MAIS USINAS FICARÃO SEM OPERAR NA PRÓXIMA SAFRA

//MAIS USINAS FICARÃO SEM OPERAR NA PRÓXIMA SAFRA
O número de usinas sucroalcooleiras que terá portas fechadas no Brasil na safra 2018/19, terá início em abril, e será maior que no ciclo atual. A tendência ainda reflete a crise que abalou muitas empresas do setor na primeira metade desta década e que hoje recai sobre a produtividade dos canaviais, e também tem relação com os problemas climáticos que limitaram a produção nos últimos anos. O Valor Econômico enfatiza que de um total de 444 usinas espalhadas pelo país, 79 não ligarão as máquinas na próxima temporada, conforme levantamento da RPA Consultoria – em 2017/18, 76 unidades não operaram. O número será maior, já que diversas companhias com poucos recursos estão definindo sua programação. O cenário é agravado pela queda dos preços do açúcar, que tem forçado mesmo as companhias que estão com melhor saúde financeira a conter gastos para preservar margens. De uma maneira geral, o fechamento de unidades tem tido mais impacto sobre os empregos do segmento do que sobre a produção. Na terça-feira (22), a Raízen foi obrigada por decisão liminar da Justiça a anular as demissões que fez na unidade Tamoio para negociar os termos das dispensas com os sindicatos locais. A companhia informou que “tomará todas as medidas judiciais cabíveis”.

Operação retira 2 toneladas de feijão com insetos vivos no Paraná 

Auditores fiscais agropecuários do Paraná encontraram 2 toneladas de feijão com insetos vivos em depósitos de alimentos no Estado. É o que informa o Valor. Na operação, batizada de Conformidade 2, tinha como objetivo fiscalizar a qualidade da farinha de trigo disponível ao consumidor final. “Além de garantir que os produtos à venda estão dentro das regras, à presença da fiscalização nos estabelecimentos tem ocorrido de maneira mais organizada e abrangente, permitindo que sejam constatados problemas com outros produtos”, explica o chefe do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal da Superintendência Federal Agropecuária do Paraná (Sipov /SFA-PR), Glauco Bertoldo, em nota. “A iniciativa do Sipov de fiscalizar os estabelecimentos do Estado teve início em julho deste ano com a operação Conformidade 1. Foram colhidas 87 amostras de milho pipoca, canjica de milho, amendoim, ervilha e lentilha. Em outubro, outra operação teve foco no rótulo das cervejas importadas e comercializadas no Paraná. Foram recolhidas 124 amostras de 24 importadoras em 18 estabelecimentos comerciais. Todas as amostras apresentaram problemas na rotulagem”, destaca o Valor.

Governo mudará empréstimo do BNDES para viabilizar Ferrogrão

O governo alterará as condições de financiamento do BNDES para viabilizar a construção da Ferrogrão, projeto ferroviário de R$ 12,7 bilhões, previsto para ligar os Estados de Mato Grosso e Pará. De acordo com o Estadão, as mudanças preveem o aumento dos prazos de carência e do próprio financiamento ao projeto. Em vez de cinco anos para começar a pagar o empréstimo, o investidor terá entre sete e oito anos. O financiamento, que atualmente tem previsão de ser quitado em até 20 anos. Com essas alterações, o governo quer convencer os investidores sobre a viabilidade de tomar um empréstimo que poderá chegar a até 80% do preço total da ferrovia, algo em torno de R$ 10 bilhões. “As informações foram confirmadas por Tarcísio Gomes de Freitas, secretário de coordenação de projetos do Programa de Participação em Investimentos (PPI). O projeto prevê que a ferrovia comece em Sinop (MT), no centro da produção de grãos do Mato Grosso, e avance rumo ao Norte, margeando a BR-163, até chegar ao Porto de Miritituba, no Pará. A partir dali, a carga acessa a hidrovia do Rio Tapajós, segue até o Amazonas e ganha o Atlântico”, ressalta o texto.

Votação de MP que facilita renegociação de dívidas rurais fica para segunda-feira

Câmara dos Deputados em seu portal informou o adiamento da votação da Medida Provisória 793/17, que facilita a renegociação das dívidas de produtores rurais com o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural), para a próxima segunda-feira (27). A medida vencerá na próxima terça-feira (28). Na quinta-feira (23), não houve quórum para análise do requerimento do líder do Psol, deputado Glauber Braga (RJ), que solicitava votação nominal de requerimento de retirada de pauta da MP. A relatora da proposta, deputada Tereza Cristina (sem partido-MS), disse que só poderão entrar nas negociações dívidas de até R$ 15 milhões apenas no caso da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN). No caso dos débitos com a Receita Federal, não há limite. Pelo projeto de lei de conversão proposto por Cristina e aprovado pela comissão especial que analisou a matéria, os produtores rurais, frigoríficos, laticínios e cooperativas têm até 20 de dezembro para aderir ao programa de renegociação de dívidas, que permite o pagamento das dívidas em até 180 parcelas. O Vice-líder do governo, o deputado Caio Narcio (PSDB-MG) disse que a medida ajuda na recuperação econômica do País. O líder do PDT, Weverton Rocha (MA), por sua vez, defendeu acordo entre governo e oposição para a votação da proposta.

NA IMPRENSA

Mapa – CGU participa de reunião do Comitê de Auditoria Interna e Integridade no Mapa

Mapa – Cientistas buscam saída para frear degradação so solo no Nordeste

Mapa – Brasil participa pela primeira vez da Food Ingretients

ALESP – Cooperativa regional fortalece agricultores familiares de Araraquara

Câmara dos Deputados – Câmara aprova novas regras para prêmio em corrida de cavalos

Câmara dos Deputados – Votação de MP que facilita renegociação de dívidas rurais fica para segunda-feira

O Estado de S.Paulo – Governo vai mudar empréstimo do BNDES para viabilizar Ferrogrão

O Estado de S.Paulo – ‘Estadão’ debate ambiente de negócios no Paraná

O Estado de S.Paulo – Zimbabue tem novo presidente após 37 anos

Valor Econômico – Operação retira 2 toneladas de feijão com insetos vivos no Paraná

Valor Econômico – EUA rejeitam pressão de refinarias sobre política de biocombustíveis

Valor Econômico – Safra de trigo do PR teve quebra de 36, estima Deral

Valor Econômico – BRF não integrará mais o índice de sustentabilidade empresarial

Valor Econômico – Plantio da soja está melhor do que em 2016/17, diz Agrocosult 

Valor Econômico – Presidente da Anec diz que ano foi de resultados “desastrosos”

Valor Econômico – Consumo de café deve crescer 33% no país

Valor Econômico – Mais usinas ficarão sem operar na próxima safra

Zero Hora – Protetor solar para agricultor deve chegar em até 10 dias

Zero Hora – Agronegócio também investe na Black Friday

Zero Hora – Plantio de soja avança enquanto o mercado está a espera de preços melhores

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.