EMBRAER DÁ FIM À SUSPENSÃO DE CONTRATOS DE FUNCIONÁRIOS

//EMBRAER DÁ FIM À SUSPENSÃO DE CONTRATOS DE FUNCIONÁRIOS

A Embraer anunciou nesta semana o fim do acordo de suspensão temporária de contratos de trabalho de funcionários, o chamado lay-off, na fábrica de São José dos Campos (SP). Reportagem da Folha de S.Paulo destaca que o programa foi iniciado pela companhia em janeiro de 2017 e previa a demissão de 1.080 pessoas em até dois anos. Com a melhora dos negócios, no entanto, a companhia antecipou o fim do acordo, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do de São José dos Campos. Durante o período, 380 profissionais passaram por cursos técnicos pagos pela empresa, como previa o programa, mas nenhum chegou a ser demitido. “As demissões não aconteceram porque a Embraer teve uma retomada de produção antes do que esperava”, diz Herbert Claros, presidente do sindicato. Para Claros, agora falta a empresa repassar o ajuste real da inflação para os salários dos funcionários e calcular a PRL (participação de lucros e resultados) com base no lucro bruto. “Estamos em negociação com a Embraer, mas é justo que este repasse seja feito”, afirma ele. Segundo o sindicato, a Embraer conta com 14.000 funcionários nas fábricas que possui em São José dos Campos e concentra atualmente cerca de 50% dos profissionais da região do Vale do Paraíba, se considerado os funcionários de fornecedores.

Mato Grosso do Sul e Paraná querem ferrovia para grãos

Os governos do Paraná e de Mato Grosso do Sul lançarão oficialmente na próxima semana, durante apresentação a potenciais investidores, em São Paulo, o projeto de construção de uma nova ferrovia, entre Dourados (MS) e o porto de Paranaguá (PR), destinada exclusivamente ao transporte de grãos. É o que informa o Valor Econômico. São mil quilômetros de trilhos sob concessão, em dois lotes – Dourados/Guarapuava (PR) e Guarapuava/Paranaguá – ao custo estimado de R$ 10 bilhões. O projeto inclui a atual Ferroeste, controlada pelo governo paranaense, que opera entre Cascavel e Guarapuava. A partir daí, os vagões seguem pelos trilhos da Rumo, mediante direito de passagem. “Será uma ferrovia importante, tendo em vista que o volume de grãos movimentado pela Rumo vem caindo ano a ano por falta de manutenção”, diz o presidente da Ferroeste, João Araújo. Em nota, a Rumo rebateu a afirmação, destacou a realização de investimentos na malha e disse que “a construção de uma ferrovia ao lado de uma já existente se mostra inviável (…) demandaria grandes investimentos e um longo tempo de construção, além de entraves para obtenção de licenciamento ambiental”.

Após impasse, BRF confirma Drummond como CEO

A BRF confirmou a nomeação do executivo José Aurélio Drummond Jr. para o cargo de CEO, como anunciou o Valor Econômico. O martelo foi batido pelo conselho de administração da companhia. Drummond participa das decisões estratégicas da BRF desde abril, quando foi eleito para o conselho de administração. O executivo assumirá oficialmente o cargo em 22 de dezembro, substituindo Pedro Faria, cuja saída foi anunciada em agosto. “Pedro Faria e José Drummond iniciarão imediatamente período de transição”, informou a companhia. A escolha de Drummond foi cercada de divergências entre os principais acionistas da BRF. “Na BRF, Drummond terá de concluir a troca das vice-presidências da companhia, nomeando os executivos que comandarão o marketing e a área de integridade. “Em reestruturação, a companhia trocou praticamente todos os seus vices em 2017. Em meio à expectativa pela definição do CEO, as ações da BRF ficaram entre as maiores baixas do Ibovespa. Os papéis da empresa de alimentos fecharam o dia cotadas a R$ 41,19 na B3. Foi a terceira maior queda do Ibovespa, que registrou uma leve queda de 0,1%. A oficialização de Drummond só ocorreu depois do fechamento”, ressalta o Valor.

Fogo contra o Ibama

Mesmo entre defensores e funcionários do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) há quem concorde que o processo de licenciamento ambiental precisa ser modernizado para ganhar eficiência e celeridade. Um editorial, da Folha de S.Paulo, enfatiza que houve três atentados incendiários contra o Ibama nos últimos meses: queimou-se uma carreta com oito camionetes do órgão, na rodovia BR-163 (MT); em Humaitá (AM), sua sede e alguns carros; outro veículo leve de carga em Colniza (MT). Com a escalada da violência, a direção do Ibama chegou a retirar 12 de seus agentes de Humaitá. Em entrevista à Folha, publicada na quarta-feira (22), a presidente da autarquia, Suely Araújo, afirmou, “nem por isso a vigilância ambiental arrefecerá”. Os atentados partem de setores contrariados com o cerco à ilegalidade dos garimpos e da extração criminosa de madeira na Amazônia. Com apoio de alguns líderes políticos e parte das populações locais, que temem a fuga de empregos, capangas dos empresários delituosos revidam com o mesmo instrumento que o Ibama por vezes emprega, o fogo. “Sim, o Ibama queima caminhões, tratores e balsas utilizados para cometer crimes ambientais. Recorre a esse meio extremo, justifica a presidente, quando não tem condições logísticas para recolher o equipamento. Suely informa que o procedimento engloba apenas 2% das operações e se faz com base em decreto de 2008 que regulamentou a lei de crimes ambientais”, frisa parte do texto.

NA IMPRENSA

Mapa – Irrigação por gotejamento usada no Brasil pode ajudar agricultura de Cabo Verde

MMA – Emenda para proteger o clima entra em vigorMMA – Extrativistas terão direito de uso do território

Ibama – Monitoramento aponta aumento de quase 300% na população de tartarugas-da-amazônia no Rio Tapajós (PA) em três décadas

ALESP – CPI de Maus-Tratos contra Animais convoca diretor da Veterinária da USP

Câmara dos Deputados – Deputados criticam dependência externa na área de fertilizantes

Folha de S.Paulo – Editorial: Fogo contra o Ibama

Folha de S.Paulo – Embraer dá fim à suspensão de contratos de funcionários

O Estado de S.Paulo – China pode se beneficiar da queda de Mugabe

Valor Econômico – Abrapa pede aumento das exportações de algodão pelo Norte

Valor Econômico – Rússia garante ter notificado Brasil sobre problema com carne suína

Valor Econômico – Operação em MT interdita seis aviões agrícolas

Valor Econômico – Lucro líquido da Deere & Co cresceu 42% no exercício 2017

Valor Econômico – BB prorroga prazo de custeio e investimento para produtores de leite

Valor Econômico – Com a ajuda da América do Sul

Vaalor Econômico – Expectativa de equilíbrio no mercado global de lácteos

Valor Econômico – Após impasse, BRF confirma Drummond como CEO

Valor Econômico – Rumo rebate críticas

Valor Econômico – MS e PR querem ferrovia para grãos

Zero Hora – Licença que tranca obra de expansão da Yara deve sair nesta semana

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.