MÃO DE OBRA DEFICIENTE E FALTA DE INTERNET DIFICULTAM DIFUSÃO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO, DIZEM ESPECIALISTAS

//MÃO DE OBRA DEFICIENTE E FALTA DE INTERNET DIFICULTAM DIFUSÃO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO, DIZEM ESPECIALISTAS

A deficiência na formação de mão de obra e a inexistência de conectividade de internet em grandes áreas do interior do País foram apontadas por especialistas ouvidos em audiência pública da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR), da Câmara dos Deputados, como os principais empecilhos para a difusão da modalidade de produção conhecida como agricultura de precisão (AP) no País. Este modo de produção usa tecnologias como GPS, sensoriamento remoto e análise de imagens obtidas por satélite no campo para aumentar a produtividade e o lucro por meio da detecção de áreas mais ou menos produtivas dentro da mesma plantação. Essas ferramentas, como o uso de drones ou sensores nos tratores, são capazes de detectar, dentro da mesma lavoura, áreas com índices três vezes maiores ou menores de produção, o que facilita a correção do solo e o uso de insumos de maneira pontual e precisa. José Paulo Molin, representante da Associação Brasileira de Agricultura de Precisão, mostrou mapas de plantações de cana-de-açúcar em que algumas áreas produziam 50 toneladas por hectare e outras 150 toneladas. “O objetivo da agricultura de precisão é otimizar o uso de insumos, aumentar a produtividade e a qualidade dos produtos, além de minimizar impactos ambientais”, explicou ele, conforme a reportagem do portal da Câmara dos Deputados.

Formação da mão de obra

Não existem dados precisos sobre o uso dessas tecnologias no País, mas José Paulo Molin, com base em informações fornecidas por uma empresa que atua na área de grãos, estima que 15% dos produtores agrícolas adotam a tecnologia para aumentar a eficiência. Para difundir essas técnicas, Molin sugere a adoção de incentivos fiscais para baratear equipamentos como GPS, o aumento da área servida por banda larga e melhorias na formação de mão de obra. “O operador de trator de 15 anos atrás não tem mais espaço. Precisa saber operar o computador. E como fazer isso sem conectividade no campo? Precisamos oferecer à comunidade soluções aceitáveis do ponto de vista técnico”, disse. A formação de mão de obra especializada foi um dos principais temas da discussão. O pesquisador Luis Henrique Bassoi, da Embrapa Instrumentação, apontou uma maior interação na atuação de entidades de pesquisa e formadores de mão de obra para difundir o uso da tecnologia. Márcio Moreira, presidente da Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão, órgão ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, foi na mesma linha. “Nós vamos ter que desenvolver agricultura de precisão voltada para a agricultura brasileira. Por isso é importante desenvolver tecnologia nacional ou adaptar tecnologias estrangeiras”, disse ele. João Alfredo Saraiva Delgado, diretor de Tecnologia da Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), apontou o investimento em startups como uma das maneiras de propagar e baratear a tecnologia.

Brasil amplia acesso a mercados importadores de genética avícola

O Departamento de Saúde Animal (DAS) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento foi comunicado pelos serviços veterinários de Myanmar e de Madagascar que foram aceitas propostas de Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) apresentado pelo Brasil para embarque de ovos férteis e pintos de um dia. As negociações sanitárias foram iniciadas no segundo semestre do ano passado, depois de ações de prospecção de mercados realizadas em conjunto pelo ministério (Mapa) e pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Na época, Myanmar e Madagascar demonstraram interesse em desenvolver cadeias produtivas de ovos e de aves. E o Brasil, que consolidou na última década uma plataforma exportadora de genética avícola, se habilitou como fornecedor. Com a aceitação das propostas dos certificados veterinários, Myanmar e Madagascar passam a integrar grupo de cerca de 50 países das Américas, Oriente Médio, África, Europa e Ásia que importam regularmente material genético avícola do Brasil. “O acesso e a manutenção de mercados importadores de ovos férteis e pintos de um dia possuem viés estratégico para o Brasil, na medida em que evidenciam reconhecimento da condição sanitária do plantel avícola brasileiro na comunidade internacional”, disse Rodrigo Padovani, coordenador substituto de Trânsito e Quarentena Animal, de acordo com publicação do site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Reino Unido tem 700 mil ovos suspeitos de contaminação por pesticida, diz governo

Aproximadamente 700 mil ovos de fazendas holandesas envolvidas no caso de contaminação com fipronil, um pesticida tóxico, foram distribuídos no Reino Unido, informou a Agência de Regulamentação Alimentar (FSA) nesta quinta-feira (10). Na segunda-feira (10), o organismo britânico tinha dito que seriam 21 mil os ovos suspeitos. Apesar de o número ter aumentado, a Agência mantém que é “muito improvável” que a situação represente um risco para a saúde pública. Conforme reportagem do G1, a FSA permanece afirmando que muitos ovos que poderiam estar contaminados se misturaram a outros procedentes de fazendas não suspeitas e, por isso, os eventuais resíduos de fipronil estariam muito diluídos. “Grande parte dos produtos afetados nos supermercados do país é alimento processado com ovo na composição, como sanduíches e comida congelada. Alguns desses produtos, com data de validade muito curta, já teriam sido consumidos, enquanto os demais estão sendo retirados das prateleiras”, diz trecho da publicação. Segundo a FSA, a retirada de produtos dos mercados se deve a motivos legais – devido ao fato de o pesticida em questão não ser autorizado para uso em produtos de origem animal -, mais do que a preocupações com a segurança alimentar.

NA IMPRENSA

Mapa – Vendas externas de milho disparam em julho e têm alta 122%Mapa – Brasil amplia acesso a mercados importadores de genética avícola

Mapa – Maggi e Temer vão à abertura da colheita de algodão e inauguração de fábrica de etanol

Abrapa – IMAmt vai destacar seis novas cultivares de algodão no 11° CBA

Embrapa – Área de Proteção Ambiental de Campinas recebe tecnologia da Embrapa para saneamento básico

MMA – Arpa apoiará novas unidades na Amazônia 

MMA – Papa reza por membros do MMA e da ANA

Sindag – Comunicação e segurança foram os destaque do segundo dia do Congresso Sindag

Câmara dos Deputados – Mão de obra deficiente e falta de internet dificultam difusão da agricultura de precisão, dizem especialistas

O Estado de S.Paulo – Celso Ming – Agro é pop e surpreende

G1 – Reino Unido tem 700 mil ovos suspeitos de contaminação por pesticida, diz governo 

Valor Econômico – Trading brasileira Amaggi anuncia criação de braço financeiro 

Valor Econômico – Exportações do agronegócio subiram 5,8% em julho, para US$ 8,2 bi 

Valor Econômico – Clealco renegocia R$ 884,1 milhões em dívidas com credores 

Valor Econômico – Balanço da JBS do 2º trimestre virá sem revisão do auditor 

Notícias Agrícolas – Redução na oferta de animais e aumento pontual da demanda por carnes fez preços da @ do boi em SP subirem quase R$3,00 na semana 

Notícias Agrícolas – Falta de chuva penaliza lavouras de trigo em Londrina-PR e os plantios ocorridos a partir de maio registram maiores perdas 

Portal do Agronegócio – Brandt do Brasil participa do VII Congresso ANDAV fortalecendo a empresa no setor 

Portal do Agronegócio – CRI Genética apresenta novidades para pecuária de corte e leite na 45ª Exposul, em Rondonópolis (MT)

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.