EMBRAPA TRABALHA NO APERFEIÇOAMENTO DO ZONEAMENTO AGRÍCOLA

//EMBRAPA TRABALHA NO APERFEIÇOAMENTO DO ZONEAMENTO AGRÍCOLA

O jornal Valor Econômico desta terça-feira (29) destaca que a Embrapa está trabalhando no aperfeiçoamento do zoneamento agrícola. O atual zoneamento, desenvolvido pela empresa e implementado em conjunto com o Ministério da Agricultura, em 1996, é referência internacional em pesquisas agropecuárias. Atualmente, tem capacidade para estimar riscos com margem de até 20% para o cultivo de 44 culturas no Brasil. Com o “Zoneamento 2.0”, como o projeto foi batizado pelo presidente da Embrapa, Marcelo Lopes, a ideia é dobrar o percentual. “O novo formato do instrumento tecnológico leva em conta o mesmo receituário já utilizado – mapas de solo, previsões meteorológicas e indicação de sementes apropriadas para cada região -, mas com séries e dados mais complexos e aprofundados para poder prever riscos maiores de quebras de safra com percentuais que chegam a 30% e a até 40%”, diz o texto do Valor.

Unidade de Campinas conduz o trabalho

A reportagem do Valor Econômico salienta que testes com bases de dados mais amplas, já concluídos pela Embrapa Informática Agropecuária, sediada em Campinas (SP), já produziram “curvas de desempenho” mais longas de culturas como a soja e o milho safrinha nas regiões Centro-Oeste e Nordeste, capazes de proporcionar o cultivo com cálculos de risco de até 40%. Aryeverton Fortes de Oliveira, pesquisador da Embrapa Informática que coordena a remodelação do zoneamento, explica que o novo formato de levantamentos passará a conter análises de satélites e simulações mais precisas para cada cultura pesquisada em todas as regiões brasileiras. E que outros testes também já começaram a ser feitos no Sul e no Sudeste para o milho safrinha. “As primeiras portarias deverão ser publicadas no início do próximo ano com essas culturas, mas a intenção é ampliar o trabalho para as culturas de cana-de-açúcar e também de trigo”, afirma a reportagem.

Preço da soja desafia a lógica

Na coluna Vaivém das Commodities, da Folha de S.Paulo desta terça-feira (29), o jornalista Mauro Zafalon destaca que os preços da soja têm desafiado a lógica neste ano. “As projeções mundiais de safra continuam apontando para números recordes. O volume produzido nos Estados Unidos já saiu da lavoura e foi para os armazéns, concretizando essas expectativas de produção. Os volumes do Brasil e da Argentina, embora ainda possam sofrer impactos de problemas climáticos, também apontam para patamares recordes nesta safra. Mesmo assim, os preços da oleaginosa se mantêm em alta e são os maiores desde julho. Do lado da oferta e demanda, não há explicações para essa valorização”, diz trecho do texto. Zafalon ressalta ainda que o mercado brasileiro se aproveita da alta dos preços internacionais da oleaginosa: “O contrato de janeiro chegou a US$ 10,65 nesta segunda-feira (28) em Chicago, o maior valor desde 18 de julho. Internamente, a saca de soja para entrega em fevereiro subiu para R$ 75 em Cascavel (PR), ante R$ 69 há um mês. Em Sorriso, Mato Grosso, a saca é negociada a R$ 66, acima dos R$ 60 de há 30 dias”.

Aumenta o PIB do Agronegócio

Impulsionado pelo aumento dos preços agrícolas, o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro cresceu 3,43% no acumulado de 2016 até agosto, de acordo com estimativa elaborada em conjunto pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). “Entre janeiro e agosto, o setor primário foi o que registrou maior crescimento do PIB (4,95%), de acordo com a CNA. Culturas importantes, como soja e milho, registraram incremento do PIB mesmo com a redução da produção. No caso da soja (foto), houve avanço de 9,21% – o preço aumentou 10,2%, mas o volume produzido caiu 0,84%. Já o milho registrou alta de 26,9% no valor da produção, puxado pelo aumento de 61,1% no preço”, afirma o Valor Econômico desta terça-feira (29).

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Cancelada audiência pública sobre risco químico de agrotóxicos – http://ow.ly/MXR9306DNwy

Maracaju Speed – Alimento brasileiro é extremamente seguro para o consumo humano – http://ow.ly/F79A306DNA7

SF Agro – Produtor de tabaco tem renda acima da média brasileira – http://ow.ly/Io1S306DNiA

Zero Hora – Campo Aberto – Incentivos fiscais colocados na berlinda – http://ow.ly/sDrt306Dvnc

O Estado de S.Paulo – Embraer acerta abono de R$ 4 mil a funcionários – http://ow.ly/wwtV306Dxyl

O Estado de S.Paulo – Airbus vence disputa com Boeing e quer buscar acordo global sobre subsídios – http://ow.ly/NvaA306DxC5

O Estado de S.Paulo – Governo quer cortar benefício de pescadores – http://ow.ly/IYrY306DxII

Folha de S.Paulo – Vencedor de leilão de aeroporto terá de pagar 25% do aluguel à vista – http://ow.ly/N6Hx306DyZn

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – Com produção recorde, preço da soja sobe e desafia a lógica – http://ow.ly/mJIH306Dz0Z

Valor Econômico – UBS teme guerra de preços da Bombardier – http://ow.ly/4MmK306DyiX

Valor Econômico – PIB do agronegócio – http://ow.ly/Lirp306DyFf

Valor Econômico – Embrapa aperfeiçoa zoneamento agrícola – http://ow.ly/jDI9306DylQ

Valor Econômico – Entressafra de cana será curta no Centro-Oeste – http://ow.ly/AK0o306DyuI

Valor Econômico – Mapa da cadeia produtiva de suínos indica movimentação de quase R$ 150 bi em 2015 – http://ow.ly/wEaT306DyA3

Valor Econômico – Suzano capta R$ 1 bi com título ‘verde’ no Brasil – http://ow.ly/xqmC306DyQg

Valor Econômico – Commodities Agrícolas – http://ow.ly/4jiP306DypV

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.