retirada da saponina da composição do medicamento. De acordo com o jornal Valor Econômico, a substância, que estimula o desenvolvimento da imunidade ao vírus, é apontada como uma das responsáveis pelas reações que geraram abscessos e granulomas na carne. A aplicação incorreta nas fazendas também é uma das causas. De acordo com o Ministério da Agricultura, a retirada da saponina está em análise. “Mudanças na composição e na dosagem requerem novos testes para garantir a manutenção da qualidade da vacina”, informou a Pasta, em nota. Autor do pedido para a retirada da saponina, o Sindan, que representa a indústria veterinária, informou que a vacina sem saponina deve estar disponível na segunda etapa da campanha da vacinação contra aftosa de 2018, no mês de novembro. Ao Valor, o presidente em exercício do Conselho Nacional de Pecuária de Corte (CNPC), o veterinário Sebastião Guedes, também defendeu a retirada da saponina. Segundo ele, a substância provoca os chamados “abscessos assépticos” – inflamação que não é causada por uma bactéria. O CNPC também defende que o Ministério da Agricultura recomende somente a aplicação da vacina por via subcutânea, vedando a intramuscular.

Produtores acessam internet pelo smartphone, mas uso no campo é restrito

Os pequenos produtores rurais brasileiros utilizam smartphones para acessar a internet, mas nem sempre conseguem usar esta e outras ferramentas para incrementar a produção. O principal problema é a falta de infraestrutura de comunicação no campo. Esta é uma das conclusões da pesquisa “Tecnologia da Informação no Agronegócio”, realizada pelo Sebrae. O jornal O Estado de S.Paulo teve acesso aos resultados com exclusividade. De acordo com a pesquisa, 96% dos produtores rurais utilizam telefones celulares. Deste universo, 71% dos donos de microempresas rurais (faturamento anual até R$ 360 mil) usam smartphones para o acesso à internet. “O porcentual é de 85% entre os proprietários de empresas de pequeno porte (faturamento entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões). Apesar disso, o uso de internet na atividade produtiva é restrito, em função da dificuldade de acesso e da má qualidade da conexão no campo. Conforme a pesquisa, apenas 6% dos produtores já compraram pela internet, 4% já utilizaram a rede para vender e somente 16% dos empreendimentos rurais possuem página na internet ou perfil em redes sociais. A expectativa do Sebrae é de que esta dificuldade diminua a partir da utilização do Satélite Geoestacionário Brasileiro de Defesa e Comunicações Estratégicas, lançado ao espaço em maio”, afirma parte da pesquisa.

NA IMPRENSA
Mapa – Mapa prepara plano de contingência para evitar entrada de novo fungo que ataca plantações de bananaMapa – Registro no SIF de produtos de origem animal se torna mais ágil

MMA – Parque do Cantão é referência em gestão

MMA – Sarney Filho reafirma combate ao lixo no mar

Ibama – Bacia do rio doce recebe redepara monitorar qualidade de água

Zero Hora – Oscilação de temperatura causa prejuízos nas lavouras do RS

G1 – Empresa da família Maggi leva 70% do subsídio ao milho em programa do governo

G1 – Cade aprova compra pela AGCO de unidade da Monsanto

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – Exportação de milho acelera, mas a preço menor

Folha de S.Paulo – Usineiros pressionam por alta na tarifa de importação de álcool

O Estado de S.Paulo – Produtores acessam internet pelo smartphone, mas uso no campo é restrito

MPSE – Análise e comercialização de agrotóxicos é tema de reunião no MP

Notícias Agrícolas – Tomate: Baixas temperaturas atrasam maturação e elevam cotações

Revista Campo e Negócios – Soja de crescimento indeterminado é a preferida dos produtores

Mais Soja – Segurança de vestimentas agrícolas é alvo de reunião científica entre IAC-Quepia e a universidade de Maryland (EUA)

Repórter News – Inaugurada em Sinop Central de Recolhimento de Embalagens Agrotóxicas

O Correio News – Governo muda regras para importação de agrotóxicos

Valor Econômico – País prepara plano de ação contra praga que afeta banana 

Valor Econômico – Lucro do Grupo Balbo caiu 82% na safra 2016/17 

Valor Econômico – Lucro da Usina Santa Adélia caiu 42% na safra 2016/17 

Valor Econômico – EPA abre período de consulta pública sobre mandato de biocombustíveis 

Valor Econômico – Etanol ganhou competitividade antes do aumento de tributação 

Valor Econômico – Ministério da Agricultura estuda retirar a saponina das vacinas contra aftosa

Valor Econômico – Produtores de soja voltam a focar na China 

Valor Econômico – Barreira do Brasil ao camarão irrita exportador equatoriano 

Valor Econômico – MST ocupa fazendas de amigo de Temer, de Blairo e Ricardo Teixeira

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.