DONALD TRUMP DECLARA EPIDEMIA DO VÍCIO EM OPIÁCEOS NOS EUA

//DONALD TRUMP DECLARA EPIDEMIA DO VÍCIO EM OPIÁCEOS NOS EUA
O presidente Donald Trump, na quinta-feira (26), declarou que a epidemia de opiáceos nos EUA é uma emergência de saúde pública nacional. É o que informa a Folha de S.Paulo. A liberação imediata de recursos para iniciativas de combate a opiáceos desagradou uma ala do governo e do Congresso, que quer medidas mais concretas. Num esforço calculado para abrandar seu estilo, Trump falou em “famílias dilaceradas” pelas drogas, “órfãos dos opióides” e de uma “geração desperdiçada” ao prometer liberar recursos para tratar viciados em heroína e analgésicos à base de opiáceos. Em 2016, 64 mil americanos morreram de overdose de drogas, sendo 53,3 mil de analgésicos opiáceos. Trump disse que reverteria uma lei que proíbe que verbas do sistema público de saúde sejam usadas nesse tipo de tratamento e que exigirá novos treinamentos voltados a médicos. Também disse que financiaria campanhas publicitárias antidrogas, pesquisas de tratamentos alternativos, analgésicos que não induzam ao vício e maior vigilância, tanto de pacotes enviados aos EUA quanto nas fronteiras. “Trump fez campanha prometendo combater o vício em medicamentos opiáceos e, depois de assumir, criou uma comissão para estudar o problema. O colegiado recomendou que o presidente declarasse uma emergência nacional, o que levaria à liberação imediata de recursos e ampliaria o acesso para a droga antioverdose naloxona”, destaca a reportagem.

Fundador de farmacêutica é acusado de pagar propina para médicos receitarem opioides nos EUA

Promotores dos Estados Unidos acusaram John Kapoor, fundador da empresa Insys Therapeutics, de pagar propina para medicamentos opioides prescritos por médicos. O site do G1 enfatiza que o caso ocorreu na quinta-feira (26), mesmo dia em que o presidente Donald Trump declarou a crise dos opioides como uma emergência de saúde pública. A alegação dos promotores à Justiça é que o ex-CEO e outros executivos pagavam os médicos para que receitassem o remédio chamado Subsys, feito com a substância fentanil, potente analgésico usado apenas para pacientes com câncer e dor intensa. A maior parte das pessoas que receberam as prescrições investigadas não tinha a doença. Um porta-voz da empresa, com sede no Arizona, disse que a farmacêutica está sob nova administração. “Nós tomamos as medidas necessárias e apropriadas para evitar que os erros do passado voltem a acontecer no futuro e que comprometam a condução dos negócios de acordo com altos padrões éticos e com os interesses dos nossos pacientes”, disse o comunicado oficial. A Insys também é processada por suas práticas de marketing. “A companhia atua na área política dos Estados Unidos e doou US$ 500 mil para uma campanha do Arizona derrubar uma votação para legalização da maconha. As ações da empresa tiveram uma grande queda nos últimos meses devido às denúncias – mais de 10% no início das negociações, apenas na quinta-feira”, diz o G1.

Governo de SP desafia empresas a desenvolver tecnologia contra ‘Aedes’

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) reservou R$ 10 milhões para as empresas interessadas em desenvolver soluções para questões de relevância pública na área de saúde. São 55 desafios, incluindo o desenvolvimento de uma armadilha tecnológica apropriada para monitorar o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da zika e da chikungunya. O Estadão afirma que os desafios foram incluídos em uma chamada pública do programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (Pipe), da Fapesp, e lançados em parceria com o Pitch Gov. No caso do Aedes, as empresas que aceitarem o desafio deverão desenvolver armadilhas inovadoras que controlem ou removam grandes quantidades do mosquito do meio ambiente, sem o uso de inseticidas. O dispositivo deverá unir sustentabilidade ambiental e custo acessível. Segundo o governo, o objetivo é encontrar uma solução que permita que órgãos públicos planejem, junto com os atuais programas da Superintendência de Controle de Endemias (Sucem), ações para a eliminação de criadouros do Aedes e o controle do mosquito sem uso de inseticida. O benefício será a possibilidade de obter uma nova base de dados sobre a espécie, a ser usada para nortear tomada de decisões. “O programa também desafia as empresas a criar um game interativo, para dispositivos móveis, que atraiam a atenção da população. Um dos desafios é o desenvolvimento de um coração artificial auxiliar, que possa ser implantado”, destaca a notícia.

Conitec publica oito consultas públicas

Conitec, em seu portal, publicou a disponibilização de oito novas consultas públicas sobre medicamentos, produtos e Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT). Por meio da consulta pública, o Plenário da Conitec receberá as sugestões da sociedade que contribuirão para a recomendação final da Comissão. Confira: Proposta de incorporação de curativo de biocelulose para o tratamento de lesões de pele; Proposta de incorporação da ventilação mecânica invasiva domiciliar; Proposta de incorporação da enoxaparina para o tratamento do tromboembolismo venoso; Proposta de incorporação da estimulação do nervo vago para o tratamento da epilepsia; Proposta de incorporação da podofilotoxina 1,5 g/mg creme e imiquimode 50 g/mg creme no tratamento de verrugas anogenitais; Proposta de PCDT da sobrecarga de ferro; Proposta de PCDT do Hemangioma infantil; Proposta de PCDT do Glaucoma. Essas consultas estarão vigentes por 20 (vinte) dias e têm por objetivo viabilizar a participação da sociedade no processo de avaliação de tecnologias em saúde que antecede a incorporação, exclusão ou alteração de medicamentos, produtos e procedimentos utilizados no SUS, assim como na elaboração e atualização de Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas. “Na seção “Consultas Públicas” do portal, estão disponíveis os relatórios técnicos de recomendação das tecnologias, as propostas de atualização dos PCDT e os relatórios para a sociedade, com informações sobre as avaliações realizadas”, ressalta a publicação.

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Ministério da Saúde garante R$ 220 milhões para hospitais universitários

Ministério da Saúde – Ministro da Saúde inaugura DSEI litoral Sul

Ministério da Saúde – Brasil apoia criação da rede de bancos de leite em oito países

ANS – ANS disponibiliza ao público a sua Biblioteca Digital

Anvisa – Anvisa reitera razões para proibir aditivos em cigarros

Anvisa – Reunião debate ferramenta de benchmarking para regulação

Anvisa – Anvisa amplia opções de radiofármacos para diagnóstico

Anvisa – Cinco medicamentos suspensos após inspeção em fábricas

Conitec – CONITEC publica oito consultas públicas

Fiocruz – Centro de Estudos debate o desempenho do sistema de saúde (31/10)

Fiocruz – Evento no INCQS debateu o uso medicinal da Cannabis sp

ALESP – Visita monitorada às obras do Hospital Regional de São José dos Campos

ALESP – Ampliação de recursos à saúde pública deValinhos

Câmara dos Deputados – Seminário discute medicina tradicional, práticas integrativas e complementares em saúde

Senado Federal – Eficácia do Mais Médicos divide opiniões em audiência na CAS

Senado Federal – Pauta Feminina discute resultados da 2ª Conferência Nacional de Saúde da Mulher

Correio Braziliense – Cientistas desenvolvem molécula para bloquear parasitas da malária

Folha de S.Paulo – Suicídio de doutorando da USP levanta questões sobre saúde mental na pós

Folha de S.Paulo – Em exame para engravidar, mulher acha câncer raro e agora luta pelo bebê

Folha de S.Paulo – Trump declara epidemia do vício em opiáceos nos EUA emergência de saúde

G1 – Fundador de farmacêutica é acusado de pagar propina para médicos receitarem opioides nos EUA

G1 – Número de mortes por sarampo é inferior a 100 mil pela primeira vez

G1 – Por que a leishmaniose avança no sul do Brasil e o que os cães têm a ver com isso

G1 – Pesquisa associa surgimento tardio do Alzheimer com problemas no metabolismo

O Globo – Usuários regulares de maconha fazem mais sexo, diz estudo

O Estado de S.Paulo – Governo de SP desafia empresas a desenvolver tecnologia contra ‘Aedes’

O Estado de S.Paulo – Por febre amarela, zona norte de São Paulo recebe fumacê

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.