ANVISA GARANTE TER AGIDO DENTRO DA LEI AO AUTORIZAR COMPRA DE MEDICAMENTO PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

//ANVISA GARANTE TER AGIDO DENTRO DA LEI AO AUTORIZAR COMPRA DE MEDICAMENTO PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE

A respeito da ação civil pública de improbidade administrativa aberta pelo Ministério Público Federal em Brasília contra servidores da Anvisa, por conta da compra do medicamento Leuginase para abastecer a rede pública, a Anvisa em seu portal esclarece: Até o momento, a Anvisa não foi notificada pela Justiça, tendo recebido a notícia pela imprensa. A Agência tem absoluta certeza, e o demonstrará na Justiça, que agiu de acordo e em respeito à legislação e à regulamentação sanitária naquilo que lhe cabia institucionalmente na importação do medicamento Leuginase, em caráter excepcional, para não permitir que crianças vítimas de leucemia linfoide aguda ficassem sem o medicamento. “A Agência está à inteira disposição da Justiça para prestar todos os esclarecimentos necessários”, destaca a publicação.

Planejamento falho impulsionou avanço da febre amarela

A demora e a falta de planejamento nas ações preventivas e a má distribuição dos recursos públicos facilitaram o avanço da febre amarela no país, aponta estudo da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas. O estudo dá especial atenção a Minas Gerais, quando 465 casos de febre amarela foram confirmados no Estado com 152 mortes em 2017. Conforme o Valor Econômico, o estudo afirma que os municípios mais atingidos pelo grande surto de febre amarela de 2017 não foram tratados como prioridade, falha que, na visão dos pesquisadores, contribuiu para que a doença se espalhasse e continue a ser uma preocupação relevante para a população em 2018. “O estudo não deixa claro de quem é a responsabilidade, mas aponta que alguma coordenação faltou para garantir que as vacinas chegassem até quem mais precisava”, frisa a reportagem.

Fiocruz avança em transferência de tecnologia contra tuberculose

O Instituto de Tecnologia em Fármacos acaba de concluir mais uma etapa da transferência de tecnologia do medicamento tuberculostático (TB) 4 em 1, considerado o mais eficaz no tratamento da tuberculose. É o que informa o portal da Fiocruz. A cada ano, são notificados aproximadamente 70 mil novos casos e ocorrem 4,5 mil mortes em sua decorrência. Resultado de uma Parceria de Desenvolvimento Produtivo firmada entre Brasil e Índia, a tecnologia empregada no 4 em 1 permite que o medicamento seja administrado em dose única, já que é composto por quatro ativos em um único comprimido (rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol). “O objetivo é ampliar o acesso a medicamentos e produtos para saúde considerados estratégicos para o SUS”, diz parte do texto.

Operadoras de plano de saúde podem aplicar pesquisa de satisfação com beneficiários

A Agência Nacional de Saúde Suplementar elaborou a Pesquisa de Satisfação dos Beneficiários que as operadoras de planos de saúde podem divulgar para seus clientes. As empresas têm até o dia 30 de abril de 2018 para aplicar, divulgar e informar à ANS os resultados da Pesquisa referente ao ano-base 2017. O portal da ANS enfatiza que o questionário busca verificar informações relacionadas à atenção à saúde e ao relacionamento com o beneficiário, que deve responder a três blocos de questões: Atenção à Saúde, Canais de Atendimento da Operadora e Avaliação Geral. No site da ANS há uma lista de perguntas frequentes a respeito da Pesquisa de Satisfação de Beneficiários de Planos de Saúde. Para fazer a consulta acesse: formulário.

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Roraima tem plano de ações para atendimento aos imigrantesMinistério da Saúde – Inscrições de intercambistas no Programa Mais Médicos começa nesta segunda (15)

Ministério da Saúde – SGTES participa de acolhimento de médicos do Programa Mais Médicos no RN

Ministério da Saúde – Ministro da Saúde participa de inaugurações de unidades de saúde no Haiti

ANS – Operadoras de planos de saúde podem aplicar pesquisa de satisfação com beneficiários

Anvisa – Primeira Dicol do ano discute registro de produtos

Anvisa – Anvisa agiu dentro da lei ao autorizar compra pelo MS

Anvisa – Confira o texto atualizado da norma de importação

Anvisa – Asseptgel Amazônia tem lotes suspensos

Fiocruz – Fiocruz avança em transferência de tecnologia contra tuberculose

Inca – Decisões da Anvisa, STF e Congresso podem mudar regulamentação do fumo no país

ALESP – Lei institui o Dia da Conscientização Sobre a Síndrome de Edwards 

ALESP – Atletas poderão ter de comprovar boas condições de saúde para lutar

Senado Federal – Projeto proíbe penhor de veículos de pessoas com deficiência

Correio Braziliense – Obesidade cresce entre usuários de planos de saúde, diz pesquisa

Correio Braziliense – Britânico sofre ruptura da garganta ao tentar segurar um espirro

Correio Braziliense – Estudo: ação do hormônio kisspeptina pode tratar ausência de desejo sexual

Correio Braziliense – Trabalhar por mais de 55 horas semanais traz riscos à saúde, diz pesquisa

Folha de S.Paulo – Vacina contra febre amarela acaba em clínicas; posto tem filas na madrugada

Folha de S.Paulo – Cláudia Collucci – O momento é sério, não há espaço para piadas sobre febre amarela

Folha de S.Paulo – Dar carne crua para cães e gatos gera riscos para o bicho e para o dono

G1 – Ununênio, o novo elemento químico que os cientistas japoneses tentam criar

G1 – Sobrepeso e obesidade são fatores que levam a diabetes tipo 2

G1 – Os ratos são inocentes: pesquisa aponta que humanos espalharam a peste negra, epidemia mais mortal da história

O Globo – Surfistas têm risco três vezes maior de contrair superbactérias, diz estudo

Valor Econômico – Planejamento falho impulsionou avanço da febre amarela 

Valor Econômico – Resposta federal ao surto foi lenta, sugere estudo 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.