FUSÕES DAS INDÚSTRIAS DE QUÍMICOS AGRÍCOLAS PRESSIONAM PRODUTORES, DIZ BLAIRO MAGGI

//FUSÕES DAS INDÚSTRIAS DE QUÍMICOS AGRÍCOLAS PRESSIONAM PRODUTORES, DIZ BLAIRO MAGGI
Reportagem publicada pelo UOL Economia destaca que, de acordo com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, os acordos bilionários que movimentam a indústria global de químicos agrícolas podem prejudicar produtores rurais no Brasil. “Segundo ele, acordos como o da compra da Monsanto pela Bayer por US$ 66 bilhões podem causar concentração excessiva na oferta de sementes e defensivos agrícolas, abalando a concorrência e os lucros dos agricultores”, afirma o texto. “Há apenas um pequeno número de fornecedores para um mundo muito grande, e isso pode fazer com que os produtores se tornem apenas uma parte de um sistema de integração, onde você ganha só um pouco para se manter na cadeia”, declarou Maggi à reportagem. “O ministro, que vem da família que controla um dos maiores empreendimentos de soja do País, o Grupo Amaggi, ressaltou que estava falando “como produtor” e que o governo não deve interferir em transações privadas, deixando essa tarefa para as autoridades reguladoras. O faturamento anual do grupo da família dele é de US$ 3,8 bilhões”, destaca a publicação.

Fusões pelo mundo

A indústria global de sementes e químicos agrícolas passa por uma rápida consolidação. No ano passado, a Bayer acertou a compra da Monsanto. DuPont e Dow Chemical planejam uma fusão de iguais de US$ 59 bilhões. A China National Chemical espera concluir a aquisição da companhia suíça de sementes Syngenta por US$ 43 bilhões. “Também ocorre consolidação no mercado brasileiro. Diversos compradores estrangeiros adquiriram empresas menores que negociam fertilizantes, químicos agrícolas e sementes. A chinesa Hunan Dakang Pasture Farming no ano passado comprou o controle da Fiagril, do Mato Grosso, por US$ 286 milhões e está em negociações avançadas para adquirir o controle da paranaense Belagrícola. Em 2015, a japonesa Sumitomo comprou 65% da Agro Amazônia Produtos Agropecuários, do Mato Grosso”, ressalta a reportagem publicada no portal UOL.

Venda de máquinas

O Valor Econômico desta terça-feira (7) destaca que “a pujante recuperação das vendas de máquinas agrícolas no país “esconde” diferenças regionais que, superadas, poderão render resultados até melhores dos que vêm sendo observados desde o início do Plano Safra 2016/17, em julho do ano passado”. “No plano, foram incluídos R$ 5 bilhões para o Moderfrota, linha oficial de crédito com juros subsidiados voltada à renovação da frota de tratores e colheitadeiras, valor que já foi ampliado para R$ 7,5 bilhões dada a grande demanda e que poderá “ganhar” mais R$ 1,5 bilhão nas próximas semanas, se os pedidos das indústrias e do Ministério da Agricultura forem atendidos. Conforme a edição de 2017 do tradicional “Anuário da Indústria Automobilística Brasileira”, divulgado na segunda-feira (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), as vendas, graças à retomada do segundo semestre, recuaram “apenas” 4,4% no ano passado no país sobre 2015, para 43,7 mil unidades – a previsão inicial era de queda da ordem de 15%. Mas, enquanto houve aumento de 7,6% na região Sudeste (para 15,8 mil unidades), com a ajuda da melhora das vendas de colhedoras de cana, e retrações de só um dígito no Sul (3,8%, para 16 mil unidades) e no Centro-Oeste (7%, para 7 mil), as vendas despencaram no Nordeste e no Norte – respectivamente 25,3%, para 2,9 mil unidades, e 32,9%, para 2 mil”, ressalta a publicação.

Artigo de Michel Temer

No jornal Zero Hora desta terça-feira (7), o presidente Michel Temer assina artigo intitulado “Trilhos do Desenvolvimento”, no qual destaca que para o Brasil voltar a dar certo, “o agronegócio tem que continuar dando certo”. No texto, o presidente elenca ações desenvolvidas pelo governo federal para o setor rural. “Ajudar o agronegócio é apoiar do pequeno fornecedor de alimentos ao grande agricultor para o mercado de “commodities”. Essa teia inclui quem mora no campo, mas tem impacto imenso nos centros urbanos. O setor corresponde a 22% do PIB, a 33% dos empregos, a 46% das exportações de nosso País. Apenas na produção de grãos, esperamos na safra 2016-2017 chegar a mais de 215 toneladas, um aumento de 15%”, diz trecho da publicação.

NA IMPRENSA
MMA – Ministro visita Amazônia para conter desmate

MMA – Ministério apresenta novas práticas de gestão

Embrapa – Livro bilíngue aborda doenças e viroses do milho

UOL Economia – Maggi vê agricultores ‘espremidos’ na cadeia agrícola por fusões

O Estado de S.Paulo – Coluna do Estadão – Blairo Maggi conversa sobre agronegócio com tucanos em São Paulo

O Globo – Estruturas no Acre mostram que índios já faziam manejo da terra há 2 mil anos

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – Fundação busca melhor técnica de plantio para cada tipo de solo

Folha de S.Paulo – Ministério Público pede bloqueio de R$ 3,8 bi de dono de frigorífico JBS

Zero Hora – Michel Temer – Trilhos do desenvolvimento

Valor Econômico – Centro-Sul puxa retomada na área de máquinas

Valor Econômico – Trump faz Brasil se voltar para o México

Valor Econômico – Importação de café

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.