UM MÊS APÓS OPERAÇÃO CARNE FRACA, JBS E BRF PERDEM R$ 5 BI EM VALOR DE MERCADO

//UM MÊS APÓS OPERAÇÃO CARNE FRACA, JBS E BRF PERDEM R$ 5 BI EM VALOR DE MERCADO
O site G1 destaca que desde o início da Operação Carne Fraca até a última quinta-feira (13), a JBS e a BRF perderam juntas R$ 5,471 bilhões de seu valor de mercado, segundo a empresa de informações financeiras Economatica. Apesar de toda a repercussão negativa do caso, que completa um mês nesta segunda-feira (17), as exportações de carne brasileira aumentaram em março. O preço da carne, no entanto, caiu. No mercado financeiro, a JBS foi a mais penalizada e perdeu 15,35% do seu valor, que era R$ 32,6 bilhões antes da operação e encerrou o ultimo pregão valendo R$ 27,6 bilhões. A BRF perdeu 1,45% do seu valor, que passou de R$ 31,9 bilhões para R$ 31, 5 bilhões. “Ainda há muitas questões para serem esclarecidas para que possamos medir o real impacto dos embargos em volumes, preços, margens e geração de caixa das companhias do setor”, afirmaram os analistas do Banco do Brasil.

Volume das exportações de carne suína do país recuou 3,7% em março

Reportagem do Valor Econômico destaca que as exportações brasileiras de carne suína somaram 63,2 mil toneladas em março, 3,7% menos que no mesmo mês do ano passado, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic) compilados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). A receita, porém, aumentou 38,3%, para US$ 151 milhões. “No primeiro trimestre, as exportações cresceram 8,7% em volume, para 179,2 mil toneladas de carne in natura e processada. Nessa comparação, a receita subiu 46,8%, para US$ 403,7 milhões. Maior importadora da carne suína brasileira, a Rússia comprou 68,6 mil toneladas no primeiro trimestre, 14% acima de igual intervalo de 2016. Hong Kong aparece em seguida nesse ranking, com 37,7 mil toneladas, uma queda de 13%. Depois vem a China, com 15,5 mil toneladas, aumento de 42%”, diz a publicação.

Preço baixo da soja faz produtor gaúcho segurar grão

O Jornal Zero Hora relata que o produtor de sementes e cerealista em Entre-Ijuís, no noroeste do Estado, Valdir Lazarotto sentiu duplamente o peso da supersafra: nas lavouras e no recebimento dos grãos. Com os armazéns lotados, o agricultor espalhou dezenas de silos-bolsa na maioria das propriedades onde cultiva mais de 6 mil hectares de soja. Essa baixa agora não surpreende. O que mantinha o preço da soja interessante em reais era apenas o câmbio, explica Antônio da Luz, economista-chefe da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul). “Todo esse cenário converge para que os preços caiam. E a deficiência brasileira para escoar a safra prejudica ainda mais o quadro, reduzindo a rentabilidade do produtor”, avalia Luz.

NA IMPRENSA
O Estado de S.Paulo – MST promove manifestações no Dia de Luta pela Reforma Agrária

Valor Econômico – Produtores do Nordeste tentam barrar camarão do Equador

Valor Econômico – Volume das exportações de carne suína do país recuou 3,7% em março

G1 – Agricultores e pesquisadores do sul de MG retomam o cultivo do marmelo

G1 – Um mês após Operação Carne Fraca, JBS e BRF perdem R$ 5 bi em valor de mercado

Zero Hora – Preço baixo da soja faz produtor gaúcho segurar grão

Zero Hora – Com safra recorde, silos-bolsa e piscinões se multiplicam no campo

Zero Hora – Supersafra de soja expõe deficiência de armazenagem no RS

Zero Hora – Carlos Cogo: Números recordes e pressão baixista sobre os preços da soja

Jornal de Brasília – Gastos com alimentação pressionam inflação ao consumidor no IGP-10 de abril

Agro Link – Ação recebe 4t de embalagens vazias de defensivos agrícolas, em Wanderley

Hiper Notícias – Na Frente Parlamentar, Leitão cria leis em defesa dos trabalhadores rurais

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.