PELA 1ª VEZ EM 10 ANOS, MAIS DE 60% DOS RECÉM-FORMADOS SÃO APROVADOS EM EXAME DO CREMESP

//PELA 1ª VEZ EM 10 ANOS, MAIS DE 60% DOS RECÉM-FORMADOS SÃO APROVADOS EM EXAME DO CREMESP
Pela primeira vez em dez anos, mais de 60% dos recém-formados em Medicina foram aprovados no exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo. Segundo o Estadão, de acordo com o levantamento apresentado pelo conselho dos 2.636 egressos do curso no Estado, 1.702 acertaram mais de 60% das 120 questões do teste, o que representa a pontuação mínima a ser alcançada. No entanto, o porcentual de erros em análise de problemas de saúde frequentes foram considerados altos pelo conselho em alguns casos. O levantamento mostrou que 88% dos recém-formados não souberam interpretar o resultado de uma mamografia, 78% erraram o diagnóstico de diabete, 60% demonstraram pouco conhecimento sobre doenças parasitárias e 40% não souberam fazer a suspeita de um caso de apendicite aguda. “Os resultados se referem ao exame realizado em 2017, quando 64,6% dos novos médicos passaram e 35,4% foram reprovados. O Cremesp informou que o desempenho dos profissionais também foi melhor do que no ano de 2016, que registrou índice de aprovação de 43,6%. O levantamento mostrou que, entre os egressos de cursos particulares, 56,8% foram aprovados em 2017 ante 33,7% em 2016. Nos públicos, o porcentual saltou de 62,2% em 2016 para 79,7% em 2017”, diz a reportagem.

É preciso regulamentar a intercambialidade, afirmam médicos e pacientes

A troca automática de um remédio biológico por um biossimilar ao longo de tratamentos de doenças no SUS foi criticada por médicos e pacientes, na quinta-feira (22), no Fórum “Medicamentos Biológicos e Biossimilares”, realizado pela Folha, em São Paulo. Eles defenderam uma regulamentação da Anvisa que impeça a intercambialidade. A coordenadora da associação de pacientes Biored Brasil, Priscila Torres, também cobrou clareza do poder público quanto à substituição dos medicamentos. A Folha destaca que além de ser contra a intercambialidade, para a organização, é preciso estabelecer que a nomenclatura do biossimilar seja diferente da do biológico. “Hoje, o que há na caixa é o nome da molécula, do princípio ativo, que é igual em ambos. Mas é preciso ficar claro para o paciente que os remédios não são idênticos”, afirmou Torres. A Anvisa é responsável por certificar os novos remédios biossimilares no país, mas, quanto à regulamentação da intercambialidade, a agência informou ser competência do Ministério da Saúde. Para a senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS), é preciso ter “contínua base de informação para a população sobre as diferenças dos remédios, e o Congresso fazer uma lei lógica e minimamente aplicável para que a população se beneficie dela”, destaca a notícia.

Pessoas com Doença Falciforme terão acesso ampliado ao transplante de células-tronco no SUS

Pacientes com Doença Falciforme terão a possibilidade de realizar o transplante de células-tronco na rede pública de saúde, com a atualização do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas. É o que informa o portal da Conitec. A deliberação foi instituída por meio da Portaria Conjunta SAS/SCTIE nº 5, publicada em 22 de fevereiro de 2018. A doença falciforme é uma condição genética causada pela presença de uma hemoglobina anômala, a Hemoglobina S, nos glóbulos vermelhos do sangue. Os principais sintomas são anemia, dores ósseas e articulares, atraso no crescimento e desenvolvimento de crianças e aumento do risco de infecções. O tratamento é realizado com medicamentos para prevenir crises e complicações, como ácido fólico, antibióticos e analgésicos.  A única terapia curativa é o transplante de células tronco, que, desde 2015, é realizado no SUS em pacientes de até 16 anos. A atualização do PCDT amplia o uso dessa terapia a todas as pessoas com a doença falciforme, sem restrições por faixa etária, conforme a Portaria GM/MS nº 298, do dia 09 de fevereiro de 2018. Veja aqui o PCDT.

Diretor-presidente participa de evento sobre doenças raras

Na quinta-feira (22), o diretor-presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, participou do evento #TODOSpelosRAROS, organizado pela ONG Instituto Vidas Raras e com o apoio da Câmara Municipal de São Paulo. Conforme o portal da Anvisa informou, no encontro, Jarbas abordou o processo de registro de um medicamento para doenças raras no país e destacou a questão do preço do produto. “Um exemplo: existe o medicamento para doença rara, o Soliris, ele era judicializado, não tinha preço no Brasil e o Ministério da Saúde gastou em dois anos, 2015 e 2016, R$ 500 milhões com a compra desse medicamento. Quando a Anvisa estabeleceu o preço, o teto com o que era praticado na Austrália, o medicamento passou a custar para o Ministério da Saúde metade do que era pago”, afirma. O evento ocorre no mês em que se comemora o Dia Mundial da Doença Rara, celebrado em 28 de fevereiro. O objetivo foi reunir profissionais de Saúde, associações, acadêmicos e órgãos de governo para debater avanços tecnológicos e políticas públicas voltadas para o diagnóstico e tratamento das síndromes raras. “Atualmente, existem diagnosticadas cerca de 8 mil doenças graves e 6% a 8% da população mundial tem alguma doença rara”, frisa o portal.

SAÚDE NA IMPRENSA

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde estuda ampliar vacinação contra febre amarela para todo o país

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde centraliza compra de medicamento para artrite reumatoide

Ministério da Saúde – Ministro da Saúde anuncia recursos para municípios do Paraná

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde participa do Fórum Latino Americano e do Caribe

Ministério da Saúde – Ministro da Saúde anuncia acelerador linear e recursos para Marília (SP)

Ministério da Saúde – Saúde libera R$ 22,9 milhões para o município de Francisco Beltrão, no Paraná

Anvisa – Diretor-presidente participa de evento sobre doenças raras

Conitec – Pessoas com Doença Falciforme terão acesso ampliado ao transplante de células-tronco no SUS

Fiocruz – Acasalamento de Aedes leva à contaminação por vírus zika

Fiocruz – AM: inscrições para Mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde começam em 13/3

Fiocruz – Entenda o papel de cada inseto na transmissão da febre amarela

ALESP – Garantia de acesso à educação especial para alunos autistas

ALESP – CPI da Fosfoetanolamina ouve especialistas e aprova requerimentos

Câmara dos Deputados – Projeto permite que pessoa que necessite de curatela a solicite judicialmente

Senado Federal – Médica alerta para a divulgação de informações falsas sobre autismo e TDAH

Correio Braziliense – Paciente indiano sobrevive à extração de tumor cerebral de quase 2 kg

Estadão – Pela 1ª vez em 10 anos, mais de 60% dos recém-formados são aprovados em exame do Cremesp

Folha de S.Paulo – É preciso regulamentar a intercambialidade, afirmam médicos e pacientes

Folha de S.Paulo – Inteligência artificial supera médicos ao ver exames de imagem

Folha de S.Paulo – Ministério planeja estender vacinação da febre amarela para todo o país

G1 – Tumor ‘gigante’ deforma rosto de bebê e mãe luta por cirurgia em SP

O Globo – Febre amarela: Ministro quer ampliar vacinação para todo o país em 2018

O Globo – ‘Nem metade dos doentes é tratada’, diz psiquiatra sobre o uso de antidepressivos

Portal do Amazonas – Obra de expansão da radioterapia na FCecon será retomada

Programa Registrando – George soares entrega emenda a liga mossoroense de apoio ao câncer

Yahoo – Metade das mulheres não conhece um dos principais sintomas do câncer de ovário

Rede Press – 13 milhões de brasileiros sofrem com alguma doença rara, segundo Interfarma

ABC do ABC – Medicina ABC realiza reunião clínica em ‘vasculopatia livedoide’

A Voz do Povo – Laura gomes apoia criação do centro de referência para doenças raras em pernambuco

Ric Mais – Especialistas alertam para riscos da troca de remédios biológicos por biossimilares

Zero 83 – Governo distribui quase 12 mil doses de vacina contra a febre amarela na Paraíba

Diário Online – Marabá perde aquisição de dez leitos de UTI Neonatal

Notícias do Brasil – Pacientes são contaminados por alumínio após hemodiálise

____________________________________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.