AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DÁ SINAL VERDE PARA PLANOS DE SAÚDE POPULARES

//AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DÁ SINAL VERDE PARA PLANOS DE SAÚDE POPULARES
Documento aprovado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) abre caminho para que planos de saúde acessíveis (com mensalidades mais baixas e cobertura reduzida) sejam vendidos no País. Fruto de uma análise feita por um grupo de trabalho convocado pela ANS, o relatório afirma não haver obstáculos para os principais pontos sugeridos para esses planos. O jornal Estado de S.Paulo enfatiza que a a ANS, por exemplo, dá sinal verde para a coparticipação e para acabar com a exigência de que planos ambulatoriais garantam a internação de emergência a seus usuários, nas primeiras 24 horas. O relatório da ANS faz apenas uma restrição à proposta, enviada por um grupo de trabalho organizado pelo Minsitério da Saúde. Trata-se da possibilidade de reajuste de preços. O documento não coloca obstáculos, por sua vez, ao aumento do prazo máximo para atendimento de consultas, internações e procedimentos. “A ANS também disse não haver problemas para a existência de uma junta médica, que vai autorizar, nos casos mais complexos (e caros) se pacientes têm direito a determinados procedimentos e a orientação da atividade dos profissionais com base em protocolos, formulados por associações”, diz ANS à reportagem.

Câmara aprova política nacional para prevenção do diabetes no SUS

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou proposta que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a adotar política nacional de prevenção do diabetes e de assistência integral à pessoa diabética, incluído o tratamento dos problemas de saúde relacionados à doença. De acordo com o portal da Câmara dos Deputados, o texto aprovado é o substitutivo da Comissão de Seguridade Social e Família ao Projeto de Lei 6754/13, do deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE), que juntou em um único texto o projeto e seus apensados (PLs 6769/13, 4120/15 e 4231/15). Como foi analisada em caráter conclusivo, a proposta será enviada para revisão do Senado, a menos que haja recurso para que seja examinado antes pelo Plenário da Câmara. “Conforme a proposta, a política incluirá a realização de campanhas de conscientização sobre a importância e a necessidade de medir regularmente e controlar os níveis glicêmicos”, afirma o Câmara.

Boa informação é o melhor remédio contra movimentos antivacina

Os movimentos antivacinação estão se espalhando mundo afora, e isso é um perigo não só para as crianças mas também para a população em geral, em especial indivíduos mais vulneráveis a infecções. Felizmente, porém, também há uma “vacina” contra o avanço destes movimentos: a boa informação. E é em defesa de esforços neste sentido que trabalha o médico israelense Ron Dagan. Conforme o jornal O Globo, um dos mais respeitados especialistas em pneumonias e na epidemiologia de doenças evitáveis com vacinas do mundo, Dagan participa esta semana, no Rio, do XX Congresso Brasileiro de Infectologia (Infecto2017) e faz um alerta: mesmo países com longa tradição pró-vacinação, como o Brasil, não estão livres do crescimento destes movimentos. O Globo pergunta à Dagan, como ele vê o avanço dos movimentos antivacinação pelo mundo, e ele explica que os movimentos antivacinação estão espalhados por todo o mundo, mas é preciso entender que nem todos os pais que hesitam em vacinar seus filhos são de fato contra vacinas. Dagan ressalta que a hora é agora de dar mais informação. “Conversar com as pessoas, treinar os profissionais de saúde para explicar o funcionamento das vacinas e a importância da vacinação de forma que quando estas novas gerações de brasileiros chegarem com suas dúvidas e hesitações, elas terão as respostas que querem e precisam”, destaca Dagan.

Desenvolver novas drogas não é tão caro quanto a indústria gostaria que você acreditasse

Quanto custa desenvolver um novo medicamento é uma conta mantida sob sigilo pela indústria farmacêutica tanto quanto a fórmula de drogas inovadoras. Saber os custos do desenvolvimento e da pesquisa de novas moléculas é crucial em uma discussão que tem mobilizado governos ao redor do mundo e sistemas de saúde: como chegar a preços justos para as novas drogas? De acordo com o site da Revista Época, a indústria diz que as novas tecnologias levaram os tratamentos a um patamar inédito de preço. Um exemplo recente é a primeira droga a usar terapia gênica para combater leucemia, aprovada no final de agosto nos Estados Unidos. Custa US$ 475 mil, algo como R$ 1,5 milhão por paciente. Bancar esse tipo de tratamento se tornou inviável para os sistemas de saúde, inclusive dos países mais ricos. Um novo estudo, divulgado nesta semana por pesquisadores americanos, estimou os gastos para desenvolver novas drogas contra o câncer. E chegou a números bem menores do que os que costumam ser estimados pela indústria na hora de defender os preços de seus tratamentos. “Enquanto se anuncia, por definição, custos na casa dos bilhões de dólares para lançar uma nova droga, o estudo chegou a número mais modestos: US$ 720 milhões”, ressalta a publicação.

SAÚDE NA IMPRENSA

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde convoca 47 milhões de crianças e adolescentes para atualizar a vacinação

Ministério da Saúde – Ministro da Saúde participa do Congresso Brasil Competitivo 2017

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde e prefeitura de Jundiaí chegam a um acordo sobre financiamento do Grendaac

ANS – ANS concede portabilidade aos beneficiários de quatro operadoras

ANS – Comunicado

Anvisa – Publicado guia para tratamento estatístico de validação analítica

Anvisa – CNTS entra com ADIn contra liberação de inibidores

Fiocruz – Cinedebate marca dia de luta das pessoas com deficiência (22)

Fiocruz – Fiocruz afirma em nota desconhecer relatório do TCU sobre superfaturamento em obras

Câmara dos Deputados – Seguridade Social debate proposta de inclusão de saúde bucal no SUS

Senado Federal – Aprovada regulamentação das atividades de agente de saúde e de combate a endemias

Senado Federal – Senado aprova autorização de crédito para saúde pública no Ceará

Câmara dos Deputados – Câmara aprova política nacional para prevenção do diabetes no SUS

Câmara dos Deputados – Comissão discute projeto relativo a pesquisa clínica com seres humanos

Correio Braziliense – Estudos norte-americanos mostram evidências que ligam o autismo a infecções

Época – Check-Up – Desenvolver novas drogas não é tão caro quanto a indústria gostaria que você acreditasse

Folha de S.Paulo – Cadê a Cura – Número de cegos pode saltar de 36 milhões para 115 milhões em 2050; Brasil pode ser mais afetado

G1 – ‘Ciência lixo’? A polêmica causada por software experimental que ‘identifica rostos gays’

G1 – Aspirina pode regenerar dente após cárie, dizem cientistas

G1 – Pesquisa da Unesp de Araraquara quer substituir injeção de insulina por pó solúvel

G1 – Duas vezes mais mulheres do que homens perdem interesse em sexo após o casamento, indica estudo

O Estado de S.Paulo – Ministério da Saúde vai propor aumento de impostos para refrigerantes e sucos com açúcar

O Estado de S.Paulo – Agência Nacional de Saúde Suplementar dá sinal verde para planos de saúde populares

O Globo – Composto bloqueia efeitos negativos do uso da maconha por adolescentes

O Globo – Mais da metade de crianças e adolescentes está com vacinação incompleta

O Globo – Boa informação é o melhor remédio contra movimentos antivacina

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.