CIENTISTAS DESENVOLVEM EXAME QUE DETECTA ESCLEROSE MÚLTIPLA NA FASE INICIAL

//CIENTISTAS DESENVOLVEM EXAME QUE DETECTA ESCLEROSE MÚLTIPLA NA FASE INICIAL

Pesquisadores da Universidade de Medicina de Chicago, nos Estados Unidos, desenvolveram um teste minimamente invasivo, descrito na revista Scientific Reports, para detectar Esclerose Múltipla em fase inicial. Segundo o Correio Braziliense, o teste utiliza de uma tomografia por emissão de pósitrons (PET Scan), capaz de identificar o problema com precisão. No teste desenvolvido, o PET Scan usa uma molécula radioativa específica para localizar uma proteína chamada canais de potássio dependentes de voltagem, encontrada nos neurônios que perderam mielina. “O exame, baseado na detecção dessa substância, fornece informações quantitativas a respeito do processo. Com os resultados positivos, os cientistas receberam autorização dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA para conduzir um estudo em macacos saudáveis”, destaca parte da reportagem.

Projeto retoma Farmácia Popular em rede própria e credenciada

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 8301/17, do deputado Marco Maia (PT-RS), que restabelece o Programa Farmácia Popular. De acordo com a Agência Câmara Notícias, o projeto apresentado inclui as duas modalidades – rede própria e conveniada – em lei federal. O receio, segundo Marco Maia, é que até mesmo o convênio com as farmácias privadas, chamado “Aqui tem farmácia popular”, seja extinto pelo governo federal. O deputado afirma que, no auge do programa, a rede de conveniadas chegava a 34.583 farmácias cadastradas, em 4.487 municípios. O programa oferece gratuitamente medicamentos para diabetes e hipertensão e subsidia outros remédios de uso contínuo.

Projeto garante prazo de 60 dias para retorno médico sem nova cobrança de consulta

Pacientes terão 60 dias, contados da primeira consulta médica, para realizar o retorno sem que haja nova cobrança. É o que determina o Projeto de Lei 8231/17, do deputado Franklin (PP-MG). Conforme a Agência Câmara Notícias informou, o projeto estabelece que se houver necessidade de exames complementares que não possam ser apreciados no retorno médico, o paciente terá novo prazo de 60 dias para voltar ao médico sem precisar pagar nova consulta. “No entanto, se for detectada nova doença no mesmo paciente, o médico poderá cobrar pela consulta complementar ao retorno. O deputado avalia que a cobrança só se justifica em tratamentos prolongados ou mudança de sintomas”, diz o texto.

Disponível orientação sobre nomes de medicamentos

Anvisa em seu portal publicou a Orientação de Serviço 43/2017 que detalha aspectos na RDC 59/2014 que trata de medicamentos com nomes semelhantes que provocam trocas indevidas. A Orientação traz detalhamentos para melhorar a análise técnica feita pela Anvisa. O documento é uma referência de apoio técnico ao trabalho das áreas relacionadas da Gerência-Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos. A Lei 6.360/1976 determinava, em seu art 5º, que os medicamentos não podem ter nomes, designações, rótulos ou embalagens que induzam ao erro. “Nomes semelhantes podem gerar erros na hora da prescrição, preparação, dispensação e administração ao paciente. Assim, a proposição do nome de um medicamento pela empresa e a avaliação da Anvisa devem considerar os diversos aspectos envolvidos no uso do produto”, frisa a publicação.

SAÚDE NA IMPRENSA

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde atende à imprensa sobre febre amarelaMinistério da Saúde – Ministério da Saúde atualiza casos de febre amarela

Anvisa – Empresas devem atualizar código de barras para SAMMED

Anvisa – Disponível orientação sobre nomes de medicamentos

Anvisa – Lote falso de Botox no mercado

Anvisa – Lote de vacina da hepatite B é suspenso

Anvisa – Cigarro: atualizada norma sobre exposição em comércios

Anvisa – Ampliada validade de registro de produtos para saúde

Fiocruz – Fiocruz Brasília integra rede de pesquisa sobre criptococose

ALESP – Nota fiscal da Saúde poderá beneficiar pacientes da rede pública paulista

ALESP – Oncologia em Itapeva é credenciada no sus

Câmara dos Deputados – Projeto retoma Farmácia Popular em rede própria e credenciada

Câmara dos Deputados – Projeto garante prazo de 60 dias para retorno médico sem nova cobrança de consulta

Correio Braziliense – Cientistas desenvolvem exame que detecta esclerose múltipla na fase inicial

Folha de S.Paulo – Cara e vertiginosa, cirurgia cerebral 3D começa a ser usada nos EUA

Folha de S.Paulo – Recomendação da OMS indica ‘excesso de zelo’, afirma Ministério da Saúde

G1 – Tratar os fatores de risco pode prevenir até 90% dos casos de AVC

G1 – Câncer de próstata: Dieta rica em gordura aumenta chance de metástase, diz estudo

G1 – A vítima de febre amarela que foi diagnosticada com sinusite, infecção urinária e enxaqueca

G1 – Quais são os grupos que não devem tomar a vacina da febre amarela – e como podem se proteger

O Estado de S.Paulo – OMS põe SP em mapa de risco da febre amarela e Estado antecipa vacinação

O Estado de S.Paulo – Briga por vacina de febre amarela termina na delegacia no ABC paulista

O Estado de S.Paulo – Governo confirma 35 casos de febre amarela desde julho, com 20 mortes

O Estado de S.Paulo – Ministério avalia caso de holandês que se infectou com febre amarela

O Estado de S.Paulo – Espera em posto público para vacina da febre amarela chega a 9 horas

O Globo – Epidemia de gripe mata 20 crianças nos EUA

O Globo – Crianças autistas bilíngues têm habilidades cognitivas melhores

Valor Econômico – Governo decide liberar R$ 420 milhões para as áreas de saúde e educação do RN

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.