BRASIL PERDEU ESPAÇO NO MERCADO AGRÍCOLA MUNDIAL, AFIRMA OMC

//BRASIL PERDEU ESPAÇO NO MERCADO AGRÍCOLA MUNDIAL, AFIRMA OMC
Os produtos agrícolas brasileiros perderam espaço no mercado internacional. Isso é o que revela a OMC em seu informe sobre a política comercial brasileira, que faz uma análise detalhada da situação do País. É o que informa o site do G1. Com a quarta maior superfície agrícola do mundo, o Brasil continua sendo o terceiro maior exportador do planeta, superado apenas pelos EUA e Europa. Mas, ainda assim, a fatia no mercado internacional encolheu. Na avaliação anterior feita pela OMC, em 2012, o Brasil correspondia a 7,3% do fornecimento mundial. No atual exame, a constatação é de que essa taxa caiu para 5,1%. A OMC destaca que o Brasil manteve a liderança mundial na venda de açúcar, suco de laranja e café. Mas uma das constatações aponta para o fato de que o crescimento médio anual da produtividade no campo foi desacelerado, passando de 4,08% entre 2000 e 2009, para 3,99%, entre 2000 e 2015. A OMC ainda sustenta que a produtividade do trabalho rural é quase quatro vezes inferior à produtividade nos demais setores da economia. A OMC, portanto, sugere que se reduza os empréstimos para o capital de exploração, a simplificação de regras e uma mudança de orientação para apoiar investimentos em terras agrícolas que incorporem inovação. A renda dos agricultores também poderia ser protegida de forma mais eficiente, avalia a OMC, com investimentos diretos em infraestrutura e investimentos públicos para “estimular o crescimento do setor agrícola com maior eficiência”, ressalta a publicação.

Mercado dos EUA à carne brasileira deve ser reaberto em até 60 dias

Ao deixar a reunião com secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, em Washington, na segunda-feira (17), o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) disse ser preciso aguardar “posições técnicas”, mas adiantou, mesmo considerando difícil dar um prazo, ser possível a reabertura do mercado norte-americano à carne bovina in natura brasileira em 30 ou 60 dias. O Mapa, em seu portal, destaca a publicação que uma equipe de técnicos do Mapa está no país desde o último dia 13 em contato com a área de Defesa Sanitária para tratar do atendimento às exigências feitas pelo governo dos EUA para restabelecer as importações de carne bovina, interrompidas por causa de preocupações sanitárias. O encontro com Perdue, de acordo com Maggi, superou as expectativas. “O ministro Maggi retorna ao Brasil nesta terça-feira (18), após uma reunião com o Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos”, completa a informação.

Fiscais agropecuários fazem ‘greve’ de 24 horas por recomposição de quadro

Auditores fiscais federais agropecuários entraram, na segunda-feira (17), em estado de mobilização, com uma paralisação temporária de 24 horas, segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical). A categoria reivindica a autorização de concurso público para recomposição do quadro funcional e protesta contra uma série de medidas adotadas pelo Ministério da Agricultura. Caso suas reivindicações não sejam atendidas, na próxima semana a paralisação será de 48 horas, nos dias 24 e 25, informa o sindicato. Conforme informou o site do G1, o Anffa recomendou que nenhum fiscal acesse os sistemas do ministério para realizar suas atividades. Se houver a adesão de fato, cargas para exportação não serão inspecionadas e o trabalho nos frigoríficos não será fiscalizado. O sindicato reivindica a realização de concurso público para o preenchimento de 1.600 vagas. “Nos últimos 20 anos, o mercado agropecuário brasileiro cresceu mais de 200%, e o número de fiscais federais agropecuários diminuiu mais de 35%”, diz, em nota, o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto. O Ministério da Agricultura ainda não se manifestou sobre a mobilização.

Ministério cria grupo para aprimorar política de biocombustíveis 

De acordo com o jornal Valor Econômico, o Ministério de Minas e Energia (MME) criou um grupo de trabalho para propor aprimoramentos ao mercado de biocombustíveis. A portaria que cria o GT RenovaBio foi publicada nesta terça-feira (17) no “Diário Oficial da União” (DOU) e dá prazo até 26 de setembro para que o grupo finalize suas sugestões. De acordo com o despacho, o grupo deverá observar quatro princípios nas suas propostas. O primeiro diz que “os usos dos biocombustíveis como instrumentos para a redução das emissões da matriz de combustíveis serão reconhecidos na proporção do seu desempenho ambiental e sustentabilidade”. O segundo pede que “os biocombustíveis produzidos e utilizados no Brasil tenham seu desempenho energético e ambiental mensurados, de acordo com padrões internacionais de certificação, com critérios transparentes”. Em seguida, prossegue o texto, é necessário buscar a indução da eficiência energética “por meio da avaliação de desempenho energético e ambiental mensurados”. O último princípio pede a “descarbonização ” gradual da matriz, no curto, médio e longo prazo”, diz a reportagem.​

NA IMPRENSA

Mapa – SC sedia workshop sobre indicação geográfica com palestrantes internacionais

Mapa – Custos de produção de suínos e de frangos de corte caem 30% nos últimos 12 meses

Mapa – Mercado dos EUA à carne brasileira deve ser reaberto em até 60 dias

MMA – Ministério abre cursos na área ambiental

MMA – Arpa muda realidade de reserva extrativista

Ibama – Boletos de cobrança emitidos pelo Ibama adotam novo padrão estabelecido pelo Banco Central

Folha de S.Paulo – Agricultura impede retração de vagas, que têm saldo positivo no 1º semestre

Folha de S.Paulo – Economia brasileira segue fechada e setor agrícola perde força, diz OMC

Folha de S.Paulo – EUA podem voltar a importar carne in natura do Brasil em 30 dias, diz Maggi

Folha de S.Paulo – Mercado prevê queda mais rápida dos juros com Selic a 8% no fim do ano

O Estado de S.Paulo – Projetos de ferrovia disputam a safra do Centro-Oeste

G1 – Fiscais agropecuários fazem ‘greve’ de 24 horas por recomposição de quadro

G1 – Feira de ovinos em Ponta Grossa espera movimentar R$ 500 mil e receber 3 mil pessoas

G1 – Brasil perdeu espaço no mercado agrícola mundial, afirma OMC

G1 – Fazendas produtoras de leite faturaram R$ 27 bilhões em 2016

Valor Econômico – Receita da Gavilon do Brasil cresceu 76% no exercício 2016 

Valor Econômico – Lactalis e Lala são as maiores interessadas na Vigor 

Valor Econômico – Mudanças atreladas a resultados 

Valor Econômico – Commodities Agrícolas 

Valor Econômico – Ministério cria grupo para aprimorar política de biocombustíveis 

Midiamax – Auditores fiscais federais agropecuários fazem paralisação por 24 horas

Brasil de Fato – MST ocupa novamente área grilada no DF e pede reforma agrária

Portal do Agronegócio – Biotecnologia permite aproveitar mais nutrientes das rações

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.