MAPA E SETOR DE AGROQUÍMICOS FECHAM ACORDO PARA IMPLANTAR PILOTO DO OEA INSUMOS

//MAPA E SETOR DE AGROQUÍMICOS FECHAM ACORDO PARA IMPLANTAR PILOTO DO OEA INSUMOS
O modelo de Operador Econômico Autorizado (OEA), que visa maior eficiência da fiscalização de cargas e agiliza a oferta de produtos nos mercados, com aplicação, atualmente, na exportação de carnes, será estendido à importação de agroquímicos. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e representantes de sete empresas de agroquímicos decidiram colocar em prática, até o fim de 2017, uma experiência piloto de OEA. É o que informa o portal do Mapa. O Operador Econômico de agroquímicos (ou de insumos) continuará sendo executado pelo Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional, conforme foi definido em reunião realizada no último dia 16 entre o secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel, com representantes do Vigiagro, de entidades empresariais, do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sidiveg) e do Instituto Procomex (de modernização logística). O OEA-Agro desenvolvido pelo Mapa, é complementar ao programa de Operador Econômico Autorizado da Receita Federal. “O objetivo é aumentar a eficiência de fiscalização e ao mesmo tempo reduzir custos, tendo como um dos instrumentos a certificação de empresas que atuam no comércio internacional. O Operador Econômico de insumos será inserido dentro do Plano Agro+ de desburocratização, simplificação e agilização dos processos do Ministério da Agricultura”, afirma parte da publicação.

Mercosul aguarda proposta da UE sobre bens agrícolas para acordo

As negociações entre Mercosul e União Europeia para um acordo de livre-comércio seguem em ritmo acelerado, mas os europeus vêm relutando em melhorar sua proposta de abertura do mercado de bens agrícolas. Reportagem do jornal Folha de S.Paulo destaca que a atitude europeia gera preocupação no Brasil, que teme que a UE esteja adotando a estratégia de deixar o tema para a última hora a fim de convencer o Mercosul de que é “pegar ou largar”. Pessoas que acompanham o processo de perto dizem que os europeus argumentam que só será possível melhorar sua proposta após as eleições da Alemanha, previstas para o próximo mês. Se as novas ofertas só forem trocadas em outubro, como querem os europeus, restarão apenas dois meses até a reunião ministerial da OMC (Organização Mundial do Comércio) em Buenos Aires, em dezembro. Os dois lados já declararam publicamente que gostariam de assinar um pré-acordo no encontro, incluindo os temas mais sensíveis e deixando para depois só detalhes como revisões jurídicas e traduções. Na área agrícola, os europeus ainda não apresentaram cotas para carne bovina, açúcar e etanol, produtos muito importantes para o Brasil, segundo apurou a Folha. As cotas de 78 mil toneladas para carne de frango e 9.300 toneladas para carne suína também estão muito abaixo das expectativas do setor. As negociações entre Mercosul e União Europeia já duram 18 anos. “Segundo pessoas consultadas pela reportagem, o acordo nunca esteve tão perto de fechar graças ao alinhamento recente dos governos do Mercosul a favor do livre-comércio”, ressalta a Folha.

OIA estima superavit de açúcar em 2017/18 de 4,6 milhões de toneladas

A Organização Internacional do Açúcar (OIA) estimou que haverá um superavit de 4,636 milhões de toneladas da commodity no mundo na safra internacional 2017/18 (que começa em outubro), após dois anos de deficit. Essa foi a primeira projeção da entidade para a relação entre produção e o consumo para a próxima temporada, relata reportagem do jornal Valor Econômico. “Para a safra 2016/7, que termina em setembro, o deficit deve ficar em 3,860 milhões de toneladas, segundo a OIA. A organização calcula que a produção mundial da próxima safra crescerá 6,87%, para 179,3 milhões de toneladas, enquanto o consumo global crescerá 1,77%, para 174,664 milhões de toneladas. A OIA também estima que os estoques finais de açúcar na safra 2017/18 terão uma alta marginal, de 0,12%, para 84,471 milhões de toneladas, ante 87,364 milhões de toneladas esperadas para o fim da safra atual. Dessa forma, os estoques finais do próximo ciclo deverão corresponder a 50,08% do consumo global, ante 50,9% na safra atual”, diz o texto.

China pode taxar frango brasileiro antes de conclusão de investigações

A investigação da China contra o suposto dumping praticado pela indústria de carne de frango do Brasil pode ter implicações tarifárias ainda este ano. De acordo com o jornal Valor Econômico, a China pode taxar o Brasil antes de concluir a investigação, afetando gravemente as exportações brasileiras. Na última sexta-feira (18), o Ministério do Comércio chinês anunciou a abertura de uma investigação sobre exportadores do Brasil. Os chineses suspeitam que os brasileiros vendem carne de frango na China com preços mais baixos do que no mercado brasileiro. O presidente da ABPA, Francisco Turra, diz que essa não é a primeira vez que um país importador se insurge contra a carne de frango do Brasil. Em sua avaliação, a investigação aberta pela China é fruto do lobby de produtores locais, que enfrentam problemas sanitários. Eles vêm perdendo espaço nos últimos anos, embora ainda forneçam mais de 90% da carne de frango consumida na China. “A perda de espaço dos chineses tem como pano de fundo a ampla oferta de grãos no Brasil, o que confere competitividade à indústria nacional de carne de frango, diz Turra. “Nós exportamos soja e a China importa. Então, é difícil competir com o Brasil”. Milho e farelo de soja são os principais insumos da ração dos frangos. Competitivo ou não, o Brasil terá responder ao questionamento chinês. Nesta primeira fase, as empresas brasileiras que exportam à China têm 20 dias para enviar um formulário ao país asiático. Após o envio, os chineses prosseguirão com a investigação, e poderão pedir novos documentos. Se no curso dessas investigações o governo chinês entender que houve prática de dumping, uma tarifa antidumping provisória pode ser aplicada”, diz a reportagem.

NA IMPRENSA
Mapa – Novos leilões da Conab aumentam escoamento de milho do Centro-Oeste

Mapa – Mapa e setor de agroquímicos fecham acordo para implantar piloto do OEA Insumos

Mapa – Maggi: Modernização do Mapa é essencial para fortalecer o agro brasileiro

Mapa – Amazonas pode ser reconhecido internacionalmente livre da aftosa com vacinação em 2018

Mapa – Treinamento de novos adidos agrícolas começa nesta segunda-feira

Embrapa – Divulgado resultado do Camp de Ecoinovação Agrotech

Ibama – Ibama e Polícia Civil apreendem mais de mil partes de animais silvestres com traficante no RJ

MMA – Acordo fortalecerá recursos hídricos no país

MMA – Ministro lamenta morte em parque nacional

SAC – Conaero aprova regras para facilitar embarques e desembarques nos aeroportos

SAC – Aeroporto de Maringá recebe R$ 120 milhões em investimentos

SAC – Setor aeroviário terá grupo de trabalho com foco na atualização dos profissionais da aviação

Câmara dos Deputados – Agricultura debate redução de recursos para compra de alimentos do pequeno produto

Senado Federal – Alíquota unificada de ICMS para querosene de aviação será debatida em audiência

Folha de S.Paulo – Mercosul aguarda proposta da UE sobre bens agrícolas para acordo

Folha de S.Paulo – Marcos Sawaya Jank – Fabio Chaddad explicou como ninguém o agronegócio brasileiro

O Estado de S.Paulo – Ruy Altenfelder – O lado bom do Brasil

O Estado de S.Paulo – Sarney Filho rebate ONGs e diz que floresta nacional na Amazônia ‘não deu certo’

Cultivar – Mistura de defensivos agrícolas em tanque avança para regulamentação

Valor Econômico – OIA estima superavit de açúcar em 2017/18 de 4,6 milhões de toneladas

Valor Econômico – MPF pede de R$ 13,6 milhões à Copersucar por dano ambiental

Valor Econômico – Temer e presidente do Paraguai vão discutir segurança e Mercosul

Valor Econômico – Clealco finaliza acordo para reestruturar dívida

Valor Econômico – Processamento de cacau deve crescer

Valor Econômico – China pode taxar frango brasileiro antes de conclusão de investigações
]
Valor Econômico – Commodities Agrícolas

Valor Econômico – Alavancagem é o problema dos frigoríficos

Zero Hora – Cavalos que valem milhões: saiba como animais chegam à elite da raça crioula

Zero Hora – Carlos Nabinger: vai faltar água?

Zero Hora – Eduardo Móglia Suñe: crescimento e expansão da raça crioula

Notícias Agrícolas – EUA solicitam abertura de painel na OMC contra taxas da China sobre grãos

Notícias Agrícolas – Colheita de café conilon no ES deve ser 10% maior que em 2016, diz Incaper

Portal do Agronegócio – Desempenho do frango vivo na terceira semana de agosto

Portal do Aagronegócio – Economistas mantém expectativa para corte de 1 p.p. da Selic em setembro

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.