COM ALTO CUSTO, PRODUTOR DE ARROZ DIMINUI ÁREA NO RIO GRANDE DO SUL

//COM ALTO CUSTO, PRODUTOR DE ARROZ DIMINUI ÁREA NO RIO GRANDE DO SUL

O produtor de arroz do Rio Grande do Sul não tem o que comemorar neste início de colheita. Conforme o Canal Rural, apresentado domingo (4), os custos não param de aumentar, e a concorrência externa diminui cada vez mais a competitividade do setor. A saída, para muitos agricultores, é diminuir a área cultivada na próxima temporada. A Federação das Associações de Arrozeiros do Estado do Rio Grande do Sul contabilizou os principais aumentos que fazem o agricultor gastar mais. Além da energia elétrica (34% de aumento), vem o diesel, que subiu 20% nos últimos oito meses. A mão de obra também está mais cara (7,5%) e, por último, o custo com manutenção de equipamentos (de 10% a 15%). Um estudo do economista Antônio da Luz, da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul, mostra que produtores pagam, pelo menos, 80% mais caro por determinados insumos que outros países do Mercosul. “E, se o produtor percebe que o retorno não compensa o investimento como esperado, a saída é diminuir área plantada. E o setor já orienta essa redução”, diz o economista.

Desafios na UE alimentam acordo com Mercosul

O setor agropecuário vem pesando no acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul. A agropecuária passa por intensas mudanças estruturais na Europa, e o horizonte pode não ser tão favorável. Segundo o Valor Econômico, a força de trabalho recua com intensidade no campo e poderá haver retração de 28% até 2030. Essas mudanças forçam as fazendas a buscar cada vez mais uma economia de escala e maiores investimentos em máquinas. Recente avaliação do setor de desenvolvimento agrícola e rural da Comissão Europeia indica que, devido à redução de área, a UE aposta no aumento da produtividade. O aumento de produção requer uma melhor alimentação dos animais, provavelmente com mais produtos saídos do Mercosul. “As mudanças estruturais por que passa a agropecuária europeia poderão dar menor margem à atividade na região, o que a tornará mais dependente do Mercosul”, afirma a reportagem.

Boeing propõe ter 90% de empresa de aviação comercial da Embraer

O projeto que a Boeing apresentou ao governo prevê que a gigante americana de aviação controlaria de 80% a 90% de uma nova empresa que receberia toda a área de aviação comercial da Embraer, tanto de jatos regionais quanto executivos, conforme noticiou o Valor PRO. A fabricante brasileira, portanto, teria debaixo dela apenas 10% a 20% do capital da nova companhia e também a atual área de defesa, que o governo brasileiro insiste que não seja vendida. O desenho agradou o governo, apurou o Valor, que vinha ameaçando vetar a venda do controle da Embraer alegando questões de soberania nacional. Ficou acordado que a proposta passará a ser detalhada. Se Boeing, Embraer e governo concordarem, será, então, levada para aprovação dos acionistas da Embraer. Se a proposta vingar, a nova empresa passará por uma avaliação e a Boeing proporá à Embraer a compra de 80% a 90% de seu capital em dinheiro. “Já se o contrato previr que a nova empresa vai assumir custos que estão alocados hoje no segmento de defesa da brasileira, como de marketing e venda de produtos, é possível que o resultado da Embraer “que sobra” melhore”, frisa a notícia.

Mercado brasileiro de adubos anima PhosAgro

O mercado brasileiro é estratégico nos planos de expansão da gigante russa PhosAgro, uma das maiores fabricantes mundiais de fertilizantes derivados de fosfato, porém, com dois problemas sérios para resolver: a deficiência na infraestrutura e a complexidade do sistema tributário, diz Andrey Guryev, CEO da empresa. Em entrevista ao Valor, Guryev mostrou-se animado com as perspectivas do Brasil. Para ele, as vendas de fertilizantes ao país devem manter um ritmo anual de crescimento na faixa de 3% a 5%, acima do dobro da média verificada em escala global e com destaque para a expansão da área agrícola em Mato Grosso. “Haverá dois grandes mercados para o crescimento de fertilizantes no mundo: Brasil e Rússia”, diz Guryev, satisfeito com a recuperação nos preços de fertilizantes, desde o último trimestre.

NA IMPRENSA
MMA – Ministério quer tornar rio Negro sítio Ramsar

MMA – Aplicativo conecta pessoas para preservar riosMMA – Consulta sobre novas UCs será nesta semana

Embrapa – Internet das coisas pode ajudar a melhorar produtividade agrícola

Embrapa – Publicações trazem recomendações e resultados de pesquisas em caprinocultura e ovinocultura

Senado Federal – CDH avaliará mudança na Lei do Cão-Guia para permitir assistência a outras deficiências

Canal Rural – Arroz: com alto custo, produtor diminui área no RS

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – Desafios na UE alimentam acordo com Mercosul

Portal do Agronegócio – Após atingir menor patamar em três semanas, soja atrai compradores em Chicago

Portal do Agronegócio – Pesquisa aponta embarques de 2,324 mi de toneladas de soja em janeiro

Portal do Agronegócio – Flores orgânicas produzidas em Minas ganham o mercado internacional

Portal do Agronegócio – Aprosoja cobra de Maggi novas regras para classificação de grãos

Portal do Agronegócio – Maior rentabilidade do etanol pressiona e faz preços do açúcar subirem

Portal do Agronegócio – É tempo de irrigar com consciência

Portal do Agronegócio – Pesquisa aponta embarques de 2,324 mi de toneladas de soja em janeiro

Valor Econômico – JBS aumentará abates de bovinos em frigorífico de MT em 50% 

Valor Econômico – Dívida da Pomi Frutas soma cerca de R$ 30 milhões

Valor Econômico – Masterboi faz parceria para melhorar qualidade dos bovinos que abate 

Valor Econômico – Marfrig estabelece parceria com a Nestlé

Valor Econômico – BrasilAgro lucrou R$ 11,5 milhões no 2º trimestre da safra 2017/18

Valor Econômico – Mercado brasileiro de adubos anima PhosAgro

Valor Econômico – Unica critica IPI menor para carro elétrico

Valor Econômico – JBS ampliará abates em frigorífico de MT

Zero Hora – Batalha na Cotrijui vai prosseguir

Zero Hora – Carlos Nabinger: plantas locais e sustentabilidade

Zero Hora – Como prevenir o gado contra a acidose ruminal?

Revista Campo e Negócios – Adjuvantes atuam na proteção dos defensivos

Diário da Serra – Assaltantes invadem fazenda em MT e levam defensivos agrícolas avaliados em R$ 400 mil

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.