MAIOR ACIONISTA INDIVIDUAL DA EMBRAER REDUZ PARTICIPAÇÃO  

//MAIOR ACIONISTA INDIVIDUAL DA EMBRAER REDUZ PARTICIPAÇÃO  
A gestora de investimentos norte-americana Brandes anunciou, na quarta-feira (27), a redução de sua participação na fabricante brasileira de aviões Embraer para 14%, ou 106,6 milhões de ações. Segundo a Folha de S.Paulo, antes, a fatia da Brandes na Embraer era de 15%. Os maiores sócios privados depois dela são Mondrian (10,1%), BNDESPar (5,4%) e Blackrock (5%). As ações da Embraer tiveram alta de 23%, na última quinta-feira (21), com a notícia de que a empresa estuda uma parceria com a Boeing. O governo disse, porém, que a venda da Embraer está “fora de cogitação”. “A União detém 35% das ações da empresa e tem a “golden share”, que dá direito a veto em negociações desse tipo”, destaca a reportagem.

Temer sanciona Renovabio, que cria política de biocombustíveis no país

O presidente Michel Temer sancionou, na quarta-feira (27), a aguardada Lei 13.567/2017, que cria a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio). Conforme o Valor Econômico, aprovado na Câmara dos Deputados e no Senado Federal neste mês de dezembro em regime de urgência, o RenovaBio busca reconhecer o papel estratégico de todos os tipos de biocombustíveis na matriz energética do país no que diz respeito à segurança energética e à redução de emissões de gases causadores do efeito estufa.

‘Reinvenção’ da Bosch passa pelo campo

“Você pode esperar que as coisas aconteçam para reagir. Ou ser protagonista”. Assim o presidente da Bosch na América Latina, Besaliel Botelho, define a transformação que a companhia pretende provocar em si mesma. Com olhar atento e fala segura, ele não se refere a seu “métier” – a indústria automobilística, ainda responsável por quase 64% do faturamento no Brasil, por exemplo. O Valor Econômico destaca que a transformação ocorrerá desta vez, com inovações em áreas estranhas à história da companhia alemã. Para o país, Botelho já definiu as primeiras duas áreas: pecuária bovina e grãos.

Ministério articula resposta rápida a veto aos pescados

Depois de decretar o autoembargo das exportações brasileiras de pescados à União Europeia, o Ministério da Agricultura irá propor a Bruxelas um aperto na fiscalização sobre embarcações de camarões, lagostas, atum e tamboril, entre outras medidas sanitárias, para reabrir o mercado do bloco às empresas do Brasil. É o que informa o Valor Econômico, nesta quinta-feira (28). “No radar da Pasta também está a preocupação de que o comércio de outros produtos, em especial carnes, seja afetado e até fechado no futuro pelas deficiências identificadas nos pescados”, frisa o Valor.

NA IMPRENSA

Mapa – Agro+ simplificou normas e modernizou operações em 830 ações

Mapa – Mapa obteve autorização para aumentar quadro de fiscais

Mapa – Mapa distribuiu 3,9 mil kits de irrigação em Alagoas, Maranhão, Pernambuco e Mato Grosso

MMA – Estados têm até maio para aderir ao Sinaflor

MMA – Esforços no combate a incêndios florestais

Senado Federal – Projeto prevê ensino com metodologia específica para os jovens do campo

Folha de S.Paulo – Carga tributária chega a 32,38% do PIB em 2016, maior nível desde 2013

Folha de S.Paulo – Maior acionista individual da Embraer reduz participação

Valor Econômico – Fusão entre Agrium e Potash é aprovada por órgão regulador dos EUA 

Valor Econômico – Temer sanciona Renovabio, que cria política de biocombustíveis no país 

Valor Econômico – Explosão em porto de grãos na Argentina deixa ao menos um morto 

Valor Econômico – Ministério articula resposta rápida a veto aos pescados 

Valor Econômico – ‘Reinvenção’ da Bosch passa pelo campo 

Valor Econômico – Commodities Agrícolas 

Zero Hora – Colheita da uva deverá se manter em 65,8 mil toneladas em Santa Catarina 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.