GOVERNO APOSTA EM EXPORTAÇÃO RECORDE DE MILHO ESTE ANO

//GOVERNO APOSTA EM EXPORTAÇÃO RECORDE DE MILHO ESTE ANO
O Brasil deverá exportar 35 milhões de toneladas de milho neste ano, um volume jamais atingido antes pelo país. Mauro Zefalon da Folha de S.Paulo enfatiza que a estimativa é de Neri Geller, secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura. O secretário de governo aposta nesse volume porque o Brasil iniciou o segundo semestre com um ritmo muito forte nas vendas externas. Em julho, as exportações somaram 2,3 milhões de toneladas, subindo para 5,3 milhões no mês passado. Neste mês, os dados da primeira quinzena indicam que o desempenho das exportações se mantém em ritmo bastante acelerado. A Secex (Secretaria de Comércio Exterior) aponta média diária de 294 mil toneladas exportadas por dia útil em setembro. Geller não está sozinho na previsão de exportações recordes de milho neste ano, embora os números do mercado indiquem volume um pouco menor do que os do secretário de política agrícola. “Um dos fatores que favorecem as vendas externas é a produção recorde deste ano. Além disso, devido aos preços baixos, os produtores atrasaram as vendas de milho. Com a chegada do plantio da safra de verão, os menos capitalizados deverão vender milho e soja para comprar insumos. A Horizon prevê vendas externas do cereal de 30 milhões a 32 milhões de toneladas neste ano. Neste ano, são 10,8 milhões de toneladas, em comparação com os 15,9 milhões de 2016”, afirma a coluna.

Trimble quer crescer em tecnologia para máquinas agrícolas brasileiras

A Trimble, conglomerado americano, elevou em 45% as contratações no Brasil desde junho, para algo ao redor de 50 pessoas empregadas pela empresa no país. O Valor Econômico destaca que o novo gerente geral global da divisão de agricultura da Trimble no segmento de Recursos Naturais, Abe Hughes, afirmou que a ideia é ampliar a participação no país. A Trimble, mais famosa pela fabricação de GPS, possui empresas, que estão nas áreas de agricultura, construção de infraestrutura, arquitetura, engenharia, transporte e logística, aplicações geoespaciais e construção de edificações. No segmento de agricultura, a empresa desenvolve receptores para os sinais de satélites, bem como navegadores para guiar as máquinas agrícolas, direcionando pulverizadoras e fazendo cálculos mais precisos para aplicação de produtos. Os sensores que ficam em áreas específicas das máquinas agrícolas também são desenvolvidos pela americana. Para o Brasil, Hughes afirmou que a empresa está avaliando novas parcerias para ter tecnologia já embarcada em equipamentos saídos da fábrica. “Hoje, a americana tem uma parceria já firmada com a New Holand Brasil, da CNH, e 60% das colheitadeiras vendidas já saem com alguma tecnologia da Trimble de fábrica. Eventuais fusões e/ou aquisições de companhias locais são avaliadas no mercado”, diz parte do texto.

Comissão debate efeitos dos agrotóxicos no meio ambiente e na saúde

Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável promove hoje um debate sobre os efeitos dos agrotóxicos no meio ambiente e na saúde. De acordo com o portal da Câmara dos Deputados, a audiência pública foi solicitada pelos deputados João Daniel (PT-SE), Paulo Teixeira (PT-SP) e Valmir Assunção (PT-BA). Eles destacam que desde 2008 o Brasil é o país que mais consome agrotóxicos no mundo e que é preciso buscar alterativas para o uso destes produtos. “De acordo com o Dossiê Abrasco [Associação Brasileira de Saúde Coletiva], cerca de 70% dos alimentos in natura consumidos no País estão contaminados por algum tipo de agrotóxico, sendo que desses, segundo dados da Anvisa, 28% contém substâncias não autorizadas para uso no Brasil”, alertam. Os parlamentares citam ainda que nos países em desenvolvimento, segundo levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS), os agrotóxicos causam 70.000 intoxicações agudas e crônicas anualmente. “Esses são apenas alguns dos dados sobre o universo do uso de agrotóxicos, cujos malefícios para a saúde da população, para o meio ambiente e para o próprio desenvolvimento sustentável da agricultura devem cada vez mais ganhar visibilidade”, explicam os deputados, destaca a Câmara.

Caramuru aposta em usina de etanol de soja

Em 2012, a Caramuru Alimentos começou a produzir proteína concentrada de soja na fábrica de Sorriso, no Mato Grosso. De lá para cá, 230 toneladas diárias de melaço têm sido aproveitadas para alimentação do gado e geração de energia. Agora a empresa decidiu produzir etanol de soja a partir do melaço, um projeto pioneiro no país em escala industrial. O pontapé inicial para a fabricação de etanol de soja e de também de lecitina de soja de segunda geração, a partir do melaço, acaba de ser dado. Conforme o Estadão, a Finep, empresa pública de fomento à tecnologia e inovação, liberou R$ 40 milhões para a Caramuru tocar o projeto. É a primeira parcela de financiamento de R$ 69 milhões para implementar a fábrica, que começa a funcionar em dois anos. “O investimento total será de R$115 milhões e a diferença – R$ 46 milhões – são recursos da própria companhia. A fábrica terá capacidade de 6,8 milhões de litros de etanol por ano e 3 mil toneladas de lecitina de soja. A tecnologia para produção de etanol de soja é nacional e foi desenvolvida pela engenheira química Paula Fernandes de Siqueira, que fundou o Intecso, um centro de tecnologia avançado em agronegócio. Ela licenciou a tecnologia para a Caramuru, que terá autorização para explorar comercialmente a produção. Pelo uso, a Intecso recebeu um valor fixo que, por questões contratuais não é revelado”, enfatiza a reportagem.

NA IMPRENSA

Mapa – Conab faz censo de armazéns no Paraná e em Mato Grosso

Mapa – Projeto de orgânicos do Mapa estimula pesquisa em universidades

Mapa – Delegação brasileira conhecerá produção de lácteos da Califórnia

Embrapa – Biotecnologia aplicada a cosméticos será tema de debate em Brasília

Embrapa – Curso traz atualizações sobre sistemas de integração

Câmara dos Deputados – Meio Ambiente debate proposta que susta lista de animais ameaçados de extinção

Câmara dos Deputados – Fiscalização Financeira ouve ministro da Agricultura sobre a operação Carne Fraca

Câmara dos Deputados – Comissão debate efeitos dos agrotóxicos no meio ambiente e na saúde

Folha de S.Paulo – João Pinheiro da Fonseca – Confisco de queijos traz à tona caráter disfuncional da Vigilância Sanitária

Folha de S.Paulo – ‘Não podemos correr o risco de entrar 2018 sem reforma’, diz Meirelles

Folha de S.Paulo – JBS recua quase 4% e empresa perde R$ 955 milhões em valor de mercado

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – Governo aposta em exportação recorde de milho neste ano

Folha de S.Paulo – Apesar de haver garimpos ilegais na Renca, há pouca área desmatada

G1 – Brasil produz mais de 5 milhões de toneladas de trigo

G1 – Setor de café do Brasil vê fim da perspectiva de ‘supersafra’ em 2018 com clima seco

O Estado de S.Paulo – Caramuru aposta em usina de etanol de soja

Valor Econômico – Balança tem superávit de US$ 1,08 bi na 3ª semana de setembro

Valor Econômico – Trimble quer crescer em tecnologia para máquinas agrícolas brasileiras

Valor Econômico – Etanol sobe na maior parte do país e diminui vantagem ante a gasolina

Valor Econômico – Commodities Agrícolas

Valor Econômico – Mercado reage mal e ações caem

Valor Econômico – Gilberto Tomazoni vira COO

Zero Hora – Confira as feiras agroecológicas do RS

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.