MAGGI CONFIRMA RETIRADA DE SAPONINA DA VACINA CONTRA AFTOSA

//MAGGI CONFIRMA RETIRADA DE SAPONINA DA VACINA CONTRA AFTOSA

A saponina deverá deixar de ser um dos componentes da vacina contra a febre aftosa, informou o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), na sexta-feira (11), em Lucas do Rio Verde (MT). Conforme o portal do Mapa, essa é uma das medidas a serem adotadas para evitar a formação de abcessos após vacinação dos animais. Segundo ele, as doses também serão reduzidas de 5ml para 2,5ml. Maggi visitou o município mato-grossense acompanhando o presidente Michel Temer na inauguração da primeira usina de etanol de milho do país e na abertura da colheita do algodão. A discussão sobre a retirada da saponina se intensificou após o fechamento do mercado norte-americano à importação de carne de gado in natura, em razão da existência de abcessos, além de pedaços de osso encontrados na parte dianteira dos animais. “Não é uma questão de saúde humana, mas de apresentação. O Brasil é livre de aftosa com vacinação, o que significa que não podemos exportar para um país livre sem vacinação qualquer tipo de carne com osso”, ressalta o ministro. Trata-se de medida preventiva, já que na hipótese de ocorrência da doença, o vírus poderia resistir nos ossos por meses. Maggi disse que está “tudo sendo arrumado para voltar em breve ao mercado dos Estados Unidos” e que houve convite para uma inspeção veterinária de técnicos norte-americanos ao país, o que deverá acontecer até o fim deste mês.

Exames confirmam que botulismo é causa da morte de mil animais

De acordo com o Canal Rural, em programa exibido no domingo (13), em Mato Grosso do Sul, exames confirmam o botulismo como a causa da morte de mais de mil bois. O caso aconteceu num confinamento e as imagens chocaram pelo grande número de animais mortos. A fazenda Mônica Cristina tentou manter o ritmo normal de trabalho, mas entre uma vistoria e outra, funcionários ainda encontravam animais caídos nos piquetes. Um novilho não conseguiu se levantar e minutos depois já estava deitado, agonizando. Nos últimos dias, as mortes foram pontuais, bem diferente do que aconteceu na última semana. O confinamento tinha 1,7 mil animais, com idades entre dois e três anos. Eles estavam na fase final de engorda e seriam encaminhados para o abate em, no máximo, dois meses. Tudo aconteceu muito rápido. Em apenas quatro dias, 1,1 mil animais morreram! Moacir Muller, veterinário responsável pela nutrição dos animais, diz que a fazenda produz a própria ração, uma mistura com silagem de capim, farelo e casca de soja, caroço de algodão, ureia, minerais e silagem de milho reidratada. Ele acredita que o problema que causou as mortes estava no milho. Logo depois das mortes, a fazenda deixou de usar o produto de uma das bolsas. “O material foi encaminhado para análise. A Iagro confirmou, por meio de exames em camundongos, que os bovinos morreram intoxicados por causa da toxina do botulismo encontrada na ração. O botulismo é uma doença rara, mas grave. Dependendo da concentração, a toxina pode matar um rebanho inteiro. A fazenda informa que os animais foram vacinados em junho e que exames devem apontar porque ela não foi eficaz. A fazenda mandou dois animais doentes para a Universidade Federal, em Campo Grande. Lá, os pesquisadores vão examinar os bois para tentar propor um protocolo, uma nova maneira de agir, em situações como essa”, destaca o Canal Rural.

Adama investirá US$ 30 mi em novas fábricas até 2021

A israelense Adama começará a produzir no Brasil em cinco anos insumos para defensivos hoje importados da China. O investimento será de US$ 30 milhões a US$ 50 milhões, contou à coluna Broadcast, do jornal O Estado de S.Paulo, o presidente da Adama Brasil, Rodrigo Gutierrez. Até 2019, a unidade de Londrina (PR) vai ganhar duas fábricas, além das três existentes. A planta de Taquari (RS) já abriga quatro fábricas e contará com uma nova em 2018 e outras duas em 2021. Com isso, a empresa dobrará o número de princípios ativos produzidos no País para 15 e elevará sua produção para cerca de 90 milhões de litros em cinco anos, ante 39 milhões em 2016. Também ganhará fôlego para brigar pelos mercados de soja, milho, cana-de-açúcar, trigo, algodão e café e chegar à meta de 7% de fatia do mercado. Hoje, são 4,9%. A holandesa De Heus inaugura neste semestre três projetos com investimento de R$ 31 milhões. A empresa de nutrição animal abre hoje em Rio Claro (SP) um laboratório de controle de qualidade. Depois, virão uma granja experimental e uma unidade industrial para rações, ambas no Paraná. Na expectativa. Agosto marca a retomada das vendas de máquinas agrícolas, diz o gerente da AGCO Finance, Anderson Lazaron. A partir de outubro o mercado deve conhecer mais detalhes da nova marca anunciada pela BRF, antecipou à coluna o vice-presidente de negócios da companhia no Brasil, Alexandre de Almeida. A novidade, segundo Almeida, vai colocar nas prateleiras produtos com preços mais acessíveis em relação aos da Sadia e Perdigão. “Vamos ter uma força de vendas independente”, afirma Almeida à coluna.

Reação da demanda doméstica começa a favorecer Kepler Weber

A colheita recorde de grãos na safra 2016/17 deixou o déficit de armazenagem do país mais evidente e fez crescer o interesse pelos produtos da companhia gaúcha Kepler Weber, líder no segmento no mercado brasileiro. É o que informa o jornal Valor Econômico. Porém, o movimento não foi o suficiente para que a companhia encerrasse o segundo trimestre do ano no azul. De abril a junho, o número de orçamentos realizados foi 36% superior ao registrado no primeiro trimestre do ano. O aumento, avaliou Olivier Colas, vice-presidente da companhia, refletiu os juros menores do Programa de Construção e Ampliação de Armazenagem (PCA) no Plano Safra 2017/18, que começou a vigorar em 1º de julho. Mas já houve um incremento efetivo na receita no período. “A receita líquida da Kepler somou R$ 125 milhões, aumento de 41,6% na comparação anual. A receita com a comercialização de peças que fazem a movimentação dos granéis no porto retraiu 48%, para R$ 7,7 milhões, e o segmento de peças e serviços somou R$ 10 milhões, alta de 10,5%. A receita líquida da Kepler somou R$ 125 milhões, aumento de 41,6% na comparação anual. O prejuízo acumulado dos seis primeiros meses do ano diminuiu 16,8%, para R$ 11 milhões. O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ficou negativo em R$ 1,1 milhão no trimestre passado, resultado 85,4% melhor que o visto no mesmo período de 2016”, enfatiza a reportagem.

NA IMPRENSA

 

Mapa – Primeira fábrica de etanol de milho é inaugurada por Temer e Maggi

Mapa – Maggi confirma retirada da saponina da vacina contra aftosa

MMA – Curso gratuito promove eficiência em edifíciosIbama – Ibama nega recursos da Samarco

Embrapa – Tecnologias favorecem o manejo da irrigação

Embrapa – Workshop estratégico sobre o RenovaBio acontecerá em 18 de agosto

Embrapa – Embrapa Hortaliças lança portfólio Produção Integrada de Pimentão

Câmara dos Deputados – Desenvolvimento Econômico debate plano de expansão da produção de cacau

Câmara dos Deputados – Agricultura debaterá impacto da importação de leite e derivados na cadeia produtiva do setor

Zero Hora – Produtores recebem prêmio Gente do Campo na 40ª Expointer

Zero Hora – Luís Fernando Guedes Pinto: sustentabilidade é uma oportunidade para o agro brasileiro

Zero Hora – Édson Bolfe: o poder de nossas frutas

G1 – Exames confirmam que botulismo é causa da morte de mil animais

G1 – Município da Bahia se destaca na produção de banana

G1 – Safra do café deve ser ainda menor que a esperada no sul de MG

G1 – Pecuária ajuda e é ajudada pelo meio ambiente na região do Pampa, RS

O Estado de S.Paulo – Temer diz que Executivo ‘governa junto’ com Legislativo

O Estado de S.Paulo – Broadcast Agro – Adama investirá US$ 30 mi em novas fábricas até 2021

Valor Econômico – Tempo seco permite avanço da moagem de cana na 2ª quinzena de julho

Valor Econômico – Ovos contaminados com inseticida banido chega a 16 países

Valor Econômico – MP sobre multas a frigoríficos que cometessem irregularidades caduca

Valor Econômico – Commodities Agrícolas

Valor Econômico – Reação da demanda doméstica começa a favorecer Kepler Weber

Valor Econômico – Barreiras à mecanização ‘preservam’ trabalhador

Valor Econômico – Supersafra de laranja com preço elevado

Valor Econômico – EUA ajudaram JBS no 2º tri, dizem analistas

Jornal Integração – Técnica de plantio em palha reduz necessidade de irrigação e adubação

Planeta Arroz – Mercado se reabilita e segue ritmo dos últimos meses

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.