COMISSÃO DO SENADO PODE VOTAR PROJETO PARA QUE PACIENTES DO SUS CONSULTEM FILA DE ESPERA DE CIRURGIAS PELA INTERNET

//COMISSÃO DO SENADO PODE VOTAR PROJETO PARA QUE PACIENTES DO SUS CONSULTEM FILA DE ESPERA DE CIRURGIAS PELA INTERNET
De acordo com o portal do Senado Federal, os pacientes do SUS poderão consultar a lista da fila de espera de cirurgias pela internet. Um projeto (PLS 393/2015) do senador Reguffe (sem partido–DF) com este objetivo está na pauta da Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS) e pode ser votado esta semana. O relator da proposta, senador Otto Alencar (PSD – BA), sugeriu uma mudança para permitir que a lista seja alterada seguindo orientação médica comprovada por exames. Para Otto Alencar, a iniciativa vai dar mais transparência e evitar fraudes e venda de lugares e a chamada “carteirada”, quando alguém fura a fila com a influência de terceiros.

Assistência pelo SUS a pacientes com paralisia motora pode ser votada na CAS

A proposta que assegura a assistência, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a pessoas com paralisia motora decorrente de doenças neuromusculares, como as distrofias musculares e a Esclerose Lateral Amiotrófica, pode ser analisada pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS), na quarta-feira (16). Conforme anunciado no portal do Senado Federal, o Projeto de Lei da Câmara dos Deputados (PLC) 42/2017 determina que esses pacientes receberão do SUS medicamentos e equipamentos essenciais a sua sobrevivência, incluindo os destinados ao tratamento de doenças que se desenvolverem a partir da enfermidade inicial. O rol das doenças neuromusculares, dos medicamentos e dos equipamentos que serão contemplados pela lei, caso aprovada, serão definidos em regulamento. Mas a autora do projeto, deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), menciona como exemplos o ventilador volumétrico e o auxiliar de tosse (cough assist), para dificuldades respiratórias. “O relator, senador Romário (Pode-RJ), salientou que a Constituição e a Lei Orgânica da Saúde preveem o atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas de saúde, mas sem prejuízo dos serviços assistenciais terapêuticos, inclusive farmacêuticos. Por isso, considera a proposta viável. O senador apresentou emenda para determinar que o SUS disponha de serviços laboratoriais com capacidade de definir o diagnóstico da etiologia dessas doenças. Romário argumenta que a medida se justifica como forma de facilitar um tratamento tempestivo e específico para cada doença, o que certamente melhorará o prognóstico e a qualidade de vida dos pacientes”, diz a publicação.

Cardiologistas adotam critérios mais rígidos para colesterol ruim, o LDL

A SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia) tornou mais rígida a taxa de referência de colesterol ruim (LDL) para quem tem perfil de alto risco, ou seja, aqueles que já passaram por problema cardiovascular grave, como infarto ou derrame. A mudança está presente na atualização da “Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose”, o documento que serve como fonte de informação e referência para os cardiologistas. As recomendações da SBC incluem um novo perfil de “risco muito alto”, relacionado a indivíduos que já tiveram evento cardiovascular. Para esses casos, o LDL deve ser mantido abaixo de 50 mg/dl –antes, o teto era 70 mg/dl. Os casos de “risco alto”, categoria máxima da versão anterior da diretriz, de 2013, devem continuar com o LDL abaixo de 70 mg/dl. Essa recomendação é voltada para pessoas que ainda não passaram por eventos cardiovasculares, mas com condições que podem levar a um. Neste grupo, estão diabéticos, pessoas com aneurisma de aorta abdominal, doença renal crônica e os que têm altas taxas de LDL. Já no “risco intermediário”, de forma geral, estão as pessoas com pressão alta. Neste caso, o LDL deve ser mantido abaixo de 100 mg/dl. André Faludi, presidente do departamento de aterosclerose da SBC diz que, junto ao lançamento da nova diretriz, foi criado o aplicativo Calculadora ER (já disponível na App Store, para usuário de iOS, e no Google Play, para usuários de Android). “O app serve para auxiliar cardiologistas na análise do risco cardiovascular do paciente, para que, em seguida, o especialista opte por um tratamento mais agressivo ou não para controle do colesterol”, destaca o texto.

Você confia no médico que recebe presentes da indústria farmacêutica?

A coluna Check Up, no site da Revista Época, destaca um levantamento conduzido por pesquisadores da Universidade Harvard e da Califórnia onde sugerem a proximidade dos médicos com a indústria farmacêutica que afeta de maneira negativa a percepção dos pacientes sobre a credibilidade do profissional. A nova pesquisa americana mostra que, quando cientes das influências que soam tão longínquas, os pacientes se importam sim. E passam a confiar menos em seu médico. Os médicos são um dos principais alvos das estratégias de marketing das empresas que desenvolvem e vendem medicamentos e dispositivos de saúde. “A lógica é óbvia: são eles os donos do receituário. Se o médico prescreve um medicamento, o paciente costuma – na maior parte dos casos – acatar a recomendação. Logo, é importante para as empresas deixar os profissionais de saúde cientes de seu portfólio de produtos. E, para isso, as empresas farmacêuticas, como quaisquer outras, lançam mão de estratégias de divulgação”, diz o texto. “Fazem parte desse rol de procedimentos as visitas dos representantes que vão aos consultórios com malinhas, para informar o médico sobre os últimos lançamentos e, de quebra, distribuir presentinhos que deixam as marcas de medicamentos muito visíveis para médicos e pacientes: canetas, blocos de anotação, materiais educativos, itens de demonstração, amostras grátis… O assunto é desconfortável para pacientes e médicos: nos faz questionar as influências às quais os profissionais estão sujeitos e, para eles, leva a uma autorreflexão sobre o impacto, ainda que inconsciente, do marketing da indústria sobre suas práticas clínicas”, afirma parte da coluna.

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Ministro da Saúde visita Hospital Metropolitano de Sarandi (PR)

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde destina R$ 15 milhões para o Hospital Juscelino Kubitschek (RJ)

Anvisa – Divulgado resultado de edital de chamamento 9/2017

Anvisa – Anvisa dirige consulta sobre estabelecimentos de saúde

ANS – Workshop Promoprev Recife: inscrições prorrogadas até segunda-feira (14/08)

ANS – LAB-Odonto planeja próximos passos do Projeto Sorrir

Fiocruz – Revisão da política de atenção básica é debatida em reunião do CNS

Fiocruz – Lançado novo boletim do Observatório das Estratégias da Indústria do Tabaco

Fiocruz – Câmara homenageia Oswaldo Cruz em sessão solene

Inca – Informativo da Secretaria Executiva da CONICQ – nº 08/2017

Tecpar – CONVIDADOS DO TECPAR TÊM 25% DE DESCONTO NA INSCRIÇÃO DO SEMINÁRIO EMBALAGEM E SUSTENTABILIDADE

Câmara dos Deputados – Comissões promovem debate sobre questões relacionadas às surdez

Câmara dos Deputados – Surdocegueira poderá ter data nacional de conscientização

Câmara dos Deputados – Comissão dos Agentes Comunitários de Saúde vota relatório na quarta-feira

Câmara dos Deputados – Audiência interativa discute assistência psicológica a atleta profissional

Câmara dos Deputados – Comissão obriga comunicação à polícia e ao MP de casos de violência atendidos na saúde

Senado Federal – Assistência pelo SUS a pacientes com paralisia motora pode ser votada na CAS

Senado Federal – Pacientes do SUS vão poder consultar lista da fila de espera de cirurgias pela internet

Folha de S.Paulo – Cardiologistas adotam critérios mais rígidos para colesterol ruim, o LDL

Folha de S.Paulo – Mônica Bergamo – Número de ações contra planos de saúde é o maior da história

Folha de S.Paulo – Contra perda de pacientes, clínicas criam rede popular

O Estado de S.Paulo – Contra a corrente, avança a dieta com base em gorduras

Correio Braziliense – Pesquisadores encontram molécula que auxilia o combate à anemia

Época – Check-Up – Você confia no médico que recebe presentes da indústria farmacêutica?

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.