BRASIL PODE QUESTIONAR NOVA TAXA DA CHINA SOBRE AÇÚCAR NA OMC

//BRASIL PODE QUESTIONAR NOVA TAXA DA CHINA SOBRE AÇÚCAR NA OMC

O Ministério do Comércio da China confirmou, na segunda-feira (22), o aumento de 50% para 95% na tarifa incidente sobre o volume de suas importações de açúcar que exceder a cota de 1,95 milhão de toneladas estabelecida pelo governo. Conforme destaca reportagem do Valor Econômico, a taxação é resultado de uma investigação de salvaguarda que teve como objetivo, segundo Pequim, proteger os produtores chineses. A elevação da tarifa, no entanto, prejudicará a rentabilidade das exportações brasileiras ao país, que têm girado em torno de 2,5 milhões de toneladas ao ano. Esse volume equivale a 10% dos embarques totais da commodity realizados pelo Brasil e a 50% das compras de açúcar da China no mercado internacional. Diante da confirmação da elevação da tarifa chinesa, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), que representa as usinas sucroalcooleiras do Centro-Sul do Brasil, informou que continuará, em parceria com o governo, a buscar um acordo com Pequim para identificar “mecanismos que possam amenizar potenciais prejuízos aos produtores e exportadores brasileiros”. “As negociações começaram na sexta-feira passada, na sede da Organização Mundial do Comércio [OMC], em Genebra [Suíça]. A entidade espera que os governos avancem nesse diálogo para que não haja necessidade de abrir painel na OMC”, informou a Unica em comunicado. “A Unica tem sustentado desde o início do processo de investigação da China (setembro de 2016) a inexistência de requisitos da OMC que justifiquem a imposição de salvaguarda. Com base na análise do volume e do valor exportado por todos os países envolvidos entre os anos de 2011 e 2016, não se configura ‘surto inesperado de importações’, nem se observa a relação de causalidade entre o nível de exportações e o desempenho da produção chinesa”, enfatizou a entidade.

Após reestruturação, Geociclo foca em valor agregado

A Geociclo, especializada em agrotecnologia e fabricação de fertilizantes organominerais, concluiu processo de reestruturação em que voltou a pertencer integralmente ao empresário Olavo Monteiro de Carvalho, sócio do grupo Monteiro Aranha, e decidiu se concentrar em culturas de maior valor agregado. Conforme o Valor Econômico noticiou, após revisar a estratégia, a empresa, que completa em 2017 dez anos de atividades, pretende ampliar a produção de fertilizantes especiais para quase 100 mil toneladas anuais e alcançar faturamento da ordem de R$ 140 milhões em 2020. Apesar da prioridade em pesquisa e desenvolvimento, a Geociclo se concentrava nos últimos anos na venda de fertilizantes especiais, de base organomineral, para cana-de-açúcar e soja. A nova estratégia é ampliar a base de clientes para segmentos de maior valor agregado, como hortifrúti, café e cereais. “A produção da Geociclo é feita na fábrica da companhia, em Uberlândia (MG), que tem capacidade para produzir até 150 mil toneladas/ano de fertilizantes. A estimativa da Geociclo é terminar 2017 com produção de 40,5 mil toneladas de fertilizantes especiais e faturamento da ordem de R$ 58 milhões”, afirma trecho da notícia.

Ações da JBS caem 37% em três pregões 

A intensa exposição dos crimes delatados pelos irmãos Batista durante o fim de semana resultou, na terça-feira (22), no pior dia da história da JBS. Em meio à aversão de investidores, a empresa perdeu R$ 7,45 bilhões em valor de mercado. De acordo com o Valor Econômico, na bolsa, as ações da JBS recuaram 31,3%, na maior desvalorização desde sua abertura de capital, em 2007. “Desde a quarta-feira (17), os papéis caíram 37% na bolsa, o que fez o valor da empresa cair de R$ 25,9 bilhões para R$ 16,3 bilhões. A reação dos investidores decorre dos temores sobre a sustentabilidade financeira da companhia. Os procuradores do Ministério Público Federal querem aplicar multa de R$ 11 bilhões para fechar acordo de leniência com a JBS. Nas mídias sociais, a empresa vem sofrendo um movimento de boicote às cerca de 50 marcas de produtos de consumo de sua propriedade”, diz a publicação.

Normas para treinamento de abate humanitário são publicadas

O site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) destaca publicação, no Diário Oficial da União, da Instrução Normativa n°12, com as normas de credenciamento para treinamento em manejo pré-abate e abate de animais. O treinamento é necessário para obter certificado de aptidão dos responsáveis pelo abate humanitário com fins comerciais. O abate humanitário é um conjunto de diretrizes técnicas e científicas que garantem o bem-estar do animal, desde o embarque na propriedade até o frigorífico, evitando maus tratos, negligência e reduzindo perdas na cadeia produtiva. “Os procedimentos de manejo no pré-abate e abate de animais para o consumo, não podem ser ignorados, assim como bem-estar animal em todas as etapas. Se realizado de forma incorreta, perde-se na lucratividade, uma vez que, estressados podem produzir cortes de carnes com defeitos, lesões e fraturas. Os interessados devem procurar a Superintendência Federal de Agricultura do seu estado para maiores informações”, destaca trecho da publicação no site do Mapa.

NA IMPRENSA 

Mapa – Normas para treinamento de abate humanitário são publicadas

Mapa – Catar deve enviar missão de negócios ao Brasil, em setembro

Mapa – Ministro interino entrega kits de irrigação

Embrapa – Governo adota Fossa Séptica Biodigestora desenvolvida na Embrapa como política pública

Câmara dos Deputados – Comissão aprova seguro-desemprego para pescador profissional no período do defeso

Câmara dos Deputados – Agricultura debate os cinco anos de aprovação e aplicação do Código Florestal

Senado Federal – Proibição do uso de animais em testes de cosméticos é tema de debate na CMA

Senado Federal – Para especialistas, direitos humanos e proteção ao meio ambiente estão ligados

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – Há 12 anos, irmãos da JBS já protagonizavam gravação polêmica

O Estado de S.Paulo – Coluna do Broad – Banco Central colocará auditor no banco Original a partir de hoje

O Estado de S.Paulo – Estadão promove fórum Logística e Infraestrutura no Agronegócio

Valor Econômico – Ações da JBS caem 37% em três pregões

Valor Econômico – Após reestruturação, Geociclo foca em valor agregado

Valor Econômico – Brasil pode questionar, na OMC, nova taxa da China sobre açúcar

Valor Econômico – No ‘olho do furacão’, JBS já perdeu R$ 9,6 bi 

G1 – China impõe tarifas de importação sobre açúcar e Brasil avalia contestação na OMC

G1 – Brasil pode deixar de exportar 800 mil toneladas de açúcar após China elevar taxas, diz Unica

G1 – China quase dobra taxa de importação de açúcar, para 95%

Folha Metro – Degustadores da Sabesp garantem a qualidade da água

Brasil Agro – Biodiesel de soja reduz até 72% as emissões de gases de efeito estufa

Portal do Agronegócio – DuPont e Dow Chemical criam líder global de defensivos e sementes

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.