AINDA PRECISAMOS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS, DIZ ASSOCIAÇÃO AGROPECUÁRIA

//AINDA PRECISAMOS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS, DIZ ASSOCIAÇÃO AGROPECUÁRIA
Os defensivos agrícolas ainda são essenciais para a agricultura, segundo a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), órgão representante de produtores rurais. “Não é nem questão de falta de vontade de deixar de utilizar”, diz Reginaldo Minaré, consultor da CNA. A organização agropecuária questiona a credibilidade do recente estudo da ONG Greenpeace que encontrou presença irregular de agrotóxicos em alimentos. “A divulgação de dados não oficiais e sem a chancela da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] contribui para denegrir a imagem do modelo agrícola brasileiro e compromete a credibilidade do poder público”, diz carta da CNA enviada à agência sanitária na quarta-feira (8). De acordo com a Folha de S.Paulo, o estudo do Greenpeace – que analisou 113 kg de alimentos separados em 50 grupos – encontrou 18 amostras irregulares, a maior parte delas (15) com a presença de resíduos que não deveriam ser usados na cultura em questão. Marina Lacôrte, representante da ONG, afirmou que as análises não tinham a finalidade de monitoramento como a Anvisa faz, mas, sim, de demonstrar a presença contínua dos resíduos em alimentos.  A Anvisa, no último relatório Para (Programa de Análise de Agrotóxicos em Alimentos), relativo aos anos de 2013 a 2015, analisou 12.051 amostras. Destas, 2.371 (cerca de 20%) foram consideradas insatisfatórias, a maior parte delas também por resíduos de agrotóxicos não autorizados para a cultura.

Associação faz capacitação de produtores para evitar erros

Folha de S.Paulo destaca ainda que segundo Reginaldo Minaré, consultor da CNA, um dos motivos para resíduos não autorizados é a morosidade para o registro de agrotóxicos. “Muitos agricultores têm acesso restrito a produtos para culturas e alguns [usam] por indicação”, diz. O consultor da entidade agropecuária afirma também que não se faz no Brasil uso indiscriminado de agrotóxicos, pois o produto é caro, o que “desmotiva o agricultor a usar de forma exagerada”. “Mas, como qualquer outro setor produtivo do mundo, algumas falhas podem ocorrer.” Segundo a CNA, as irregularidades que são encontradas não necessariamente se convertem em perigos para a saúde do consumidor. A associação diz também fazer capacitação de produtores para evitar erros. “Quase nada se fala do uso nas cidades, em jardins, nas residências. Isso ocorre em grande escala e não tem a mesma crítica”, diz Minaré. O Para da Anvisa afirma que, de forma geral, a maior parte dos alimentos monitorados apresentam nível de segurança aceitável quanto a riscos de intoxicação por resíduos de agrotóxicos. “Procurada, a Anvisa diz ainda não ter posicionamento sobre o ofício enviado pela CNA”, ressalta a reportagem.

Empresa brasileira desenvolve a ‘internet das vacas’

Um grupo de cem especialistas em tecnologia se reuniu em São Francisco, na Califórnia, nos dias 7 e 8 de abril, com uma missão ambiciosa: criar a internet das vacas. É o que informa o Estadão. O objetivo era conectar nada menos do que todos os bovinos do planeta na nuvem, melhorando a quantidade e a qualidade dos dados disponíveis sobre os rebanhos e, consequentemente, a produtividade, a eficiência da indústria. E diminuir a fome no mundo. Por trás do evento, que já teve quatro edições contou com o apoio da ONG Silicon Valley Forum e do programa de mentoria Google Developers Launchpad, onde o encontro foi realizado, estava a BovControl. Ao contrário de outras ferramentas de gestão de fazendas, o BovControl usa tecnologias digitais, como internet das coisas, machine learning e inteligência artificial, que facilitam o trabalho e a gestão dos dados na cadeia pecuária, ambiente que carece de mão de obra qualificada. Assim, quando uma carga entra ou sai de uma fazenda, o peão só precisa tirar uma foto da nota fiscal. “A informação é reconhecida pelo sistema, que prepara o fluxo de caixa”, diz Danilo Leão, cofundador do BovControl. “O dono ou o gestor da fazenda consegue perceber se sua posição é de lucro ou perda, uma realidade que nem sempre ficava clara.” Num outro exemplo, satélites permitem fazer a gestão da propriedade de acordo com leis ambientais e, até mesmo, saber o volume de capim oferecido por hectare aos bois.

Plataforma mutante tem novo plano de captação

Como numa espécie de rede social das vacas, quanto mais informações disponíveis sobre os animais e as condições da criação, mais eficiente torna-se sua gestão, segundo Danilo Leão. O Estadão ressalta que a plataforma oferece possibilidade de gerenciamento dos animais (com a inserção de dados zootécnicos, genéticos e ganhos de peso, entre outros), que é uma ferramenta gratuita. “Na verdade, é uma plataforma mutante”, afirma Leão. Isso porque, como na maioria dos processos de desenvolvimento de tecnologias digitais, o BovControl funciona num ambiente aberto e colaborativo. Assim, balanças, leitores, chips e outras ferramentas que produzem dados sobre os animais dão origem a produtos, de acordo com o interesse dos usuários, como aconteceu no hackaton, a maratona de desenvolvimento, em São Francisco. Desse ambiente colaborativo, por exemplo, saiu um produto que permitiu a pequenos produtores da Nigéria tomar microcrédito bancário, usando a plataforma como garantia colateral. O aplicativo funciona no sistema operacional Android, presente em 80% dos telefones rurais e também trabalha offline. “O plano, agora, é fazer um ICO (initial coin offering), modalidade de captação de capital em criptomoeda que vem crescendo nos Estados Unidos. Espécie de crowdfunding com fins lucrativos para o investidor, essa modalidade ainda não é regulada, mas tem ganhado adeptos exatamente pela facilidade de negociações. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) soltou um comunicado em outubro informando que está atenta à modalidade e orientando investidores”, frisa a reportagem.

NA IMPRENSA
Mapa – Exportações do agronegócio cresceram 40% em outubro sobre mesmo mês de 2016

Mapa – Seminário apresentará resultado de programa de recuperação de áreas degradadas na Amazônia

Mapa – Estimativa para safra 2017/2018 é de até 227,5 milhões de toneladas

Mapa – Com voto do Mapa Conselho de Política Energética antecipa aumento do uso de biodiesel

Mapa – Questionário visa obter participação para construir estratégia no setor do agro

Mapa – Blairo Maggi fala em Rondônia sobre a indústria cafeeira

MMA – Recuperação de rios é prioridade, diz ministro

MMA – Instituído plano de controle e monitoramento do javali

MMA – ONU reconhece energia limpa gerada no país

MMA – Especialistas buscam soluções para lixo nos oceanos

MMA – Brasil articula ações na Conferência do Clima

Embrapa – Informações geoespaciais da Amazônia são apresentadas em Brasília

Câmara dos Deputados – Projeto cria sistema de proteção animal

Senado Federal – Gurgacz apresenta projetos para garantir proteção de florestas na Amazônia

Folha de S.Paulo – Ainda precisamos de agrotóxicos, diz associação agropecuária

O Estado de S.Paulo – Celso Ming – Nem safrinha nem safrona

O Estado de S.Paulo – Clima no banco dos réus, até mesmo no Brasil

O Estado de S.Paulo – Empresa brasileira desenvolve a ‘internet das vacas’

O Estado de S.Paulo – Maratonas e desafios têm revelado tecnologias inovadoras

O Estado de S.Paulo – Mato Grosso e Pará querem chineses na Ferrovia do Vale do Araguaia

Valor Econômico – Governo confirma antecipação de alta da mistura de biodiesel no diesel

Valor Econômico – Heringer registrou prejuízo de R$ 9,9 milhões no 3º trimestre

Valor Econômico – Exportação de café deve cair este ano, prevê Cecafé

Valor Econômico – Com chuvas leves, Índice Ceagesp ficou estável em outubro

Valor Econômico – BRF: Lucro sobe mais de 7 vezes no 3º trimestre, para R$ 129,9 milhões

Valor Econômico – Pagamento de dívida reduziu lucro líquido da São Martinho

Valor Econômico – Biosev registrou resultado positivo

Valor Econômico – Exportações do campo em alta

Valor Econômico – Clima menos favorável afetará colheita de grãos

Valor Econômico – USDA derruba preços de soja e milho em Chicago

Valor Econômico – Lucro da Minerva subiu 81% no 3º tri

Valor Econômico – Commodities Agrícolas

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.