COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS COBRARÁ QUE O MAIS MÉDICOS NÃO SEJA PREJUDICADO

//COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS COBRARÁ QUE O MAIS MÉDICOS NÃO SEJA PREJUDICADO
Quase 8 milhões de brasileiros deixaram de contar com o atendimento de profissionais vinculados ao Programa Mais Médicos em 2017. Este foi o dado que mais preocupou os senadores na avaliação do Programa, apresentada pela senadora Lídice da Mata (PSB-BA), e aprovada, na Comissão de Assuntos Sociais. É o que informa o Senado Notícias. O relatório de Lídice da Mata mostra que, em 2017, caiu o número de cidades e de médicos atuantes no Programa. O Mais Médicos chegou a ter 18.240 profissionais, mas hoje tem menos de 16 mil. Antes atuava em 4.058 cidades, porém mais de 200 destes municípios estão sem atendimento. Outro problema para os senadores é a Portaria 12/2017, do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, que tornou discricionárias as despesas do Mais Médicos. A presidente da CAS, senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), informou que vem negociando com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, uma nova audiência pública para que ele realize um balanço da sua gestão. “Na conclusão, Lídice apresentou dados da Universidade Federal de Minas Gerais dando conta de que, nos municípios onde foi implantado, 85% da população avalia que o Mais Médicos melhorou a qualidade do atendimento”, enfatiza a publicação.

Hospital poderá ser obrigado a dar protocolo de atendimento a paciente

Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 8269/17, do deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB), que obriga hospitais e clínicas a fornecer protocolo de atendimento aos pacientes. De acordo com a Agência Câmara Notícias, pela proposta, o documento deve constar a data e o horário da chegada ao local. O protocolo deve ser dado mesmo em caso de recusa ou impossibilidade de prestar o serviço com a justificativa dada pelo estabelecimento. Segundo Gouveia, é comum o cancelamento de consultas agendadas, sem garantias de outro agendamento em tempo. “Os pacientes não recebem qualquer documento que comprove a sua busca pela atenção à saúde. São situações que limitam muito as possibilidades de o paciente se defender”, afirmou. “A comprovação de que o paciente buscou a atenção especializada à sua saúde, ainda que isso lhe tenha sido negado, é essencial para a defesa de direitos sensíveis, na opinião de Gouveia”, destaca o portal.

Brasil monitora danos causados por medicamentos

O uso de medicamentos pode causar problemas à saúde, algo que é conhecido tecnicamente como evento ou reação adversa. Embora não seja o efeito esperado em uma terapia, existe a possibilidade do produto não corresponder ao efeito desejado e frustrar as expectativas de profissionais de Saúde e pacientes quanto ao tratamento. São casos em que o produto tem algum tipo de efeito nocivo não esperado. Quando situações como essas ocorrem, é necessária a avaliação da Anvisa. Conforme o portal da Anvisa, o órgão, responsável pela aprovação e pelo registro de medicamentos, também realiza o monitoramento dos produtos no mercado, por meio de relatos de casos e queixas registrados no Notivisa. Para a Anvisa, existem três pontos muito importantes relacionados à avaliação de medicamentos: segurança, eficácia e qualidade do produto. “O monitoramento deve ser entendido como uma ferramenta que nos permite detectar sinais de alerta sobre medicamentos que estejam sendo alvo de relatos de eventos adversos. Isso pode indicar problemas de qualidade, eficácia e até mesmo de segurança à saúde do paciente”, afirma a gerente-geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária, Fernanda Maciel.

Filantropia para tratar câncer em hospitais privados de SP corre risco

Um grupo de 2.200 mulheres são atendidas por um dos projetos que o Hospital Sírio-Libanês tem dentro de um programa do Ministério da Saúde, por meio do qual hospitais filantrópicos de excelência recebem isenção fiscal federal em troca de parcerias com o SUS. Em São Paulo, quatro hospitais têm projetos no Proadi, que são revistos a cada três anos. Neste triênio, serão priorizados projetos que atendam às demandas nacionais do SUS e não às necessidades apenas do município. A Folha de S.Paulo destaca que esses correm o risco de serem “descontinuados”. Além das cirurgias da mama, o ambulatório do Sírio garante acompanhamento clínico das mulheres por dez anos. O diretor-geral do Sírio, Paulo Chapchap, garante que o atendimento a todas as mulheres que já estão inseridas no projeto continuará independentemente de decisões dos governos federal, estadual ou municipal. “É o nosso compromisso. Se precisar ser do nosso custeio, fora do Proadi, a gente vai manter. Somos a Sociedade Beneficente de Senhoras do Hospital Sírio-Libanês.” “Sobre o ingresso de novas pacientes nesse projeto e a continuidade de outros, Chapchap diz que o hospital está em negociação com a Prefeitura de São Paulo e com o Ministério da Saúde”, ressalta a reportagem.

SAÚDE NA IMPRENSA
Anvisa – Regras da Anvisa evitam semelhanças de nomes de medicamentos

Anvisa – Brasil monitora danos à saúde provocados por medicamentos

Fiocruz – Fiocruz Brasília sedia encontro para debater direitos do paciente

ALESP – Ambulância para a cidade de Adamantina

ALESP – Questionada destinação do Conjunto Hospitalar de Sorocaba

Câmara dos Deputados – Hospital poderá ser obrigado a dar protocolo de atendimento a paciente

Senado Federal – Após redução de atendimentos, CAS vai cobrar de ministro que o Mais Médicos não seja prejudicado

Correio Braziliense – Efeito do ebola na Libéria matou mais que o próprio vírus

Correio Braziliense – Vinho tinto ajuda no combate às bactérias da boca, diz estudo

Correio Braziliense – Ministério quer vacinar toda população contra febre amarela até fim do ano

Estadão – Parque do Carmo é fechado e vacinação contra febre amarela é expandida para Aricanduva

Folha de S.Paulo – Filantropia para tratar câncer em hospitais privados de SP corre risco

G1 – Brasil tem caso de sarampo ‘importado’ da Venezuela, mas continua livre da doença, diz Ministério da Saúde

G1 – Morre de câncer Youtuber que disse que havia se curado com dieta vegana

G1 – Estudos mostram que ter zika pode proteger contra a dengue e vice-versa

G1 – Brasil confirma mais 10 mortes por febre amarela em 4 dias

G1 – Menino de 4 anos para de sentir as pernas após alergia a medicamento e é diagnosticado com síndrome rara no Acre

O Globo –Estudo encerra debate sobre eficácia dos antidepressivos: eles funcionam

Portal da Privacidade – Aberta consulta pública sobre tratamento de dados na área da saúde

Valor Econômico – No Brasil, 70% não têm plano de saúde particular, apontam SPC e CNDL 

Blog do Antero – Universalização da saúde é desafio para muitas gestões, opina advogado

Blog Robson Sampaio – Administração acata assistência especial para bebês com deficiência em hospitais particulares

____________________________________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de cumunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.