PRESSÃO FUNCIONA E PROJETO DE LEI DE AGROTÓXICOS SERÁ REVISTO

//PRESSÃO FUNCIONA E PROJETO DE LEI DE AGROTÓXICOS SERÁ REVISTO

Valor Econômico destacou que em meio a uma forte reação contrária de órgãos do governo, da opinião pública, de personalidades como Caetano Veloso e Gisele Bündchen e de renomados chefs de cozinha, o relator do polêmico projeto de lei que flexibiliza e agiliza o registro de agrotóxicos no país, deputado ruralista Luiz Nishimori (PR-PR), deverá recuar de pontos centrais do texto. Um deles é o que fortalece o poder do Ministério da Agricultura na análise desses produtos, alvo maior das críticas da Anvisa e do Ibama. “Posso mudar alguns itens do texto para garantir segurança alimentar e já estou avaliando alterar três ou quatro pontos”, admitiu Nishimori. Tanto a Anvisa quanto o Ibama, que atualmente são corresponsáveis pela análise dos pedidos de registros de agrotóxicos no país, em conjunto com o Ministério da Agricultura, não abrem mão de manter suas atribuições previstas na lei atual, de 1989, que lhes garante poder para negar ou reavaliar registros de agroquímicos. “Ainda que não fale com todas as letras, Nishimori considerou ser melhor manter o poder de decisão desses órgãos”, destaca a matéria.

 

Nishimori comenta sobre seu relatório ao PL 6299/2002 sobre o registro de novos agrotóxicos



Um ponto sensível do projeto de lei que flexibiliza e agiliza o registro de agrotóxicos no país, são os prazos estabelecidos para o registro de novos agrotóxicos. Ainda que o texto de Nishimori triplique esse prazo de 120 dias para um ano, o deputado tem enfrentado pressão da Anvisa, do Ibama, da Fiocruz e até do Ministério da Agricultura e Embrapa, para que o período seja ampliado para dois anos no caso de novas moléculas. Segundo o Valor Econômico, o deputado resiste em promover alterações nessa frente, pois entende que o prazo de três a oito anos que o governo leva hoje, na prática, para analisar esses pedidos precisa ser urgentemente reduzido. “Ele entende que, se a lei estipular prazos mais bem definidos para cada tipo de defensivo agrícola e integrar a demanda de registros em um único ‘guichê’, a agricultura poderá ter acesso a produtos mais modernos que exijam um menor número de aplicações nas lavouras e o custo para os agricultores vai cair”, informa o Valor.

 

Ambientalistas protestam contra loteamento político do ICMBio



Servidores de vários parques nacionais devem fazer manifestações nesta sexta-feira (25) em protesto contra o loteamento político do ICMBio, órgão do Ministério do Meio Ambiente responsável pela gestão de todas as áreas protegidas federais. É o que informa o Estado de S.Paulo. Na quinta-feira (24) era dada como certa a nomeação de Cairo Tavares, do PROS, para a presidência do instituto. Tavares é Secretário Nacional de Formação Política do partido, sem qualquer experiência profissional ou acadêmica na área ambiental, porém, a nomeação não foi publicada ainda no Diário Oficial da União. Através de manifesto, servidores do órgão questionaram. “Como você reagiria se para a presidência do Banco Central fosse nomeado um indicado político sem nenhuma experiência em economia? Ou se para técnico da seleção brasileira de futebol, fosse indicado um jovem político que nada entende sobre o assunto?”. “Os servidores do ICMBio repudiam veementemente a possibilidade de nomeação do Sr. Cairo Tavares como Presidente deste Instituto, ou de qualquer outra nomeação baseada em interesses políticos contraditórios ao interesse público e à missão do ICMBio”, diz.

 

Maggi recebe na OIE certificado do Brasil livre da aftosa com vacinação

 

O ministro Blairo Maggi recebeu nesta quinta-feira (24), em Paris, durante a 86ª reunião da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) certificado que confere ao Brasil o status de livre da febre aftosa com vacinação. De acordo com o portal do Mapa, a nova condição sanitária, agora estendida a todos estados, além de Santa Catarina considerada livre sem vacinação, foi comemorada pelo ministro que destacou esforços do governo e da inciativa privada e perspectiva de ampliação de mercados para as carnes bovina e suína. “A partir desse reconhecimento, o Brasil tem novo status no mercado mundial e poderá acessar mercados que ainda estão fechados”. Programa elaborado pelo Ministério da Agricultura junto com produtores prevê que até 2023 deverá ser possível cessar a vacinação no país, iniciando a retirada da vacina contra aftosa já a partir do ano que vem. “Temos esse cronograma definido em função do fluxo de animais, porque uma vez declarado o estado como zona livre, não é possível transitar mais por ele com animais procedentes de outro com situação diversa”, afirma a notícia.

 

NA IMPRENSA

Mapa – Maggi recebe na OIE certificado do Brasil livre da aftosa com vacinação

 

MMA – ICMBio lança revista eletrônica

 

Embrapa – Articulação Internacional desenvolve parcerias com Alemanha e Inglaterra

 

Embrapa – Grupo de pecuaristas participa de Dia de Campo em Campo Grande

 

Embrapa – Curso de Produção Integrada de Uvas é realizado em Petrolina

 

Embrapa – Embrapa Amazônia Ocidental comunica novo prazo de inscrição para seleção de iniciação científica

 

Embrapa – Abertas inscrições para estágio remunerado e iniciação científica na Embrapa

 

Embrapa – Dia de Campo na TV: Nova cultivar de capim-elefante é 30% mais produtiva

 

Embrapa – Fenotipagem de plantas integra fórum de economia verde no Rio

 

Embrapa – Senadores destacam importância da Embrapa e defendem novas formas de financiamento

 

Embrapa – Embrapa participa do Agrobalsas 2018

 

Embrapa – Controle de plantas daninhas no treinamento da OCB

 

Fiocruz – Fiocruz Mata Atlântica participa de encontro de agroecologia

 

ALESP – Comissão de Meio Ambiente realiza reunião para discutir a exportação de animais

 

Câmara dos Deputados – Comissão de Relações Exteriores aprova acordo entre Suíça e Brasil na área de aviação

 

Câmara dos Deputados – Censo aponta dificuldade em manter jovens no campo como obstáculo ao crescimento da agricultura familiar

 

Senado Federal – Wellington Fagundes comemora certificação que declara o Brasil livre de febre aftosa

 

Senado Federal – Senado comemora conquistas de 45 anos de pesquisas da Embrapa

 

Estado de S.Paulo – Pelo menos 120 dos 180 frigoríficos do País estão paralisados

 

Estado de S.Paulo – Em meio à crise, Pedro Parente busca tempo para a BRF

 

Estado de S.Paulo – Ambientalistas protestam contra loteamento político do ICMBio

 

Folha de S.Paulo – Associação das montadoras anuncia paralisação total das fábricas no país

 

G1 – Facebook proíbe venda de animais vivos na rede social e no Instagram

 

G1 – Greve dos caminhoneiros afeta abastecimento em supermercados e paralisa produção de frigoríficos

 

G1 – OIE declara Brasil livre de febre aftosa com vacinação

 

G1 – Greve dos caminhoneiros já prejudica exportações brasileiras

 

O Globo – Doninha de pelagem branca pode ser extinta pelo aquecimento global

 

Valor Econômico – Carrefour limita venda de produtos e GPA tem problema com hortifrúti

 

Valor Econômico – Ação da BRF dispara com possível nomeação de Parente à presidência

 

Valor Econômico – Brasil recebe certificado de país livre de aftosa com vacinação

 

Valor Econômico – No 4º dia da greve, situação de frigoríficos e laticínios se agrava

 

Valor Econômico – Greve prejudica segmento sucroalcooleiro

 

Valor Econômico – Após acordo, Minerva obtém autorização para voltar a exportar ao Irã

 

Valor Econômico – Camil teve lucro líquido de R$ 250,6 milhões no ano-fiscal 2017/18

 

Valor Econômico – Fertilizantes Tocantins em Sinop

 

Valor Econômico – Após quatro meses, CFO volta à Minerva

 

Valor Econômico – Produção global de milho em queda

 

Valor Econômico – Safrinha do cereal cai ainda mais no Paraná

 

Valor Econômico – Brasil recebe da OIE certificado de livre de aftosa

 

Valor Econômico – Pressão funciona e projeto de lei de agrotóxicos será revisto

 

Zero Hora – Gisele Loeblein – STF sacramenta cobrança retroativa do Funrural

 

Zero Hora – Produtores descartam milhões de litros de leite em todo o país

 

Zero Hora – Gisele Loeblein – “Não vamos onerar o consumidor”, diz presidente da CCGL sobre preço do leite

 

Zero Hora – Gisele Loeblein – Produtores começam a ter de jogar leite fora no RS

 

Correio Braziliense – Greve já provoca canibalismo entre aves

 

Correio Braziliense – Agricultores do PR manifestam apoio aos protestos mas reconhecem danos

 

____________________________________________________________________________

 

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.