EMPRESAS APOSTAM EM NOVA CONVERSA COM CONSUMIDORES SOBRE TRANSGÊNICOS

//EMPRESAS APOSTAM EM NOVA CONVERSA COM CONSUMIDORES SOBRE TRANSGÊNICOS
Empresas de sementes como a Monsanto e a Dow/DuPont estão apostando em novas tecnologias de edição de genes, o que possivelmente vai reiniciar a antiga discussão sobre sementes geneticamente modificadas. Mas a crença é que a percepção de pelo menos grande parte dos consumidores tenha mudado. “Vinte e dois anos, um trilhão de refeições, não é um soluço ou um espirro”, afirmou Hugh Grant, CEO da Monsanto, durante o Global Food Forum, organizado pelo The Wall Street Journal. O Valor Econômico destaca que uma grande parte da estratégia montada pelas empresa para conversar com os consumidores agora é explicar os benefícios das sementes geneticamente modificadas (OGM, na sigla em inglês). Segundo Grant, temores iniciais sobre possíveis danos à saúde não se confirmaram. “Porém, as ressalvas feitas por consumidores a organismos geneticamente modificados têm a ver também com o possível impacto ambiental dos pesticidas usados em conjunto com essas sementes. Isso está ajudando a impulsionar um mercado crescente de alimentos feitos sem o uso de OGMs. O Non-GMO Project, que verifica o status de produtos alimentícios que alegam não conter OGMs, estima as vendas anuais desses produtos em US$ 19,2 bilhões”, diz a reportagem.

Temer se encontra com bancada agropecuária no Planalto

O presidente Michel Temer dedicou amplo espaço de sua agenda de compromissos na terça-feira (10) para receber no Palácio do Planalto parlamentares ruralistas e entidades ligadas ao setor. Temer ficou no Planalto em articulações políticas em meio à análise pela Câmara de nova denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República (PGR). De acordo com o Valor Econômico, foram chamados para acompanhar Temer nesses encontros voltados para questões ligadas ao setor agropecuário os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles; da Agricultura, Blairo Maggi; do Planejamento, Dyogo Oliveira; e do Meio Ambiente, Sarney Filho. Em um primeiro encontro, Temer debateu a proposta que trata de renegociação de dívidas de produtores com o Funrural. Entre as entidades que acompanharam essa primeira reunião estavam a Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (FEPLANA); Associação Brasileira dos Exportadores de Gado (ABE); Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo); entre outras. Já em encontro proposto pela Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), liderada pelo deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), Temer tratou de reivindicações relacionadas ao Renovabio, licenciamentos ambientais e demarcação de terras indígenas.

Licenças de importação de leite do Uruguai serão suspensas, anunciou Maggi

A suspensão das licenças de importação de leite do Uruguai foi anunciada na terça-feira (10) pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, depois de reunir-se na Câmara dos Deputados com integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária. A decisão, segundo o ministro, valerá até que seja concluída a rastreabilidade do produto. E só será revertida se conseguirem comprovar que 100% do volume exportado ao Brasil são produzidos no Uruguai, afirmou. Maggi observou que haverá comunicado oficial sobre a suspensão de guias de importação. Uma medida mais drástica também está no horizonte, envolvendo o Itamaraty, outras instituições e outros países, que é a de retirar o leite do Mercosul, declarou. Segundo o portal do Mapa, de acordo com o ministro, as medidas administrativas legais com esse objetivo estão sendo adotadas imediatamente. Ele adiantou que será enviada uma missão técnica ao país vizinho e lembrou já havia conversado sobre o assunto com o ministro uruguaio da Agricultura, Tabaré Aguerre. Maggi demonstrou preocupação com a crise vivida por agropecuaristas do setor leiteiro, que disse empregarem mais de um milhão de pessoas, e admitiu como mais uma opção a aquisição de leite destinado a programas sociais e recursos para que a Conab compre leite em pó para estocar e vender no futuro, quando os preços estiverem melhores. Mas isso, explicou, está ainda em discussão na Casa Civil e no Ministério do Desenvolvimento Agrário.

RS pleiteia antecipar calendário para ser considerado livre de aftosa sem vacinação

O secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki, recebeu na terça-feira (10) comitiva do Rio Grande do Sul que pleiteia antecipar cronograma para tornar o estado livre da febre aftosa sem vacinação. Formada por entidades do setor agropecuário e entidades de classe, a comitiva foi liderada pelo secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, que entregou a Novacki pedido de auditoria para avaliar as condições de defesa agropecuária do estado. O portal do Mapa destaca que o objetivo, de acordo com o secretário gaúcho, é verificar a execução das metas do plano estadual que cumpre cronograma do Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa, para que o Rio Grande do Sul avance em seu status sanitário atual de livre da doença com vacinação. “A proposta encontrou receptividade ao ser apresentada a Novacki, que destacou a importância do cumprimento do dever de casa pelos estados e disse que “o Brasil ganha com uma iniciativa como essa do Rio Grande do Sul Guilherme Marques, diretor do Departamento de Saúde Animal do ministério da Agricultura, que acompanhou a reunião, comentou que a auditoria já marcada para outubro possibilitará um diagnóstico detalhada da situação no estado já no mês seguinte, em novembro”, diz o portal.

NA IMPRENSA

Mapa – Próxima safra de grãos deve ficar entre 224 e 228 milhões de toneladas

Mapa – Licenças de importação de leite do Uruguai serão suspensas, anunciou Maggi

Mapa – RS pleiteia antecipar calendário para ser considerado livre de aftosa sem vacinação

MMA – Ibama protege quelônios no Amazonas

MMA – Ministério abre consulta em logística reversa

MMA – País fortalece economia de baixas emissões

Embrapa – Mais de 80% da população brasileira habita 0,63% do território nacional

Embrapa – Integração Lavoura-Pecuária evita perdas em caso de riscos climáticos

Embrapa – Instituto ATÁ convida Embrapa para ser parceira do projeto Fruto

Câmara dos Deputados – Clima: comissão vai debater contribuição do Congresso para cumprimento das metas do Acordo de Paris

Câmara dos Deputados – Comissão inclui na LDB pedagogia da alternância para jovens do campo

Câmara dos Deputados – Congresso Nacional homenageia o Dia do Aviador com exposição

Câmara dos Deputados – Fiscalização Financeira adia audiência com ministro da Agricultura sobre a operação Carne Fraca

Senado Federal – CDR vota isenção para importações do Paraguai para Zona Franca Verde

Folha de S.Paulo – Safra 2017/18 do Brasil deve cair com clima menos favorável, diz Conab

O Estado de S.Paulo – Código Florestal inaugurou período de maior retrocesso socioambiental, diz ambientalista

Valor Econômico – MT reduz alíquota de ICMS para venda interestadual de suínos

Valor Econômico – Novos mercados à carne bovina do Brasil podem ser anunciados em 2017

Valor Econômico – Pecsa recebe certificação de “Empresa B”

Valor Econômico – Exportações brasileiras de café caíram 25,1% em setembro, diz Cecafé

Valor Econômico – Temer se encontra com ruralistas no Planalto

Valor Econômico – Entidades querem reduzir tempo de cobrança do Funrural

Valor Econômico – Ministério da Agricultura suspende importações de leite em pó do Uruguai

Valor Econômico – Usinas do Centro-Sul estão cada vez mais ‘alcooleiras’

Valor Econômico – País semeia a segunda maior safra de grãos de sua história

Valor Econômico – Empresas apostam em nova conversa com consumidores sobre transgênicos

Valor Econômico – Commodities Agrícolas

Zero Hora – Safra gaúcha deverá encolher 5,6% em 2018, prevê Conab

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.