GOVERNO LANÇARA PLANO LOGÍSTICO PARA O AGRONEGÓCIO EM DEZEMBRO

//GOVERNO LANÇARA PLANO LOGÍSTICO PARA O AGRONEGÓCIO EM DEZEMBRO
O Ministério da Agricultura lançará um plano logístico voltado para o agronegócio, disse, o ministro da Agricultura em exercício, Eumar Novacki, na abertura, em São Paulo, do Summit Agronegócio 2017, na segunda-feira (27). O lançamento deve ocorrer internamente, no ministério, na primeira quinzena de dezembro, para depois ser apresentado ao público. Segundo Novacki, o plano atende a todos os modais com planejamentos de curto, médio e longo prazos. “Estamos mapeando onde o agronegócio pode se tornar mais eficiente.” A ideia é levantar também em quais áreas o governo deve ter parcerias público-privadas, concessões e investimentos próprios. Novacki disse que já há um cálculo sobre o montante a ser investido no projeto, mas não quis antecipar as cifras. “É um plano voltado para o escoamento de safra em todas as áreas, cana, soja, milho, tudo onde conseguirmos reduzir o custo de produção.” Conforme o Estadão, entre os participantes do evento, o vice-presidente global de assuntos corporativos da Bunge, Stewart Lindsay, disse que os dias atuais têm sido dinâmicos e desafiadores para o agronegócio e que o futuro da empresa está relacionado ao sucesso da agricultura brasileira.

UE aprova comercialização do glifosato por mais cinco anos

A União Europeia, aprovou na segunda-feira (27), a comercialização do herbicida glifosato por mais cinco anos. É o que informa o Valor Econômico. Segundo a Comissão Europeia, braço executivo da UE, 18 países apoiaram a proposta de renovar a licença do produto, 9 votaram contra e um se absteve. Eram necessários 16 votos para a aprovação. Contrário à decisão, o presidente francês Emmanuel Macron disse que tomaria todas as medidas necessárias para garantir que o herbicida seja banido de seu país, assim que uma alternativa a ele esteja disponível. E deu o prazo de três anos — o mesmo que defendia para a renovação da licença comercial — para que isso ocorra. Apesar da extensão aprovada pelo bloco, as regras da UE permitem que a França proíba unilateralmente o uso da substância. Apesar de ser amplamente usado no campo, o glifosato teve sua segurança colocada em xeque após a declaração, em 2015, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de provável causa de câncer. “Com isso, a UE concordou em estender o seu uso por apenas 18 meses, na expectativa da publicação dos resultados de um novo estudo, desta vez elaborado pela Agência Europeia de Químicos. Em março, a entidade afirmou que não havia evidências que associassem o glifosato a casos de câncer em humanos”, destaca a reportagem.

Temer tem dado todo o respaldo para o crescimento do agronegócio, diz ministro

O ministro da Agricultura, Eumar Novacki, ressaltou, durante o Summit Agronegócio 2017 realizado na segunda-feira (27), que o objetivo da Pasta é ampliar a participação do agronegócio brasileiro no comércio internacional e que o presidente Michel Temer “tem dado todo o respaldo para as ações do setor”. “Queremos chegar a 10% de participação do Brasil no mercado externo”, disse Novacki. “Isso representa mais US$ 30 bilhões na economia brasileira.” De acordo com o Estadão, Novacki afirmou que, para atingir esse patamar, é necessário planejamento. Ele defendeu a contribuição do programa Agro+ para melhorar a competitividade do setor e a rapidez no atendimento de demandas dos produtores. Eumar Novacki também disse, durante o evento, que o Brasil tem uma vasta área de preservação ambiental. “66,3% das áreas do País são de cobertura verde no Brasil”, disse durante apresentação no Summit Agronegócio 2017. Segundo ele, essa parcela mostra o esforço do Brasil na preservação ambiental. De acordo com o ministro interino, com isso o agronegócio deixa de ganhar cerca de R$ 2 trilhões, que ficam “imobilizados a serviço do meio ambiente”, com as áreas de preservação dentro das propriedades rurais.

Sem acordo para votação, MP que parcela dívidas rurais perderá validade nesta terça

Discordâncias entre governo e oposição e o baixo quórum no Plenário da Câmara dos Deputados evitaram a votação na segunda-feira (27) da Medida Provisória 793/17, que criou o Programa de Regularização Tributária Rural (PRR). O portal da Câmara enfatiza que a MP perderá a validade sem ter sido analisada a tempo por deputados e senadores, prazo esse que se encerra hoje (28). De um lado, partidos de oposição defenderam a renegociação de dívidas de produtores rurais com o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural que beneficiasse apenas pequenos produtores da agricultura familiar. Já a base governista sustentou que o agronegócio é um só e que todos os produtores deveriam ser beneficiados pela MP. Pelo projeto de lei da relatora da MP, deputada Tereza Cristina (sem partido-MS), o PRR abrangeria débitos relativos à contribuição social sobre a receita bruta devida por produtores rurais, frigoríficos, empresas de laticínios e cooperativas a título de contribuição previdenciária dos trabalhadores rurais. “Segundo o texto, os devedores teriam até 20 de dezembro para aderir ao PRR e poderiam pagar as dívidas em até 180 parcelas, com uma entrada de 2,5% do valor consolidado, em vez de 4%, como previsto originalmente pela MP. O relatório também diminuiria em 40% o valor da contribuição social, que passaria de 2% para 1,2% da receita bruta”, afirma a publicação.

NA IMPRENSA
Mapa – Blairo Maggi participa dos 40 anos da Secretaria de Defesa Agropecuária nesta terça-feira (28)

Mapa – Setor produtivo está adotando nova postura para condução dos negócios

MMA – Educação ambiental: cidades unidas pelo clima

MMA – Ministro destaca inovação na gestão de UCs

MMA – Seminário debate gestão de recursos externos

MMA – Simpósio discute fome e biodiversidade

MMA – Brasil receberá US$ 4,8 milhões para ozônio

Embrapa – Estudo para combater HIV rende prêmio internacional à Embrapa

Ibama – Ibama e PRF fecham estabelecimento e apreendem 5 mil pneus clandestinos em SP

Câmara dos Deputados – Sem acordo para votação, MP que parcela dívidas rurais perderá validade nesta terça

Câmara dos Deputados – Plenário encerra sessão sem votar MP que parcela dívidas rurais

Câmara dos Deputados – Líder do Psol pede que MP sobre parcelamento de dívida beneficie apenas agricultor familiar

Câmara dos Deputados – Agricultura aprova inclusão de erva-mate em política de preços mínimos do governo

Câmara dos Deputados – Comissão de Agricultura aprova preço mínimo por região produtiva

Câmara dos Deputados – Agricultura aprova renegociação de dívidas de produtores do Proálcool

Câmara dos Deputados – Comissão especial pode votar proposta sobre proteção de cultivares nesta semana

Folha de S.Paulo – O aeroporto fantasma da Odebrecht em Moçambique, que o BNDES financiou e tomou calote

G1 – Relatora afirma que eventual arquivamento da MP do Funrural causará ‘estrago’ no setor agropecuário

O Estado de S.Paulo – Temer tem dado todo o respaldo para o crescimento do agronegócio, diz ministro

O Estado de S.Paulo – Summit Agronegócio Brasil 2017

O Estado de S.Paulo – Governo vai lançar plano logístico para o agronegócio em dezembro

Valor Econômico – Dreyfus compra divisão da Golden Agri-Resources na China

Valor Econômico – UE aprova comercialização do glifosato por mais cinco anos

Valor Econômico – Após erros, banca anula prova e reagenda concurso da veterinários

Valor Econômico – Vendas de etanol em alta

Valor Econômico – Cofco ratifica seu ambicioso plano de expansão

Valor Econômico – ‘Onda verde’ chinesa ajuda algodão brasileiro

Valor Econômico – UE aprova a venda de glifosato por mais 5 anos

Valor Econômico – Commodities Agrícolas

Valor Econômico – Contexto

Zero Hora – Carlos Cogo: China sacode mercado global de carne bovina

Portal do Agronegócio – Soja devolve parte dos ganhos e tem ligeiro recuo ena Bolsa de Chicago nesta 3ª feira

Portal do Agronegócio – Alta nos preços da carne bovina no atacado

Agrolink – Mapa dispensa registro de adjuvantes

Agrolink – TRIGO: Rússia é chave dos preços na temporada 2017/18

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.