MINISTRO DA SAÚDE PARTICIPA DE ASSINATURA DE CONTRATO PARA A CONSTRUÇÃO DE UNIDADE DE PRODUÇÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS NO PARANÁ

//MINISTRO DA SAÚDE PARTICIPA DE ASSINATURA DE CONTRATO PARA A CONSTRUÇÃO DE UNIDADE DE PRODUÇÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS NO PARANÁ

Nesta segunda-feira (26), o ministro da Saúde, Ricardo Barros, participou de assinatura de contrato com a Caixa Econômica Federal para a construção da unidade de produção de imunobiológicos do Centro de Produção e Pesquisa de Imunibiológicos. Segundo o Ministério da Saúde, a nova unidade vai triplicar a capacidade de produção da unidade de 20 mil frascos de soro por ano para 60 mil. “Para a construção desta nova unidade, serão investidos R$ 45,7 milhões de recursos federais”, ressalta o Ministério.

SUS poderá adotar registro de preço em compra de insumos e medicamentos

A aquisição de medicamentos e insumos clínicos e hospitalares descartáveis pelo SUS poderá adotar o sistema de registro de preços. É o que determina o Projeto de Lei 8510/17, da deputada Norma Ayub (DEM-ES), em tramitação na Câmara dos Deputados. Conforme a Agência Câmara enfatiza, o sistema de registro de preços é previsto na Lei de Licitações. Por meio dele, o órgão público informa o produto ou serviço que pretende adquirir para as empresas fornecedoras, que cotam o valor. As empresas se comprometem a manter os preços registrados no órgão por um determinado período, e a fornecer as quantidades solicitadas no prazo estabelecido. “É uma forma de antecipação das compras, que facilita o planejamento dos gastos e dos estoques”, frisa a reportagem.

Esclerose múltipla tem novo tratamento aprovado

Um medicamento inédito no Brasil para o tratamento da esclerose múltipla foi aprovado pela Anvisa. É o que informa a Anvisa. O produto é o Ocrevus (ocrelizumabe), que recebeu o registro de produto biológico novo da Anvisa nesta segunda-feira (26/2). O ocrelizumabe é um anticorpo monoclonal humanizado recombinante que identifica e elimina linfócitos B específicos, que desempenham um papel na esclerose múltipla. Isso reduz a inflamação e os ataques na bainha de mielina, como também reduz a probabilidade de surtos e atrasa a progressão da doença. “O medicamento foi registrado pela empresa Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A”, destaca a publicação.

Ministério Público acredita que haja mais lotes falsificados de medicamento contra câncer

O Ministério Público não descarta que mais lotes do medicamento Sutent 50mg tenham sido fraudados. A informação é da coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Consumidor do Ministério Público, Caroline Vaz, que concedeu entrevista à Rádio Gaúcha, nesta segunda-feira (26). De acordo com o jornal Zero Hora, ela alerta os pacientes para que fiquem atentos a qualquer alteração nas caixas e cartelas do remédio, receitados para tratar alguns tipos de câncer. O delegado Rafael Liedtke, da Delegacia do Consumidor do Departamento Estadual de Investigações Criminais, confirma que a principal linha de investigação é a falsificação do remédio, isso porque o aspecto do medicamento é diferente do original. Conforme o delegado, as numerações dos lotes não foram reconhecidas pelo laboratório. “O desafio da polícia agora é descobrir quem seria o fornecedor que entregou os medicamentos falsos”, diz a notícia.

SAÚDE NA IMPRENSA
Folha de S.Paulo – Suzana Herculano-Houzel – Para consertar o estrago que o ‘jeitinho’ faz, fisioterapia
Folha de S.Paulo – Cláudia Collucci – ‘Médicos devem resistir à industrialização da profissão’
Zero Hora – Ministério Público acredita que haja mais lotes falsificados de medicamento contra câncer____________________________________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.