EM PESQUISA, 21% DIZEM QUE EXAME DE TOQUE RETAL NÃO É ‘COISA DE HOMEM’

//EM PESQUISA, 21% DIZEM QUE EXAME DE TOQUE RETAL NÃO É ‘COISA DE HOMEM’

O exame de toque retal, essencial na detecção precoce do câncer de próstata, “não é coisa de homem” para 21% da população masculina no país e “não é necessário” para 38% dos homens com mais de 60 anos, que têm maior risco de ter a doença. É o que aponta uma pesquisa Datafolha encomendada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), pelo Instituto Oncoguia e pela farmacêutica Bayer, realizada entre junho e julho deste ano em sete capitais brasileiras. É o que informa o jornal Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (2). A enquete faz parte de uma campanha de conscientização de câncer de próstata organizada pelas três entidades e que conta com a participação de jogadores de futebol. Por isso, foram entrevistados 1.062 homens com 40 anos ou mais que estiveram em estádios de futebol nos últimos três meses. “A pesquisa mostra que 35% dos homens entre 50 e 59 anos nunca fizeram o exame de toque retal. Nesse grupo, 26% afirmam não considerá-lo importante ou necessário. Entre os que têm mais de 60 anos, a taxa de quem nunca fez o exame é de 27%. O presidente da SBU afirma que o toque retal, junto ao exame de PSA – que mede a substância produzida pela próstata que, em caso de infecções ou câncer, apresenta níveis aumentados –, é a forma de detectar a doença”, ressalta a reportagem.

Hospitais usam biópsia menos invasiva para monitorar câncer de pulmão

De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, três grandes hospitais de São Paulo incluíram na rotina clínica hospitalar a realização da biópsia líquida como forma de monitoramento do câncer de pulmão. Trata-se de um exame minimamente invasivo, rápido e indolor, realizado por meio de uma simples coleta de sangue do paciente, que consegue detectar fragmentos de DNA do tumor na corrente sanguínea (ct DNA) e prever o risco de resistência à droga que está sendo utilizada. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de pulmão é o mais comum dos tumores malignos e um dos mais letais, com sobrevida média entre 7% a 10% em cinco anos. Vale ressaltar que a biópsia convencional ainda é necessária e fundamental para o diagnóstico correto do tipo de câncer. “O uso da biópsia líquida é bem estabelecido mundialmente para o câncer de pulmão, e há estudos para tumores de mama e colorretal. Outro potencial da biópsia líquida – que já é considerada uma das principais revoluções da medicina de precisão – é detectar a recidiva do tumor no corpo do paciente, antes mesmo que ele se torne visível em análises convencionais feitas por imagem. A constatação é de um estudo realizado pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês, publicado em abril deste ano no Lung Cancer, uma das principais revistas científicas da área”, afirma parte do texto.

ANS apresenta proposta de mudança do modelo fiscalizatório do setor

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou em seu portal a conclusão, no último dia 25, dos trabalhos do Grupo Técnico para reformulação do processo fiscalizatório (GT Debates Fiscalizatórios). A reunião de encerramento foi realizada no auditório do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) e contou com a participação de representantes do setor regulado, servidores da ANS, do Ministério Público e da Defensoria Pública do Rio de Janeiro. No encontro, foi apresentada a proposta de fluxograma do novo sistema de fiscalização, que contempla o aperfeiçoamento do procedimento de fiscalização, o tratamento das operadoras por faixa de desempenho, a aplicação de penalidades, a reformulação dos atuais tipos infrativos previstos na RN nº 124/2006, além da metodologia que está sendo utilizada para a elaboração do novo indicador de fiscalização. “A expectativa da Diretoria de Fiscalização é que o novo modelo incremente a qualidade dos dados com que a ANS estabelece as suas políticas regulatórias, reduzindo as falhas de mercado e eliminando os entraves gerados pelas operadoras que venham a dificultar o atendimento ao beneficiário. Em sua proposta, a ANS atendeu ao pedido dos órgãos de defesa do consumidor para que a Agência continuasse tratando as demandas individualmente, e não coletivamente”, diz a publicação.

Rio de Janeiro fechará 11 clínicas de saúde da família

Na coluna de Cláudia Collucci na Folha de S.Paulo, foi destacado sobre a ameaça de desmonte do programa Saúde da Família dentro do contexto da revisão do Plano Nacional de Atenção Básica. Segundo a publicação, o Rio de Janeiro saiu na frente e iniciou o seu próprio desmonte. Na terça-feira (1), mais de 700 profissionais que atuam na atenção primária à saúde do município (entre médicos, enfermeiros e técnicos) do Rio de Janeiro receberam aviso prévio, além de 1.800 agentes comunitários. Ao todo, serão fechadas 11 clínicas de saúde da família. Cada unidade é responsável pelo atendimento de um grupo de 4.000 pessoas. Os cortes ocorrem em razão da redução do contrato firmado entre a Prefeitura do Rio e a Organização Social Iabas, responsável pela administração das clínicas e centros municipais na zona oeste do Rio. Em nota, o prefeito Marcelo Crivella (PRB) disse que, apesar da grave crise que atinge o Estado e o município do Rio, “todos os esforços estão sendo feitos para garantir os serviços públicos de saúde, inclusive com inúmeros mutirões que foram realizados, aumentando o número de consultas, exames e cirurgias, na comparação com o mesmo período do ano passado.” A coluna destaca ainda que  em nota divulgada pela Sociedade Brasileira de Medicina de Família, Daniel Soranz, ex-secretário municipal da saúde do Rio (2012-2016), afirma que, com o fechamento das clínicas, a cidade deixará de estar entre as dez principais capitais com maior cobertura, resultando em um retrocesso importante para a saúde dos cariocas.

SAÚDE NA IMPRENSA

 

Ministério da Saúde – Núcleo de Pernambuco atende em novo endereço
X
Ministério da Saúde – Governo Federal autoriza 11 novos cursos de medicina 

ANS – ANS apresenta proposta de mudança do modelo fiscalizatório do setorANS – Workshop Promoprev reunirá operadoras de planos de saúde do Nordeste

ANS – Relatório da CGU confirma benefícios para o consumidor promovidos pela RN nº 388

CNS – CNS lança abaixo-assinado contra a EC 95 e o retrocesso no SUS

Anvisa – IntegraVisa inicia ciclo de encontros estaduais

Anvisa – Tratamentos com ibogaína não estão regulamentados

Fiocruz – Informe Fiocruz PE passa a circular em versão digital

Fiocruz – Fiocruz Minas irá realizar curso sobre medicina na Grécia antiga

Fiocruz – ‘Cadernos de Saúde Pública’ de julho discute prevenção e controle da obesidade

Fiocruz – Fiocruz participa da Semana Mundial de Amamentação 2017

O Estado de S.Paulo – Zika pode ser transmitida por via oral entre macacos, diz estudo

O Estado de S.Paulo – Summit Saúde do ‘Estado’ debate novas descobertas em medicina

O Estado de S.Paulo – ‘Em 5 dias, estava praticamente sem dor’, diz paciente que mudou tratamento após biópsia líquida

O Estado de S.Paulo – Hospitais usam biópsia menos invasiva para monitorar câncer de pulmão

Folha de S.Paulo – Em pesquisa, 21% dizem que exame de toque retal não é ‘coisa de homem’

Folha de S.Paulo – Amamentação exclusiva no Brasil não alcança meta da OMS

Folha de S.Paulo – Cláudia Collucci – Rio fechará 11 clínicas de saúde da família; programa era modelo no país

Folha de S.Paulo – Alexandre Ruschi – Operadoras de saúde não desistirão

Folha de S.Paulo – Associações francesas alertam para riscos de nanomateriais para a saúde

Época – Cristiane Segatto – Planos de saúde e hospitais: eles brigam e nós perdemos

O Globo – ‘Hospice’ pediátrico em São Paulo atende crianças em estado terminal

Correio Braziliense – A história do verme que se transformou em portador de milagres médicos

Correio Braziliense – Sessões de leitura em grupo amenizam impactos de quem sofre com dor crônica

G1 – Estudo confirma que o vírus da zika não é transmitido pela saliva

G1 – Ibogaína, erva tida como ‘útil’ em terapias antidrogas, não está aprovada pela Anvisa

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.