SAFRA DE GRÃOS DEVE ALCANÇAR RECORDE COM 219 MILHÕES DE TONELADAS

//SAFRA DE GRÃOS DEVE ALCANÇAR RECORDE COM 219 MILHÕES DE TONELADAS

A produção de grãos para a safra 2016/17 está estimada em 219,1 milhões de toneladas, um novo recorde histórico, com aumento de 17,4% ou 32,5 milhões de toneladas frente à colheita anterior (186,6 milhões t). A previsão está no 5º Levantamento da Safra 2016/2017, divulgado nesta quinta-feira (9) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Conforme a publicação no site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a estimativa positiva se deve à produtividade média das culturas, em recuperação da influência negativa das condições climáticas da safra passada. “A área total também tem números positivos, com perspectivas de ampliação em 2,1% ou 1,2 milhão de hectares, quando comparada à safra anterior, podendo chegar a 59,5 milhões de hectares. Esse é o primeiro prognóstico de área que incluiu as culturas de segunda safra. Para a soja, a projeção é de crescimento de 10,6% na produção, podendo atingir 105,6 milhões de toneladas, com aumento de 10,1 milhões de toneladas em relação à safra anterior e ampliação de 1,6% na área. O total de milho deve atingir 87,4 milhões de toneladas, sendo 28,8 milhões de toneladas para a primeira safra e 58,5 milhões da segunda. A ampliação de área total do milho deve ultrapassar 11 milhões de hectares”, relata o texto no site do Mapa.

Arroz sequeiro e irrigado

Pela primeira vez, a Conab apresenta estimativa desagregada de produção de arroz cultivado nos sistemas sequeiro e irrigado, além dos números da expansão da irrigação e sua importância na safra de grãos, com informações da Agência Nacional de Águas (ANA). “A previsão total de arroz é de 11,9 milhões de toneladas, com aumento de 11,9% frente a colheita anterior, sendo 1,1 milhão de tonelada de sequeiro e 10,8 milhões do irrigado. O feijão da primeira safra deve atingir 1,4 milhão de toneladas, resultado 36,7% superior à safra passada, sendo 861,6 mil toneladas para o tipo carioca, 319,4 mil toneladas para o preto e 232,5 mil t para o caupi. Já o algodão pluma deve crescer 10,3% e chegar a 1,42 milhão de tonelada, mesmo com redução de 4,5% na área cultivada. O maior cultivo de soja é o que ocasionou a redução nas áreas do algodão e do arroz, o que não ocorreu com as demais culturas de primeira safra”, destaca a publicação do site do Ministério da Agricultura.

Presidente da Syngenta defende negócio com a ChemChina

A aquisição da Syngenta pela ChemChina por US$ 43 bilhões, que ainda depende do aval das autoridades regulatórias, terá impacto positivo nas exportações agrícolas brasileiras ao mercado chinês, afirmou o presidente executivo da multinacional suíça, Erik Fyrwald, ao Valor Econômico. Conforme a reportagem publicada nesta quinta-feira (9), Fyrwald destaca que a ChemChina está comprando a Syngenta por razões estratégicas para a segurança alimentar chinesa. “E a ideia é incrementar a colaboração na cadeia de valor com o Brasil, fornecendo ‘inputs’ aos agricultores. Quanto mais produtivos, com novas tecnologias, mais esses agricultores poderão exportar para a China”, declarou ele à reportagem. O Brasil, que lidera as exportações de soja em grão e açúcar para a China, é o segundo maior mercado para os defensivos e sementes da Syngenta, com participação de cerca de 20% no faturamento total da empresa.

Outras fusões no setor

Fyrwald se mostrou confiante de que a transação de US$ 43 bilhões será concluída no segundo semestre deste ano. À reportagem, ele observou que o exame pelas autoridades regulatórias tem demorado mais que o previsto, mas disse acreditar que isso não tem a ver com desconfianças em relação à aquisição de tecnologias pela China ou uma eventual situação dominante criada pela transação. “Também a fusão entre as americanas DuPont e Dow Cheminal, que resultará em uma companhia de valor de mercado de cerca de US$ 130 bilhões, e a compra da americana Monsanto pela alemã Bayer, anunciada em setembro por US$ 66 bilhões, reforçaram o monitoramento dos governos nesse mercado. Se as negociações forem concluídas, os três grandes grupos que emergirão serão responsáveis pelas vendas de 62% das sementes patenteadas no mundo e também por mais de 60% de todos os defensivos comercializados, segundo analistas”, enfatiza a publicação.

NA IMPRENSA
Mapa – Safra de grãos deve alcançar recorde com 219 milhões de toneladasMapa – Café – Nota técnica

Mapa – Na Rússia, Novacki intensifica relações comerciais do agronegócio

Mapa – Governo anuncia medida de apoio a triticultores

Mapa – Conab dialoga com extrativistas para fortalecer cadeias da sociobiodiversidade

MMA – Fundo Clima divulga calendário de reuniões em 2017

Secretaria de Aviação Civil – Rio de Janeiro teve 184 ações para deter balões não tripulados no céu do Estado em 2016

Embrapa – BRS Pacoua: nova cultivar de bananeira para o Estado do Pará

Embrapa – Parceria internacional estuda o uso eficiente do nitrogênio

RD News – Aprosoja, Sesp e 5 mil produtores se unem contra roubo de defensivos

Agora Mato Grosso – Tecnologia será usada para o monitoramento das atividades rurais e combate à criminalidade

Olhar Direto – Setor produtivo de Mato Grosso investirá R$ 1 mi em segurança no campo diante roubos e furtos

Jornal Dia a Dia – Empresa brasileira é a primeira no mundo a desenvolver um sistema produtivo a frio que transforma palha da cana-de-açúcar em fibra à indústria de papel

Pork World – Bayer leva tecnologia, monitoramento e serviços ao Show Rural Coopavel

Cafeicultura – Fundação Procafé passa a fornecer mudas de café imune à ferrugem e outras doenças

Rede Brasil Atual – Anvisa nega ter sido proibida por Temer de se pronunciar sobre agrotóxicos

Folha de S.Paulo – Editorial – Esquizofrenia amazônica

O Estado de S.Paulo – Governo define medidas para recuperar Infraero

O Estado de S.Paulo – Brasil quer elevar exportações ao México

Valor Econômico – Itamaraty inicia consultas sobre subsídio canadense

Valor Econômico – Oferta de voos entre Estados Unidos e Brasil encolhe 29%

Valor Econômico – Helder Rebouças – A política agrícola e o planejamento público

Valor Econômico – Uma ponte suíça entre Brasil e China

Valor Econômico – Suco de laranja cai em NY, mas continua em alta no mercado físico

Valor Econômico – Tereos investe R$ 60 milhões em usina

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.