APÓS CARNE FRACA, IMPORTADORES PAGAM MENOS POR CARNE BRASILEIRA, DIZ MAGGI

//APÓS CARNE FRACA, IMPORTADORES PAGAM MENOS POR CARNE BRASILEIRA, DIZ MAGGI

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou na quarta-feira (10), que parte dos países compradores de carne brasileira passaram a pagar um valor menor pelo produto após a deflagração da Operação Carne Fraca. Maggi citou o exemplo de Hong Kong, que chegou a restringir a importação de carne brasileira após a operação da Polícia Federal, mas que, depois de retomar as compras, conseguiu redução entre 3,5% e 4% no valor dos contratos referentes à carne suína. Apesar do relato do ministro, no mês de abril o valor médio das exportações de carnes brasileiras subiu 0,2%, ou seja, a carne foi vendida ao exterior por preço mais alto, apesar de uma queda de 13,3% na quantidade exportada. De acordo com o site do G1, os números são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. “Após a operação, diversos países anunciaram a suspensão da importação de carne brasileira. Quase dois meses depois, 13 países mantém restrição ao produto brasileiro, mas a maioria deles é de pequenos compradores”, diz a notícia.

Sugestões a projeto para melhorar defesa agropecuária

A definição de critérios específicos para o repasse de recursos da União para a defesa agropecuária recebeu elogios de especialistas na quarta-feira (10), em audiência pública da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) do Senado. Os convidados fizeram sugestões de mudanças no PLS 379/2016, que propõe percentuais fixos, a exemplo dos fundos de participação, para os repasses dos entes federados às ações de inspeção e controle da saúde dos animais e vegetais. Conforme publicação do site do Senado Federal, o autor do projeto, senador Roberto Muniz (PP-BA), afirmou que as atividades relacionadas à defesa agropecuária são, em geral, de natureza contínua e precisam de segurança financeira. “A suspensão ou contingenciamento dos recursos orçamentários, mesmo que por breves períodos, podem colocar em risco os seus objetivos”, diz a publicação. Para o relator do texto, Flexa Ribeiro (PSDB-PA), que pediu a audiência pública, a definição dos critérios é um grande passo para a defesa agropecuária. O relator disse que levará em consideração as sugestões dos participantes para aprimorar o texto

Comissão rejeita destaque e aposentadoria rural exigirá 15 anos de contribuição

A Comissão Especial da Reforma da Previdência da Câmara dos Deputados rejeitou, por 23 votos a 14, destaque da bancada do PSB sobre a aposentadoria rural. Com isso, fica mantido trecho do texto-base do relator, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS), aprovado na semana passada. “De acordo com a proposta, para ter acesso ao benefício, o trabalhador rural, aquele que vive de sua produção, precisará contribuir por 15 anos para a Previdência. Não será necessário buscar uma declaração dos sindicatos da categoria que comprove a condição de trabalhador rural. A idade mínima para aposentadoria será de 57 anos para as mulheres e 60 anos para os homens”, destaca a publicação. O relator Arthur Oliveira Maia destacou que seu parecer simplifica a prova de condição rural, afirmando que vai bastar a palavra do trabalhador, evitando a intermediação dos sindicatos.

Lídice da mata defende redução do ICMS sobre querosene de aviação

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) elogiou a decisão do governador de seu estado, Rui Costa, de reduzir o ICMS do querosene de aviação praticado na Bahia de 18% para 12%. Segundo ela, a decisão teve impacto favorável: uma companhia aérea prometeu aumentar o número de voos para Salvador, incluindo nova linha entre a capital baiana e Bogotá. Segundo Lídice da Mata, o Brasil ultrapassou a marca de 100 milhões de passageiros transportados de avião e a meta para os próximos dez anos é dobrar este número. De acordo com ela, se a tributação sobre o combustível for revista, as Regiões Norte e Nordeste poderão ganhar 60 novos voos. – É necessário que a aviação seja fortalecida – aviação regional e aviação nacional – para que nós possamos não apenas desenvolver o turismo, uma grande meta para o desenvolvimento econômico do nosso país, mas principalmente para que todos os brasileiros possam conhecer-se e possam também usar dos equipamentos de saúde e de educação existentes no país – afirmou Lídice, conforme reportagem do site do Senado.

NA IMPRENSA
MMA – Programa Água Doce é debatido em SergipeMMA – Controle de origem para produtos florestais

Mapa – Soja lidera exportações do agronegócio brasileiro em abril

Mapa – Reforço da fiscalização por parte de importadores confirma qualidade da carne brasileira

Mapa – Secretário de Relações Internacionais do Mapa toma posse no Conselho de Administração da Embrapa

Senado Federal – Especialistas afirmam na CDH que é possível zerar desmatamento

Senado Federal – Convidados de audiência dão sugestões a projeto para melhorar defesa agropecuária

Senado Federal – Lídice da mata defende redução do ICMS sobre querosene de aviação

Câmara dos Deputados – Exportação ainda não voltou ao nível anterior a operação carne fraca, diz ministro

Câmara dos Deputados – Câmara aprova em 1º turno PEC que torna a vaquejada constitucional

Câmara dos Deputados – Debatedores criticam relatório que cria lista de dispensa de licenciamento ambiental

Câmara dos Deputados – Comissão de agricultura debate em Maringá propostas de reforma em tramitação no congresso

Câmara dos Deputados – Comissão rejeita destaque e aposentadoria rural exigirá 15 anos de contribuição

Câmara dos Deputados – Meio ambiente discute papel das comunidades tradicionais na agrobiodiversidade

Câmara dos Deputados – Comissão de agricultura prosseguirá fiscalização sobre taxa de frete naval

Valor Econômico – Temer deve intervir para “afinar” MP do Funrural 

Valor Econômico – Bom rendimento na safra e venda antecipada levam SLC ao lucro no trimestre

Valor Econômico – Conab eleva estimativa para produção de grãos a 232,02 milhões de ton

Valor Econômico – Safra brasileira de grãos deverá subir 26,2% em 2017, prevê IBGE 

G1 – Após carne fraca importadores pagam menos por carne brasileira, diz Maggi

G1 – Senacon abre processos para investigar frigoríficos Peccin, Souza Ramos e BRF

G1 – Cultivos de transgênicos aumentam 3% em 2016, com EUA e Brasil à frente

O Estado de S.Paulo – Muito subsídio para nada

O Estado de S.Paulo – Lucro líquido do Banco do Brasil quase dobrou em um ano

Folha Max – ONG aponta desmatamento no Pantanal para pecuária e agricultura

Notícias Agrícolas – Conselho do agro debate política nacional de defensivos agrícolas

Jus Brasil – Debatedores criticam relatório que cria lista de dispensa de licenciamento ambiental

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.