CÂNCER TEM TRATAMENTOS DESIGUAIS NO SUS E FORA DA RECOMENDAÇÃO FEDERAL

//CÂNCER TEM TRATAMENTOS DESIGUAIS NO SUS E FORA DA RECOMENDAÇÃO FEDERAL
Reportagem da Folha de S.Paulo revela a grande a disparidade no tratamento de câncer no SUS. “Em uma mesma cidade, há hospitais oferecendo terapias inferiores às preconizadas pelo Ministério da Saúde, enquanto outros até acima. Essa é a conclusão do estudo ‘Meu SUS é diferente do teu SUS’, feito pelo Instituto Oncoguia (ONG que dá apoio a pacientes com câncer) e que será apresentado nesta terça-feira (27) em um fórum no Hospital Sírio-Libanês (SP)”, destaca a reportagem. Os dados foram obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação e buscam saber se os centros têm diretrizes para tratamento sistêmico do câncer (com remédios), se estão de acordo com o padrão SUS e se há diferenças entre centros de uma mesma cidade e em relação o que é ofertado pela saúde suplementar.Foram avaliadas diretrizes para quatro tipos de câncer mais comuns (pulmão, colorretal, mama e próstata), todas recomendadas pelo ministério. Dos 52 centros que enviaram informações, 18 não dispõem de diretrizes e 34 têm pelo menos uma. A amostragem representa todos os Estados brasileiros. “No país, há 288 centros que tratam o câncer no SUS. Os hospitais recebem verbas federais por meio das APACs (Autorização de Procedimentos de Alta Complexidade), mas têm autonomia em decidir quais terapias vão adotar. Uma portaria do Ministério da Saúde determina que as diretrizes sejam validadas pelos gestores de saúde mas, na prática, isso não ocorre”, ressalta outro trecho da reportagem.

Diferenças na quimioterapia

Advogado sanitarista, diretor jurídico da Oncoguia e um dos autores do estudo, Tiago Farina Matos destaca na reportagem que foram procurados o Ministério da Saúde, as secretarias estaduais e as municipais. “Todas elas repetiram o mantra de que não têm acesso às diretrizes, de que era preciso buscá-las nas unidades habilitadas [centros oncológicos]”, afirmou Matos. O jornal Folha de S.Paulo destaca ainda que no Estado de São Paulo, dos 11 centros que tratam câncer de mama, seis dispõem de diretrizes para quimioterapia. “Em um deles, elas estão abaixo das recomendações do ministério, em dois estão adequadas e em três, acima. Abaixo do recomendado significa não ofertar, por exemplo, nenhuma terapia anti-Her2 para o câncer de mama. Essa quimioterapia ataca células que contém a proteína Her2, bloqueando a sua proliferação. Segundo estudos, ela aumenta o tempo de vida em mais de 18 meses –o que resultaria em 768 mortes a menos em dois anos”, enfatiza a reportagem.

Beneficiários de planos fazem exames e consultas com maior frequência

Beneficiários de planos de saúde fazem exames e consultas mais frequentemente do que pessoas sem acesso ao sistema privado, de acordo com pesquisa do Ibope Inteligência feita a pedido do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). Enquanto 42% dos beneficiários fazem consulta por rotina ou prevenção, essa fatia é de apenas 25% entre quem não tem plano. Além de irem a consultas com mais frequência, os beneficiários também realizam mais exames de rotina. O site da revista Isto É, nesta terça-feira (27), enfatiza que entre os brasileiros que contam com um plano de saúde, nos últimos 12 meses, 81% mediram a pressão arterial, 69% mediram os índices de glicemia, 72% o colesterol e 70% o triglicérides. Entre o os não beneficiários, os números são notadamente menores: 69% mediram a pressão, 48% a glicemia, 46% o colesterol e 43% o triglicérides. De acordo com o levantamento, a satisfação dos usuários com os planos tem aumentado. “A pesquisa destaca que o plano de saúde é um fator decisivo também na hora de aceitar um emprego. Para 97% dos entrevistados, a oferta desse benefício é considerada “importante” (16%) ou “muito importante” (79%) para decidir entre um trabalho ou outro”, diz o site.

Comissão para analisar programa de auxílio financeiro a Santas Casas será instalada

O Portal da Câmara dos Deputados informou que será instalada na quarta-feira desta semana (28) a comissão especial que analisará o Projeto de Lei 7606/17, do Senado, que cria o Programa de Financiamento Preferencial às Instituições Filantrópicas e Sem Fins Lucrativos. O programa concede duas linhas de crédito para as Santas Casas de Misericórdia que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS): uma de reestruturação patrimonial e outra de capital de giro. Para ter direito ao benefício, as entidades terão de apresentar um plano de reforma administrativa a ser implementado no prazo de dois anos. “O objetivo do projeto é evitar o risco de interrupção do trabalho das Santas Casas, em razão do endividamento crescente dessas entidades. Após a instalação, serão eleitos o presidente e os vice-presidentes do colegiado”, completa a notícia.

SAÚDE NA IMPRENSA
Ministério da Saúde – Ministro da Saúde se reúne com prefeitos e gestores de saúde do Acre e anuncia recursos para o estado

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde anuncia R$ 12 milhões para reforçar a assistência em Roraima

Ministério da Saúde – Reestruturação dos Hospitais Federais do Rio visa ampliar atendimento

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde garante mais de R$ 6 milhões para reforçar assistência no Acre

Anvisa – Produtos fitoterápicos irregulares são proibidos

Anvisa – Lote de Soro Antitetânico é proibido pela Anvisa

Anvisa – Anvisa proíbe propagandas da empresa Max Bonner

Anvisa – Reunião pública debate aditivos alimentares em carnes

Fiocruz – Inscrições abertas para a 8ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto

Fiocruz – Delegação da China visita a Fiocruz

Câmara dos Deputados – Comissão inclui em estatuto convênio de SUS para atendimento a idoso

Câmara dos Deputados – Câmara rejeita projeto que prevê atendimento prioritário a pessoas com autismo em repartições públicas

Câmara dos Deputados – Comissão para analisar programa de auxílio financeiro a santas casas será instalada

MPF – Estado é obrigado a fornecer medicamentos não previstos na lista do SUS, mas deve priorizar hipossuficientes, defende MPF

Folha de S.Paulo – Câncer tem tratamentos desiguais no SUS e fora da recomendação federal

Folha de S.Paulo – Professora incentiva distribuição de abraços para humanizar área da saúde

Isto É – Ibope: beneficiários de planos fazem exames e consulta com maior frequência

Correio Braziliense – DNA pode interferir no desempenho de corredores de longa distância

G1 – A pergunta de quase cem anos sobre o mal de Parkinson que acaba de ser respondida

Zero Hora – Prefeitura de Farroupilha descarta fechamento do Hospital São Carlos

Zero Hora – Lotes de anticoncepcional da Bayer são suspensos

Zero Hora – Hospital São Carlos, de Farroupilha, acumula déficit de R$ 40 milhões

Zero Hora – UPA de Caxias é a única esperança de desafogar Postão 24 horas

Bonde – Refluxo gastroesofágico é um fator de risco para doença rara

Jornal de Santa Catarina – Pacientes com hipertensão pulmonar reclamam da demora na liberação do remédio em Joinville

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.